(11) 5185-0570

(11) 99907-6292

Av. Arnolfo de Azevedo, 84 - Pacaembú - São Paulo - SP - 01236-0360

Tatuagens

Saiba Mais
Carregadas de significados, as tatuagens perpetuam na pele um momento especial, um amor e até uma convicção política. Mas o tempo passa, a vida muda e, em alguns casos, elas podem perder o significado que antes possuíam, passando a se tornar indesejáveis. A tatuagem como uma forma de arte corporal está crescendo em popularidade, especialmente entre os jovens adultos. Na verdade, o Pew Research Center revelou que 36 por cento dos americanos com idades entre 18-25 fazem uma tatuagem. Como resultado, os dermatologistas estão vendo aumento de complicações, tais como reações alérgicas, infecções graves, e, as reações à tinta da tatuagem que podem imitar o câncer de pele.
   
Devemos também considerar que 50% ou mais das pessoas que fazem uma tatuagem desejam removê-la em algum momento da vida, que, devido ao preconceito, indivíduos tatuados podem não ser bem recebidos por algumas pessoas, que tatuagens costumam criar uma barreira ao emprego, que algumas pessoas enxergam os tatuados como imaturos ou anti-sociais e que a remoção de tatuagens é um tratamento difícil, caro e demorado. Pense muito antes de fazer um desenho, remover uma tatuagem nunca será tão fácil quanto fazê-la.
   
Na prática diária do consultório, observo que as tatuagens mais removidas são as que carregam significado afetivo, que envolvem relacionamentos amorosos que chegam ao fim e deseja-se então remover a marca que permaneceu na pele. Essas tatuagens documentam em geral o nome ou desenhos relacionados a pessoa amada na ocasião da tatuagem.
 
Tintas de tatuagem
A composição da tinta de tatuagem mudou drasticamente ao longo dos anos. No passado, os sais de metais, o chumbo, cobalto, e de carbono foram utilizados em tintas. Hoje, muitas tintas de tatuagem modernas (especialmente os vermelhos intensos e amarelos) contêm corantes orgânicos azo com plástico à base de pigmentos que também têm usos industriais na impressão, têxteis e pintura do carro. Como resultado, há muitas incógnitas sobre como essas tintas interagem com a pele e dentro do corpo, e, se elas são as responsáveis ​​por um aumento do número de complicações.
   
Cuidado com o pigmento vermelho e marrom. Se foi utilizado o óxido de ferro como pigmento, muito comum em pigmentações de sobrancelhas, ele pode escurecer, tornando-se negro após o uso do laser.
 
Reações alérgicas
 Um dos problemas mais comuns associados com as tatuagens são as reações alérgicas aos pigmentos utilizados.
 
Comichão ou erupções cutâneas podem ocorrer dias, meses ou mesmo anos após a tatuagem inicial. Nos casos em que ocorre uma reação alérgica meses ou anos mais tarde, a pessoa afetada não pode suspeitar de que a tatuagem é a culpada. Em indivíduos com psoríase e eczema, tatuagens podem desencadear ou piorar a doença crônica da pele.
   
A sarcoidose é uma desordem auto-imune caracterizada por edema e prurido que pode ocorrer algumas décadas após o procedimento de tatuagem e pode envolver outros órgãos, tais como os pulmões e olhos. Esse tipo de reação não é causada diretamente pela tatuagem original, mas pode aparecer dentro da tatuagem. Os tratamentos incluem cremes tópicos e, em casos graves, medicamentos imunossupressores.
 
Câncer de pele
 O câncer de pele pode ocorrer dentro de uma tatuagem, e por essa razão, os tatuadores precisam ter cuidado para não fazer uma tatuagem sobre um sinal existente.
   
Uma reação que pode resultar é uma lesão que imita o câncer de pele, o que pode danificar a tatuagem. Este tipo de lesão que pode ocorrer dentro de uma tatuagem, simula um tipo de câncer de pele conhecido como carcinoma espinocelular. Devido ao fato dessa lesão ser tão difícil de distinguir deste tipo de câncer, ela requer uma biópsia, e, em alguns casos, pode ter de ser tratado como um câncer da pele, com uma cirurgia adicional. Esta reação anormal é vista como resultado à tinta da tatuagem e pode resultar em tratamento potencialmente desnecessário e caro.
  
Tatuagem e Sol
A exposição das tatuagens ao sol deve ser evitada, pois as cores podem se modificar e a tatuagem desbotar. Por isso, os cuidados devem ser redobrados no verão. A exposição à radiação solar faz com que a tatuagem perca a cor e o brilho. O sol causa uma reabsorção dos pigmentos, o que deixa a tatuagem com aspecto desbotado e envelhecido. Além disso, todo pigmento é fotossensível, então, quanto mais o local da tatuagem ficar exposto à luz solar, mais risco de ela não se preservar.
   
O ideal é usar protetor solar de amplo espectro UVA/UVB, de preferência com propriedades minerais, que contenham dióxido de zinco e óxido de titânio – estes fazem barreira física à radiação. Deve ser usada uma camada grossa do produto e o mesmo deve ser reaplicado a cada duas horas. As queimaduras solares podem modificar muito a coloração da tatuagem. Os cuidados para quem fez tatuagem há pouco tempo devem ser ainda mais intensos.
 
 Dicas para quem deseja tatuar a pele
  •  Procure sempre profissionais capacitados e conceituados e conheça o seu trabalho antes de se tatuar.
  • Verifique se o estabelecimento tem a aprovação da vigilância sanitária.
  • Comece com uma tatuagem pequena. Fica mais fácil e barato para removê-la mais tarde.
  • Escolha um local de visualização restrita, que seja fácil de ser escondido pela roupa.
  • O pigmento preto e azul escuro são os mais fáceis de serem removidos.
  • Evite tatuagens multicoloridas, são de mais difícil remoção. 
 
 Até há alguns anos atrás a saída era apenas a retirada cirúrgica ou a dermoabrasão. Métodos ainda utilizados em alguns casos, mas que apresentam limitações de acordo com o tamanho da tatuagem e a sua localização. Além disso, como em qualquer cirurgia, há o problema das cicatrizes, que em locais como ombros e tórax, podem se tornar bastante inestéticas, inclusive com risco de formação de cicatrizes hipertróficas (elevadas).
   
Atualmente, já é possível apagar tatuagens sem deixar as cicatrizes do passado, utilizando-se o laser, método mais moderno para esta finalidade. O tratamento é feito em várias sessões, cujo número vai depender do tamanho da tatuagem, da profundidade do pigmento na pele e, também, da cores utilizadas nos desenhos. A tinta preta é a cor mais utilizada, seguida pela azul, verde e vermelha e, depois, amarela e laranja.

Tatuagens mais recentes apresentam uma maior variedade de cores, incluindo tons de rosa, roxo e cores fluorescentes. Nestes casos, para destruir seletivamente todas as cores da tatuagem pode ser preciso utilizar mais de um tipo de laser, pois cada laser atinge uma gama de cores específica. A duração, o preço e a eficiência da remoção da tatuagem depende de muitos fatores. Os pigmentos pretos e azuis são mais fáceis de remover, enquanto o amarelo é mais difícil. Além do tipo de tinta, a profundidade da aplicação do pigmento também é um aspecto decisivo.
   
As sessões não são totalmente indolores, mas o tratamento é bem suportado. Para atenuar o incômodo das aplicações pode ser utilizado um creme anestésico, que é aplicado no local uma hora antes da sessão.
   
No entanto, o tratamento não é mágico. Muitas vezes, não é possível remover toda a tatuagem, pois pigmentos mais profundos persistem deixando uma sombra do que foi a tatuagem. Em outros casos, após a remoção completa, a pele tratada fica mais clara do que a pele ao redor, como uma mancha esbranquiçada, que pode ser transitória ou não. Hiperpigmentação também pode acontecer, deixando a pele mais escura que a pele não tratada.
   
A grande vantagem do laser, é que a pele que não foi tatuada não é atingida pelo tratamento, pois a luz emitida pelo aparelho é atraída seletivamente pelas cores da tatuagem. Em alguns casos, pode ser utilizado um laser ablativo (que destrói as camadas superficiais da pele) antes do tratamento final, para expor melhor os pigmentos ao laser que vai destruí-los. Para que a aplicação seja eficiente é ideal que o paciente não esteja bronzeado para que o laser, que é atraído pela pigmentação se concentre no desenho a ser apagado. Outro efeito possível é que o laser acabe fazendo uma depilação definitiva na região.
   
Inicialmente, o tratamento das tatuagens com o laser era feito com aparelhos que vaporizavam os tecidos, como o laser de argônio e de dióxido de carbono, que apresentavam resultados fracos para a remoção dos pigmentos e alta incidência de efeitos colaterais e complicações, como cicatrizes hipertróficas.
   
O princípio da fototermólise seletiva revolucionou o tratamento das tatuagens. Esta técnica utiliza lasers que atinjam um alvo específico, no caso das tatuagens, um tipo de cor. Este alvo atrai o raio absorvendo a sua energia, o que causa a sua destruição sem dano aos tecidos adjacentes.
   
A partir deste princípio, uma série de lasers foram surgindo e se aprimorando para atuar com grande seletividade para determinadas cores de pigmentos.
   
A remoção total das tatuagens profissionais coloridas é muito mais difícil e demorada, requerendo mais de um tipo de laser e diversas sessões, devido à maior quantidade de tinta empregada, comparada à tatuagem amadora.
 
Laser de corante pulsado: mostrou grande eficácia para o tratamento das cores vermelhas, alaranjadas e amareladas.
Laser Nd YAG de frequência dobrada: trata muito bem pigmentos de cor vermelha e razoavelmente bem os de cor amarela.
Q-Switched Rubi Laser: atua muito bem nas cores azul e preta.
Laser de Alexandrita Q-Switched: tem boa afinidade pelos pigmentos verde azul e preto.
Laser Nd YAG: boa atuação nos pigmentos azul escuro e preto. 
   
É preciso que o médico avalie individualmente cada caso para programar o tratamento que depende da localização, quantidade de cores, tamanho e tipo de pele do paciente.
Cuidados com a Tatuagem
Uns dizem pra usar um plástico filme de PVC nos 4 primeiros dias, e outros dizem para não usar nada para não abafar. O que seria mais adequado?
O plástico filme funciona como um curativo fechado, protegendo a área tatuada contra partículas externas (agentes infecciosos, sujeira, alérgenos), ajudando na "fixação" dos pigmentos e proteção do desenho e facilitando a absorção dos produtos aplicados (pomadas cicatrizantes). É interessante que seja utilizado pelo menos nas primeiras 48h após o procedimento, período em que a ferida está aberta e a pele desprotegida pela ruptura induzida pelas agulhas.
   
O uso não deve ultrapassar três dias, a região dever ser adequadamente higienizada e o plástico trocado 2 x ao dia. O uso prolongado e a limpeza inadequada podem favorecer infecções. O ambiente úmido e aquecido proporcionado pelo filme em contato com a pele pode se transformar em um meio de cultura bacteriana, por isso é importante que esses cuidados sejam seguidos.
 
A tatuagem é uma ferida com pigmentos que ficam na derme. Como seria o procedimento correto de cicatrização?
O procedimento em si, que consiste no microagulhamento da pele para inserção dos pigmentos coloridos na derme, além da presença de agentes estranhos para o organismo (pigmentos), geram um processo inflamatório cutâneo, com ativação do sistema imunológico e das vias de cicatrização. Esse processo caracteriza-se pela vermelhidão e inchaço no local, que atingem um pico em 48-72h, havendo posterior epitelização e recuperação completa da pele em 7 a 14 dias, variando de pessoa para pessoa e de acordo com o local tatuado. A atividade imunológica contra os pigmentos pode durar mais tempo.
  
A composição da tinta de tatuagem mudou drasticamente ao longo dos anos. No passado, os sais de metais - chumbo, cobalto, e de carbono foram utilizados em tintas. Hoje, muitas tintas de tatuagem modernas (especialmente os vermelhos intensos e amarelos) contêm corantes orgânicos azo com plástico à base de pigmentos que também têm usos industriais na impressão, têxteis e pintura do carro. Como resultado, há muitas incógnitas sobre como essas tintas interagem com a pele e dentro do corpo, e, se elas são as responsáveis por um aumento do número de complicações.

A alimentação influi na cicatrização?
Existem suposições de que a alimentação poderia interferir na recuperação da pele após a tatuagem e que alguns tipos de alimentos poderiam favorecer alergias, no entanto, não existem evidências científicas consistentes para sustentar essas afirmações. A presença dos pigmentos na derme, que são considerados corpos estranhos pelo organismo, desencadeia uma reação imunológica, que pode ser intensa e se manifestar na forma de alergia, tanto a curto, quanto a longo prazo. O papel da alimentação (reação cruzada) na indução ou potencialização desse processo é incerto.
   
O que se sabe é que uma alimentação balanceada e saudável é fundamental para o bom funcionamento do organismo, em especial do sistema imunológico, que está envolvido na cicatrização e prevenção de infecções, portanto dieta saudável, rica em proteínas magras, frutas e verduras será sempre recomendada e bem vinda, em especial após procedimentos invasivo.
 
Tatuagens depois de uma semana geralmente coçam muito, qual seria o motivo?
A coceira faz parte do processo cicatricial. A reação inflamatória que o procedimento desencadeia, leva a liberação de algumas substâncias que podem ter ação estimulatória sobre o sistema nervoso local, manifestando-se na forma de prurido (coceira). Recomenda-se não coçar, pois o contato com a mão e unhas, geralmente contaminadas, pode favorecer a penetração de bactérias. Além disso, a ação mecânica do ato de coçar pode arrancar as casquinhas que se formam e tem importante ação no processo cicatricial. As crostas se desprendem quando a pele abaixo se re-epiteliza, arrancá-las pode prejudicar a cicatrização.
   
Em cicatrizes de operações, em quanto tempo a pele se torna integra para ser tatuada?
O processo cicatricial completo demora cerca de 1 ano e meio, antes disso não é recomendado que seja feito nenhum procedimento.
 
Qual cuidados devem ser tomados após a tatuagem?
Ao se fazer uma tatuagem, alguns cuidados básicos são de suma importância para que o desenho fique conforme o desejado, evitando descoloração, infecção e deformidades na tatuagem. O cuidado mais importante é a adequada higienização do local, que deve ser feita 2 x por dia, com sabonete neutro ou antiséptico de linha dermatológica.

No dia em que fizer a tatuagem, recomenda-se evitar banho quente e não molhar a tatuagem, se for possível. Nos dias subsequentes podem ser utilizadas pomadas com propriedades cicatrizantes, como por exemplo as que contém dexpantenol - potente ação emoliente e formação de barreira, favorecendo o processo cicatricial. Pomadas antibióticas, como a Nebacetin, devem ser evitadas, pois são sensibilizantes, podendo desencadear reações alérgicas, além da indução de resistência bacteriana quando utilizadas de forma desnecessária. Antibióticos de uso tópico devem ser utilizados somente quando houver necessidade, sob orientação do dermatologista.
 
A gestação tem alguma restrição quanto a fazer tatuagem? Se sim, sabe informar o tempo que a mãe deve esperar pra se tatuar?
Sim, tatuagens estão contra-indicadas na gestação. Não existem estudos com nível de evidência considerável que comprovem a segurança do procedimento para as gestantes e fetos/bebês. Anestésicos tópicos, que geralmente são utilizados para a execução, também não são recomendados pela falta de evidência de segurança. Somente deve-se pensar em tatuar após o término da amamentação.
 
Alertas
Antes e após fazer a tatuagem é importante ter alguns cuidados para evitar complicações:
  • É fundamental certificar-se da adequação do estúdio as normas sanitárias, o que envolve esterelidade do material utilizado e adequadas condições de assepsia. Verificar se as tintas e equipamentos têm a validação da ANVISA no rótulo, além de procurar sempre um profissional de confiança.
  • Na hora de escolher a região do corpo a ser tatuada, também é preciso cuidado. Por exemplo, não é recomendável que a tatuagem seja feita sobre pintas, pois isso pode dificultar a avaliação médica de eventuais mudanças da lesão, mascarando sinais de um possível câncer de pele.
  • Pessoas com histórico de quelóide ou cicatriz hipertrófica não devem tatuar, pois a tatuagem pode cicatrizar com formação de novas lesões.
  • A exposição das tatuagens ao sol deve ser evitada, pois as cores podem se modificar e a tatuagem desbotar. Por isso, os cuidados devem ser redobrados no verão. A exposição à radiação solar faz com que a tatuagem perca a cor e o brilho. O sol causa reabsorção e oxidação dos pigmentos, o que deixa a tatuagem com aspecto desbotado e envelhecido. Além disso, todo pigmento é fotossensível, então, quanto mais o local da tatuagem ficar exposto à luz solar, mais risco de ela não se preservar. O ideal é usar protetor solar de amplo espectro UVA/UVB, de preferência com propriedades minerais, que contenham dióxido de zinco e óxido de titânio (barreira física à radiação). Deve ser usada uma camada grossa do produto, reaplicada a cada duas horas. As queimaduras solares podem modificar muito a coloração da tatuagem. Os cuidados para quem fez tatuagem há pouco tempo devem ser ainda mais intensos.
  • Evitar praia, piscina, clube e principalmente academia (ambiente extremamente contaminado) até que a cicatrização esteja totalmente estabelecida, pois são focos infecção.
Remoção de Tatuagens
Até há alguns anos atrás a saída era apenas a retirada cirúrgica ou a dermoabrasão. Métodos ainda utilizados em alguns casos, apresentam limitações de acordo com o tamanho da tatuagem e a sua localização. Além disso, como em qualquer cirurgia, há o problema das cicatrizes, que em locais como ombros e tórax, podem se tornar bastante inestéticas, inclusive com risco de formação de cicatrizes hipertróficas (elevadas).
   
Atualmente, já é possível apagar tatuagens sem deixar as cicatrizes do passado, utilizando-se o laser, método mais moderno para esta finalidade. O tratamento é feito em várias sessões, cujo número vai depender do tamanho da tatuagem, da profundidade do pigmento na pele e, também, da cores utilizadas nos desenhos. A tinta preta é a cor mais utilizada, seguida pela azul, verde e vermelha e, depois, amarela e laranja. Tatuagens mais recentes apresentam uma maior variedade de cores, incluindo tons de rosa, roxo e cores fluorescentes. Nestes casos, para destruir seletivamente todas as cores da tatuagem pode ser preciso utilizar mais de um tipo de laser, pois cada laser atinge uma gama de cores específica. A duração, o preço e a eficiência da remoção da tatuagem depende de muitos fatores. Os pigmentos pretos e azuis são mais fáceis de remover, enquanto o amarelo é mais difícil. Além do tipo de tinta, a profundidade da aplicação do pigmento também é um aspecto decisivo.
   
As sessões não são totalmente indolores, mas o tratamento é bem suportado. Para atenuar o incômodo das aplicações pode ser utilizado um creme anestésico, que é aplicado no local uma hora antes da sessão.
   
No entanto, o tratamento não é mágico. Muitas vezes, não é possível remover toda a tatuagem, pois pigmentos mais profundos persistem deixando uma sombra do que foi a tatuagem. Em outros casos, após a remoção completa, a pele tratada fica mais clara do que a pele ao redor, como uma mancha esbranquiçada, que pode ser transitória ou não. Hiperpigmentação também pode acontecer, deixando a pele mais escura que a pele não tratada.
   
A grande vantagem do laser, é que a pele que não foi tatuada não é atingida pelo tratamento, pois a luz emitida pelo aparelho é atraída seletivamente pelas cores da tatuagem. Em alguns casos, pode ser utilizado um laser ablativo (que destrói as camadas superficiais da pele) antes do tratamento final, para expor melhor os pigmentos ao laser que vai destruí-los. Para que a aplicação seja eficiente é ideal que o paciente não esteja bronzeado para que o laser, que é atraído pela pigmentação se concentre no desenho a ser apagado. Outro efeito possível é que o laser acabe fazendo uma depilação definitiva na região.
   
Inicialmente, o tratamento das tatuagens com o laser era feito com aparelhos que vaporizavam os tecidos, como o laser de argônio e de dióxido de carbono, que apresentavam resultados fracos para a remoção dos pigmentos e alta incidência de efeitos colaterais e complicações, como cicatrizes hipertróficas.
 
O princípio da fototermólise seletiva revolucionou o tratamento das tatuagens. Esta técnica utiliza lasers que atinjam um alvo específico, no caso das tatuagens, um tipo de cor. Este alvo atrai o raio absorvendo a sua energia, o que causa a sua destruição sem dano aos tecidos adjacentes.
   
A partir deste princípio, uma série de lasers foram surgindo e se aprimorando para atuar com grande seletividade para determinadas cores de pigmentos.
   
A remoção total das tatuagens profissionais coloridas é muito mais difícil e demorada, requerendo mais de um tipo de laser e diversas sessões, devido à maior quantidade de tinta empregada, comparada à tatuagem amadora.
 
Laser de corante pulsado: mostrou grande eficácia para o tratamento das cores vermelhas, alaranjadas e amareladas.
Laser Nd YAG de frequência dobrada: trata muito bem pigmentos de cor vermelha e razoavelmente bem os de cor amarela.
Q-Switched Rubi Laser: atua muito bem nas cores azul e preta.
Laser de Alexandrita Q-Switched: tem boa afinidade pelos pigmentos verde azul e preto.
Laser Nd YAG: boa atuação nos pigmentos azul escuro e preto. 
   
É preciso que o médico avalie individualmente cada caso para programar o tratamento que depende da localização, quantidade de cores, tamanho e tipo de pele do paciente. 
« Voltar