(11) 5185-0570

(11) 99907-6292

Av. Arnolfo de Azevedo, 84 - Pacaembú - São Paulo - SP - 01236-0360

Pernas

Que tratamentos estéticos são indicados para manter as pernas sempre bonitas? Em quanto tempo é possível ver os resultados desses tratamentos?

Tratamentos mais utilizados e suas especificações:
Drenagem linfática: A drenagem linfática é uma massagem que reduz o edema (inchaço) do corpo. As manobras ajudam na eliminação de líquidos que extravasam dos vasos e ficam acumulados nos tecidos. Os movimentos devem ser suaves e lentos seguindo o trajeto do sistema linfático e fazendo com que esse líquido retido seja inserido nos vasos linfáticos e posteriormente eliminado através do sistema urinário.
 
Linfa, é o nome que se dá ao fluido que circula nos vasos linfáticos, constituído por água, uréia, linfócitos (células que conferem imunidade), sais e proteínas. Os vasos sanguíneos liberam sangue entre os tecidos, oxigenando-os e nutrindo-os. Os vasos linfáticos reabsorvem parte desse líquido excedente, já com resíduos metabólicos, toxinas que o organismo desprezou e eliminou.

Este líquido, chamado linfa, é, portanto, o fluido que sobra, depois que os tecidos metabolizaram os componentes sanguíneos responsáveis pela produção de energia. A perfeita drenagem desse líquido impede edemas (inchaços) e retenção excessiva e tem função de defesa imunológica. A drenagem linfática facilita esse processo, acelerando-o.

A celulite é formada por gordura, líquido e traves de tecido conjuntivo que aprisionam os nódulos de gordura. Sendo assim, a manipulação da gordura, das traves fibrosas e do líquido retido, favorece sua eliminação através do sistema linfático e sua metabolização, aumenta a chegada de sangue no local e aumenta as trocas metabólicas - a velocidade de todos estes processos aumenta. Por isso, a retenção de líquido que há na celulite diminui com a drenagem linfática. Assim sendo, a drenagem linfática está indicada para todos os graus de celulite.
 
Massagem modeladora: Sabe-se que a drenagem linfática facilita à eliminação dos nódulos de celulite e gordura localizada. Nos últimos anos, aliou-se os benefícios de drenagem dos líquidos à manipulação do tecido adiposo (gordura). Então, o que temos atualmente sob o conceito de massagem modeladora, na realidade, é uma massagem que atinge esses dois alvos - o linfático e o gorduroso.

Enquanto o primeiro alvo requer apenas manobras suaves, o segundo exige certa energia e pressão mais forte para ser bem efetiva. Se a finalidade está focada na gordura e celulite, o procedimento pode doer um pouco e deixar alguns hematomas, graças à manipulação do tecido adiposo, com manobras mais firmes e enérgicas.

A manipulação vigorosa da gordura provoca vasodilatação e aumenta a velocidade de metabolização, tendendo à suavização de contornos irregulares e à redistribuição harmônica da gordura, principalmente se aliada à dieta. O metabolismo pode se acentuar nos locais que estão sendo massageados com energia e força.

A massagem modeladora é indicada para todos os graus de celulite, desde que esteja associada à presença de gordura localizada.
 
Ultrassom: O ultrassom terapêutico tem se mostrado eficaz como recurso auxiliar na redução de medidas e no combate a gordura localizada e celulite por ter sua ação efetivamente potencializada através da fonoforese. O efeito mecânico e/ou térmico do ultrassom promove modificações nas ligações intercelulares e aumento da permeabilidade da membrana celular, promovendo a difusão de substâncias através da pele.

O ultrassom (US) é uma modalidade de penetração profunda, capaz de produzir alterações nos tecidos, por mecanismos térmicos e não-térmicos. Os efeitos térmicos dentro dos tecidos são resultantes diretos da elevação da temperatura do tecido, provocada pelo ultrassom, variando de acordo com o coeficiente de absorção e a espessura do meio absorvedor.

Destacam-se, entre os efeitos não-térmicos do ultrassom, a micro-massagem, o aumento da permeabilidade celular, variação do diâmetro arteriolar e cavitação. Estudos revelam que em relação à atuação das ondas ultrassônicas no tecido adiposo, devemos considerar o fato de que na gordura o coeficiente de absorção é baixo, decorrente da homogeneidade do tecido, absorvendo pouca energia ultrassônica, sendo pouco provável a sua ação lipolítica.

A fonoforese é o termo que descreve a introdução de substâncias medicamentoso-cosméticas através da pele, mediante a energia ultrassônica. Dentre os ativos lipolíticos mais utilizados estão: a cafeína; a centella asiática; a cavalinha; a ioimbina; e a aminofilina, dentre outras. Suas funções principais são: o incremento circulatório; a ativação da lípase; a inibição e/ou ativação de alguns receptores de membrana; e a potencialização da termogênese.

Através desses mecanismos de ação e da penetração cutânea facilitada pelo ultrassom, essa modalidade terapêutica atuaria na melhora da celulite. No entanto, não existem evidências científicas suficientes para comprovar a real eficácia desse método na melhora da celulite, mais estudos ainda são necessários. A indicação, em tese, seria para celulite de graus mais avançados e associada à gordura localizada
 
Endermologia: A endermologia é um tratamento não invasivo que recorre a um aparelho motorizado (composto por um sistema de sucção e dois rolos) que, à medida que vai enrolando e desenrolando a pele, torna-a mais lisa, com menos irregularidades.

Os movimentos do aparelho estimulam a circulação sanguínea e a drenagem linfática, diminuindo consequentemente a celulite. É indicada no tratamento da celulite de graus I a III e como adjuvante no tratamento de gordura localizada.
 
Radiofrequência: Um aparelho que age através da radiofrequência proporciona a quebra de gordura em diferentes níveis da pele. O procedimento de quebra ocorre devido ao aquecimento volumétrico que propicia o aumento da tonicidade da pele e a compactação dos adipócitos.

O aparelho utiliza a radiação eletromagnética de alta frequência para estimular a produção do colágeno, que constitui as fibras reticulares e é responsável pelo fortalecimento dos tecidos. Essa radiação não danifica a pele e age de forma não invasiva, ou seja, não causando nenhum rompimento de tecido. Com as ondas eletromagnéticas, o procedimento estimula a agitação das moléculas de água, ou seja, a energia eletromagnética proveniente do aparelho transforma-se em energia térmica.

O calor provoca a formação de um novo colágeno na região. Através do aquecimento volumétrico, que ocorre em todos os tecidos que contém moléculas de água, a radiofrequência estimula o metabolismo das células adiposas e as fibras do colágeno. Esse estímulo, por sua vez, provoca a quebra da gordura e reduz a gordura localizada.

A radiofrequência é responsável pela aceleração do metabolismo nas células e realiza uma drenagem linfática, que estimula a eliminação das impurezas produzidas pelo metabolismo. Está indicada para todos os graus de celulite e principalmente para os casos em que há flacidez associada.
 
Mesoterapia: A mesoterapia é uma técnica efetuada por meio da aplicação de um coquetel de medicamentos, com diferentes mecanismos de ação, que promovem a diminuição da gordura no local tratado. São aplicadas injeções de substâncias que agem contra a  celulite e gordura localizada. O princípio básico da mesoterapia é a aplicação de medicamentos próximos ao local onde irão agir.

Então, uma pequena quantidade aplicada no local alvo terá uma forte ação neste local , e quando absorvida e distribuída no resto do organismo, haverá diluição e os possíveis efeitos colaterais serão diminuídos. Mesoterapia é apenas uma maneira de administração de medicamentos, pode ser excelente, inútil ou até prejudicial dependendo de quem realiza o tratamento ( que deve ser sempre um médico treinado e habituado com a técnica), do tipo de medicamento aplicado, do problema à ser tratado e do órgão alvo onde foi feita a aplicação.

Os medicamentos usados em mesoterapia são lipolíticos, ou seja, destroem a gordura do tecido. É fundamental à associação do tratamento com a prática de atividades físicas, ingestão de líquidos e alimentação balanceada.
 
Fotomologia: Atuação nas células de gordura, através de mecanismo de ação que combina a energia do laser de diodo, da luz e o vácuo, para seletivamente agir sobre os componentes responsáveis pelo aparecimento da celulite.

Luz: Produz aumento da permeabilidade celular e emulsificação da gordura. melhora a oxigenação do tecido.

Laser: Modifica a célula gordurosa, provocando liquefação da gordura e estímulo da produção decolágeno pelo calor.

Massagem: Promove drenagem e eliminação da gordura.
 
Aparelhos que combinam tecnologias:
Ex: Tratamento da celulite através de luz infra-vermelha, radiofreqüência, sucção e massagem. Equipamento que oferece o sistema ELOS (electro optical synergy). Sinergia de técnicas possibilita melhores resultados.
1 – Infra-vermelho: Estimula a produção de colágeno e a remodelação corporal.
2 – Radiofrequência: Aumenta a difusão do oxigênio dentro da célula e destrói o tecido gorduroso.
3 – Sucção: melhora circulação sanguínea.
4 – Massagem mecânica: Melhora da drenagem linfática.
 
Subcisão: Os casos mais avançados de celulite, quando se formam "buracos" sobre a pele das nádegas e parte alta das coxas, podem ser tratados com cirurgia e anestesia local. Estas depressões da pele são formadas por septos fibrosos subcutâneos que puxam a superfície da pele para baixo, dando o aspecto de casca de laranja. A técnica, chamada de subcisão, consiste exatamente na eliminação destes septos e preenchimento do espaço deprimido.

Uma agulha de ponta cortante é introduzida sob a pele provocando o seu descolamento e sangramento no local. Este sangramento forma um hematoma que se reorganiza dando formação à novo tecido colágeno, que preenche o espaço. No caso da cirurgia para o tratamento da celulite, a agulha "bisturizada" é usada para cortar os septos fibrosos abaixo da pele, causadores das depressões da celulite em estágio avançado.

O corte interrompe a tração exercida pelos septos sobre a pele, que é liberada e se eleva, corrigindo as depressões características da celulite. Além disso, como a agulha também atinge vasos sanguíneos, o hematoma dará origem a novo tecido conjuntivo, que ocupará o espaço antes deprimido. O período pós-operatório é longo – cerca de 30 dias – e exige cuidados especiais da paciente, como o uso de cinta compressiva, além de acompanhamento médico.

Formam-se grandes manchas roxas que posteriormente serão reabsorvidas pelo organismo. Por tratar-se de um procedimento cirúrgico, só pode ser realizado por médicos treinados para a correta execução da técnica.
 
Que cosméticos podem quebrar o galho de quem não pode fazer tratamentos?
Existem inúmeros produtos no mercado que contém em sua composição cafeína, retinóides, centella asiática, castanha da índia, L-carnitina, extrato de chá verde, alfa-hidróxiácidos, xantinas etc. Teoricamente esses compostos agiriam no metabolismo local da gordura, promoveriam lipólise, estímulo à microcirculação, estímulo a produção de colágeno (aumento do tônus da pele), entre outas ações.

Carecemos de estudos que comprovem o nível de eficácia desses produtos. O uso de cremes, isoladamente, sem mudanças na alimentação, prática de atividades físicas etc, não surte efeitos milagrosos na melhora da celulite, gordura localizada, flacidez e aspecto da pele.
 
Porque as pernas ressecam mais facilmente que outras partes do corpo? Como evitar que isso aconteça e ter pernas sempre bem hidratadas? Que outros fatores podem causar o ressecamento e o que podemos fazer para evitá-lo?
A pele normal possui um percentual de hidratação necessário para que ela possa exercer suas funções adequadamente. Vários fatores podem influir neste percentual, deixando a pele ressecada: Fatores climáticos, como o vento, o sol, frio intenso e o ar seco, favorecem a evaporação da água através da pele, diminuindo o seu grau de hidratação.

Substâncias químicas, como sabões e detergentes, eliminam a gordura da pele, afetando o manto lipídico que ajuda a reter a umidade natural da pele, deixando-a desprotegida e favorecendo a desidratação. Com o processo de envelhecimento, o teor de água da pele diminui. Por isso, é comum que pessoas idosas apresentem a pele mais seca. Algumas doenças como dermatite atópica, psoríase e ictiose, provocam alterações na pele que modificam sua hidratação natural. As alterações provocadas pelo excesso de sol na pele, o fotoenvelhecimento, também favorecem a sua desidratação.
   
A pele desidratada pode ter sua função de proteção comprometida, além de ganhar aspecto opaco, áspero, sem elasticidade e com tendência à descamação. A pele ressecada é mais frágil e sujeita a irritações. Para evitar o ressecamento, é importante:
  • Beber bastante líquidos, aproximadamente 2 litros por dia.
  • Proteger a pele das agressões externas, evitando o sol em excesso e sem proteção solar.
  • Nas áreas de pouca oleosidade, não deve-se utilizar sabonetes em demasia, bucha e água muito quente, para não diminuir ainda mais o manto lipídico.
  • Caso sejam tomados mais de um banho por dia, os sabonetes devem ser usados no corpo todo apenas em um dos banhos. Nos outros, usar apenas nos locais de dobras de pele (virilha, axilas, etc.) ou de maior oleosidade.
  • Evitar produtos que contenham álcool em sua fórmula, pois também podem ressecar a pele.
  • Utilizar hidratantes logo após o banho, nas áreas que apresentem sinais de ressecamento

O hidratante adequado vai depender das características da pele de cada pessoa. O profissional mais habilitado para avaliar o tipo de pele e os produtos mais indicados para ela é o médico dermatologista.
 
Algumas vezes, o ressecamento da pele pode ser provocado por doenças que desencadeiam descamação como: a dermatite atópica, a psoríase e a ictiose, entre outras. Nestes casos, é importante que o dermatologista diagnostique qual é a causa da descamação para indicar o tratamento mais adequado.

Banho com água muito quente, prolongado e com uso de buchas, prejudica a saúde da pele. A pele tem uma camada natural de proteção, composta basicamente por água e lipídios (gordura), que promove a hidratação cutânea natural, tornando-a mais resistente às agressões externas.

Essa camada protetora é removida quando água muito quente entra em contato com a pele. O banho prolongado e o uso de buchas promovem remoção ainda mais intensa do manto hidro-lipídico. Sem a camada emoliente e protetora, a pele fica ressecada e sensível, havendo aparecimento de vermelhidão, coceira e ardência.

Indivíduos que têm pele seca sofrem ainda mais, devido ao agravamento do quadro cutâneo pré-existente. No entanto, peles oleosas também são prejudicadas, pois ao detectar a retirada da oleosidade necessária, ocorre um mecanismo rebote de defesa orgânica, com aceleração da produção de gordura pelas glândulas sebáceas, levando ao aumento posterior da oleosidade.

O ideal é tomar banho com água morna e demorar o mínimo necessário, evitar o uso de buchas é fundamental. Usar sabonetes suaves, de glicerina, com hidratantes e pouco perfume, de preferência os destinados aos bebês, pois possuem menos substâncias químicas em sua composição. Após o banho, principalmente as pessoas com pele seca, devem aplicar hidratante específico para seu tipo de pele, preferencialmente indicado por um dermatologista. Imediatamente após o banho, quando a pele ainda está úmida, ocorre maior absorção e efetividade emoliente do produto, por isso, esse é o momento ideal para hidratar a pele.

Quanto mais quente for a água e quanto mais tempo você ficar imerso,  maiores serão os efeitos de desidratação da pele. A temperatura ideal do banho é a mesmo do corpo, ou seja, por volta de 36°, entre 26° e 37° é aceitável e os efeitos adversos não serão intensos, claro, que desde que você não permaneça muito tempo na água. O ideal é ficar no banho no máximo 15 minutos. A água deve estar morna para fria, devendo ser notada pela própria sensação na pele. Não devemos sentir calor durante o banho.
   
Primeiramente, devemos evitar banhos muito quentes, prolongados e o uso de buchas. Isso é válido, principalmente, para quem tem pele seca e sensível. O ideal é tomar um, ou no máximo dois banhos ao dia, com água morna e duração de no máximo 15 minutos. Caso sejam tomados mais de um banho por dia, os sabonetes devem ser usados no corpo todo apenas em um dos banhos; nos outros, usar apenas nos locais de dobras de pele (virilha, axilas, pés etc) ou de maior oleosidade. Opte sempre por sabonetes neutros, de glicerina, com pouco perfume e corante; os destinados aos bebês possuem menos substâncias químicas, assim sendo, são menos capazes de desencadear hipersensibilidade e irritar a pele. Evitar produtos que contenham álcool na sua fórmula, pois podem ressecar e irritar ainda mais a pele. Os hidratantes devem ser utilizados logo após o banho, no momento em que a pele ainda está úmida, pois a absorção e efetividade dos agentes emolientes ficam potencializadas. O ideal é que o hidratante seja indicado pelo dermatologista, pois o mesmo avaliará a pele do paciente e indicará o produto mais adequado. 
 
 
O tipo de depilação influencia nisso? Existe um tipo de depilação mais indicado para cada tipo de pele (tom, quantidade de pelos, propensão ao ressecamento ou ao aparecimento de vasos)? Após o processo depilatório (que agride a pele de alguma forma), que tipo de produto se deve usar e quando (imediatamente ou no dia seguinte)?
O ideal é escolher o método que mais se adapte ao seu tipo de pele. Indivíduos com pele sensível, por exemplo, devem evitar o uso de cera. Para quem tem tendência à formação de pelos encravados, o laser é uma boa opção. Quando os fios são volumosos e grossos, a pele fica mais sujeita à irritação e ao encravamento. Qualquer forma de depilação que puxe os pêlos pela raiz (ou seja, com o bulbo capilar), como é o caso das ceras e dos aparelhos elétricos, propicia o encravamento dos fios, já que, quando voltam a nascer, alguns não conseguem romper a superfície da epiderme. A Tolerância à dor é outro fator que deve ser levado em consideração. O limiar de dor é diferente para cada indíviduo, alguns não toleram a depilação com cera fria, por exemplo, que é mais agressiva e dolorosa.
  
Métodos: Vantagens e Desvantagens
Lâmina
Vantagens: Baixo custo e rapidez na remoção dos pelos. Não exige maiores habilidades, a não ser cortar na direção do crescimento dos pêlos. Pode ser utilizada para remoção de pêlos de qualquer tamanho e espessura.

Desvantagens: Não há o risco de aumentar o pêlo ou deixá-lo mais grosso. O problema é que, como a lâmina corta o pêlo rente à pele, ele pode crescer mais rápido, irritar e assim encravar, manchando a pele. Também pode causar coceiras na fase do crescimento. Pessoas com alergia a níquel não podem utilizá-la.
 
Aparelhos elétricos
Vantagens: Os pêlos demoram a crescer, a depilação pode ser feita em casa e não exige um tamanho ideal do pêlo para a remoção. Hoje existem vários tipos de depiladores, sempre em busca de formas para amenizar o desconforto por conta da retirada dos pêlos pela raiz. Também é possível encontrar aparelhos que conseguem arrancar até os pelos mais curtinhos, inclusive de áreas sensíveis, como virilha e axilas.

O fato da mulher poder usá-lo sozinha é prático e moderno, principalmente por ser uma técnica muito mais duradoura do que a lâmina. O custo-benefício pode valer a pena, já que há apenas um investimento inicial na compra do aparelho, que possui grande durabilidade. Elimina o risco de contaminação, já que seu uso é individual.

Desvantagens: É doloroso e algumas pessoas não se adaptam à técnica. Se o pêlo for mais fino, o método pode provocar foliculite (pêlo encravado). A forte tração tende a arrebentar o pêlo, incidindo em alguns casos, em inflamação da pele.
 
Cremes depilatórios
Vantagens: Atua quimicamente sobre o pêlo, que amolece e é eliminado. Ação semelhante à lâmina, que corta o fio logo após sua saída pela superfície da pele. Não demandam um tamanho ideal de pêlo para a realização do procedimento. Método não doloroso.

Desvantagens: Quebram e cortam o pêlo, mas não removem a raíz. Resultados transitórios e podem provocar irritações na pele. Alguns tem um cheiro não muito agradável e ressecam a pele.
                                                                                                                        
Cera
Vantagens: O pêlo demora mais para nascer, uma vez que foi arrancado completamente, até que um novo chegue à superfície da pele passarão de 20 a 25 dias. Por aumentar a temperatura da pele, a cera quente dilata o poros e o processo de retirada do pêlo torna-se menos doloroso.

Desvantagens: A principal é a dor. Para quem tem predisposição a pêlo encravado, o método é contraindicado. Outro alerta: a cera quente reutilizada em institutos especializados pode ser fonte de infecção.
 
Linha
Vantagens: É um método feito com linha de costura, 100% poliéster, que foi criado pelos antigos. Permite arrancar os pêlos com maior eficiência do rosto, sobrancelhas, numa seqüência de movimentos firmes da mão. Há quem recorra ao método na virilha ou axila, porém costuma provocar mais dor nestas regiões.

Desvantagens: Trata-se de um trabalho manual delicado, no qual é necessário excelente habilidade para manipular bem uma linha de costura que pode eliminar até 95% dos pelos. Se a linha não for bem manejada, corre-se o risco de sofrer cortes. A fricção da linha pode irritar peles em tratamento.
 
Laser
Vantagens: Exige tratamento seriado com controle (10% a 15% a cada sessão realizada), pois depende das diferentes fases do crescimento dos pêlos. Usa tecnologia avançada com laser de diodo, alexandrita, yag e a luz intensa pulsada (LIP).

As sessões são um pouco desconfortáveis, mas a dor é tolerável com emprego de resfriadores da pele e anestésicos tópicos. Possibilita a redução programada dos pêlos. Excelente indicação para quem tem tendência a pêlos encravados. Quanto mais clara for a pele e mais escuro e grosso o pêlo, mais efetivo é o tratamento.

Desvantagens: Durante o tratamento não se deve expor a pele ao sol. Pêlos brancos, loiros e ruivos não são removidos. Custo alto.
 
Dicas para depilação ideal:
  • A pele deve estar muito limpa (sem resíduos de hidratantes, óleos ou sujeira);
  • A depiladora precisa usar máscara e luvas;
  • A temperatura da cera quente deve ser regulada para evitar queimaduras;
  • Use sempre material descartável. O aquecimento não mata todos os fungos e bactérias;
  • O pêlo deve ser puxado paralelo à pele (e não pra cima);
  • Cuidado com as ceras feitas em casa com açúcar, mel e limão, pelo risco de queimadura;
  • Utilize as loções pós-depilação, que ajudam a cicatrizar e regenerar a pele;
  • Depile-se após o banho. O vapor abre os poros e amolece os pelos;
  • Evite expor a pele à água do mar e piscina e usar perfumes por 24 horas após a depilação, para evitar irritações e infecções;
  • Em áreas com irritação, inflamação, ferimentos, verrugas ou veias varicosas, jamais deve ser passada a cera ou gilete;
  • Acalme e hidrate a pele depois, com um pós-depilatório sem álcool.
  • Não manipule os pêlos encravados;
  • Não use roupas apertadas ou sintéticas.
 
Esfoliar sempre faz bem ou há momentos em que não se deve? De quanto em quanto tempo é bom esfoliar as pernas e quais os benefícios de se fazer isto?
Os esfoliantes servem para retirar as células mortas que ficam na superfície da pele. Com a pele mais fina, os hidratantes e outros dermocosméticos conseguem agir melhor, pois têm maior penetrabilidade. A esfoliação é uma maneira de realizar um peeling mecânico, uma forma de retirar as células mortas que se formam diariamente impedindo a pele de ficar sedosa, limpa e com viço. Por apresentar uma textura uniforme, a pele esfoliada também está mais bem preparada para receber o sol e não ficar com cores diferentes. Assim, de um modo geral, a esfoliação é o processo de remoção de células mortas da camada superficial da pele. Este processo melhora o aspecto e a textura da pele, ao expor as suas camadas mais jovens e saudáveis e desobstruir os poros. Além disso, previne o aparecimento de pêlos encravados e acne. Ao esfoliar, limpamos a pele de forma mais profunda,  eliminando impurezas, que de outra forma e apesar da higiene diária, se acumulariam. A esfoliação também estimula a circulação sanguínea local, promove a renovação celular e pode clarear manchas.
   
A esfoliação remove a camada córnea, que retém água na derme, portanto, deve-se ter cuidado nas peles secas, pois se não forem hidratadas adequadamente após a esfoliação, podem ressecar ainda mais. Pacientes com dermatite atópica, psoríase, eczemas e demais dermatoses que alteram a epiderme (camada mais superficial da pele) também devem evitar a esfoliação, pelo risco de piora das lesões, uma vez que a pele já se apresenta fragilizada.
   
O ideal é que a esfoliação seja feita com a pele úmida, durante o banho, já que o vapor da água quente dilata os poros e isso facilita a tarefa de limpeza da pele. Deve ser aplicado um produto que contenha grânulos suavemente abrasivos, para não agredir demais. Pode-se usar uma esponja macia para fazer movimentos circulares e delicados na região. Podendo escolher o horário para o tratamento, opte pela noite, pois a pele fica hidratada, absorvendo bem o produto durante o período do sono.
   
A frequência depende do tipo de pele e do produto utilizado. Os esfoliantes suaves podem ser utilizados diariamente, enquanto os com maior poder de esfoliação possuem uso mais restrito. A esfoliação corporal dever ser feita uma ou duas vezes por semana e sempre que se pretender aplicar algum tratamento à pele.
  
Qual a forma ideal para bronzear as pernas? Quais os melhores horários e que tipo de produtos se deve usar? Existe algum risco ao usar autobronzeador o ano todo?
Antes de mais nada, nunca tente adquirir a cor de um verão inteiro no primeiro dia de férias. Você deve entender que o bronzeado só vai começar a aparecer 48 a 72 horas após a primeira exposição solar. Este é o tempo necessário para que a melanina (pigmento que dá cor à pele) seja produzida e liberada pelas células. É um processo gradual e não adianta exagerar no sol para tentar apressá-lo.
   
Proceda assim: durante a primeira semana, chegue na praia antes das 9 horas, exponha-se por 20 minutos ao sol e então aplique generosamente o protetor solar, sempre com FPS 30 ou maior. Lembre-se de que o protetor leva de 20 a 30 minutos para atingir sua proteção máxima e de que, mesmo com filtro solar, uma parte da radiação ultravioleta está atingindo sua pele e estimulando o bronzeamento. Reaplique o protetor a cada 2 horas ou sempre que mergulhar ou suar muito. Não esqueça de usar bonés e barraca de praia, principalmente no horário entre 10 e 16 horas.
   
Se você não consegue acordar cedo nas férias, e chega na praia sempre no pior horário, aplique o filtro solar assim que chegar. Como ele vai levar 20 a 30 minutos para agir e a intensidade de radiação solar neste horário é muito maior, você já estará recebendo estímulo suficiente para o bronzeamento, que vai aparecendo aos poucos.
   
Acredite e experimente, em poucos dias você estará com a cor desejada e sem queimaduras. É fácil ver se está funcionando. A partir do terceiro dia, verifique sua marca de biquini ou calção, você vai ver a diferença. Uma vez que você adquiriu seu bronzeado, basta continuar o esquema acima para manter a cor e sua pele estará mais saudável, sem o sofrimento das queimaduras e sem descascar.
   
Mas veja bem, se você tem fototipos I e II (conheça o seu fototipo), dificilmente você se bronzeará, portanto, não adianta insistir, você só vai danificar a sua pele. No seu caso, você deve assumir sua condição e buscar outro padrão de beleza, que já começa a ganhar força no meio artístico e da moda, a pele branca, sem manchas.
 
Auto-bronzeadores: uma opção para o bronzeamento
Os auto-bronzeadores, são cremes ou locões com dihidroxiacetona, substância que provoca uma reação química na pele, escurecendo-a. Esta reação provoca a pigmentação da camada mais externa da pele (camada córnea), dando uma cor semelhante à do bronzeamento. Os produtos não estimulam a produção da melanina, pigmento que dá a cor natural da pele portanto, na verdade, não estão bronzeando, apenas tingindo a camada córnea.
   
Não causam mal algum, a não ser naqueles que tenham alergia ao produto. O inconveniente é que, em algumas pessoas, a coloração resultante não fica muito natural, por isso recomenda-se experimentar o produto em uma pequena parte da pele para ver se a cor fica boa e aí então aplicar no resto do corpo. O produto deve ser reaplicado em intervalos que variam de 2 a 5 dias para se manter a cor, e são uma boa opção para aqueles que não dispensam uma "corzinha" no verão mas querem manter a pele saudável.Os auto-bronzeadores não devem, entretanto, ser confundidos com protetores solares pois a coloração resultante do seu uso nao confere proteção contra o sol.
 
Dicas gerais para os dias quentes:
Os cuidados básicos são, alimentação equilibrada; ingerir muito liquido; tomar sol na medida certa.; usar constantemente filtro solar passando em toda o corpo, várias vezes ao dia e de maneira adequada, espalhando-o bem; usar chapéu e óculos escuros e hidratantes pós-sol.

Os produtos à base de vitaminas, principalmente as vitaminas C e E, antioxidantes, neutralizam as ações danificadoras dos raios ultravioleta. 

1- Hidratar
Alguns cuidados são importantes para preparar a pele para os dias quentes como beber muito liquido, usar sabonete neutro, tomar banho rápido, tomar banho não muito quente e passar hidratante 1x/dia.

2- Nutrir
Usar hidratantes com uréia, lactato de amônio, ácido hialurônico, vitaminas E, A e C que também ajudam a manter o bronzeado. O hidratante pode e deve ser usado após o banho, pois a pele está mais receptiva a penetração do mesmo. Mãos e pés, assim como cotovelos e joelhos devem ser mais hidratados.

3- Esfoliar
As primeiras esfoliações antes da exposição ao sol, depois do inverno, são as mais importantes para que o bronzeado seja bonito e saudável. A esfoliação é interessante para "eliminar as células mortas e tornar a pele mais homogênea. Esfoliar com produtos como grânulos de polietileno, produtos abrasivos com sementes naturais como apricot, hamamélis e uva, também ajudam na hidratação da pele. Esfoliar 1x semana, ajuda a pigmentação tornar-se regular e persistente.

4- Tomar sol aos poucos
Se a pessoa estiver muito "branquinha" não adianta tomar 10 horas de sol para forçar o bronzeamento. O que ocorrerá é queimadura, dano intenso da pele, formação de bolhas e descascamento, além do aumento do risco de câncer de pele no futuro. O ideal é ir tomando sol aos poucos sempre com filtro solar. A pele vai ficando morena gradualmente e o bronzeado dura mais tempo.

5- Usar protetor solar sempre
O filtro solar protege a pele da radiação e permite que você adquira uma cor mais saudável. Ele deve ser passado 30 minutos antes da exposição ao sol. Deve ser bem espalhado e re-aplicado de 2/2h.

6- Usar autobronzeador
O autobronzeador ou bronzeador sem sol, promove a mudança da cor da pele sem a necessidade da exposição à radiação ultravioleta. Além disso, ajuda a diminuir a ansiedade de adquirir a cor rapidamente. Usando a dihidroxiacetona dias antes de começar a exposição ao sol haverá um certo grau de proteção e também menos pressa, pois a pele já estará bronzeada e bonita. É importante ressaltar que os autobronzeadores não substituem o uso do protetor solar, que sempre deve ser utilizado por oferecer proteção, diferentemente do autobronzeador, que bronzeia, mas não protege.

7- A alimentação no verão deve ser leve e saudável
Comer cenoura, mamão, laranja, tomate, ajuda a conseguir um melhor bronzeado. É a ação do betacaroteno, que tem ação contra os radicais livres induzidos pela radiação solar. Assim sendo, o bronzeado durará mais tempo.
 
Como evitar o aparecimento de vasinhos e outros problemas circulatórios que afetam o visual das pernas? Como disfarçar os vasinhos?
Varizes são veias dilatadas nas pernas e pés, que atingem 70% das pessoas com até 70 anos e, além de prejuízos estéticos, podem causar dor, desconforto, inchaço e demandar cirurgia. Os vasinhos se diferenciam das varizes pelo calibre e posição, já que ficam na camada mais superficial da pele e tem até 1mm de diâmetro, enquanto as varizes apresentam cerca de 3mm. As causas e os tratamentos são similares.
    
O principal fator causal é a predisposição familiar. As mulheres são mais afetadas que os homens, são registrados entre 2,5 a 3 casos de mulheres com varizes para cada homem com a doença. O motivo são os hormônios femininos, que diminuem a efetividade da contração das paredes das veias, deixando-as mais vulneráveis ao problema. Assim sendo, reposição hormonal e métodos anticoncepcionais podem precipitar o aparecimento das alterações vasculares. Pela mesma razão, durante a gravidez, as chances também crescem e, aumentam a cada nova gestação. A idade é outro fator de risco. As varizes normalmente começam a aparecer na puberdade, quando os homens crescem e, as mulheres, recebem maior carga hormonal. Além disso, a quantidade de colágeno na parede das veias diminui com o envelhecimento, por isso elas tendem a dilatar mais facilmente.
   
Hábitos incorretos também são responsáveis pelo agravamento do problema. Por exemplo, ficar muito tempo na mesma posição, seja em pé ou sentado, dificulta a circulação sanguínea nos membros inferiores. Por isso, durante o período de trabalho, é preciso ter cuidados. Levantar a cada uma ou duas horas para movimentar os músculos é a melhor alternativa. Outra maneira, menos agradável e menos estética de prevenir as varizes, é através do uso de meias elásticas de compressão graduada. Elas fazem pressão nos pés e tornozelo ajudando o sangue a subir em direção ao coração. Além do clássico tamanho 3x4, que vai até abaixo do joelho, há ainda a 7x8, até a coxa e a meia-calça convencional. Atualmente, as marcas investem em cores como preto, branco e com brilho para sair do bege. Tecidos mais leves também têm sido experimentados para diminuir o desconforto.
   
O tratamento depende do tipo e da quantidade de varizes/vasinhos existentes e deve ser indicado apenas por um especialista. Entre as intervenções estão escleroterapia química, escleroterapia a laser, radiofreqüência e a cirurgia, entre outras. A remoção cirúrgica é aconselhável após a última gravidez da mulher, pois o problema costuma se agravar a cada gestação.

Há alternativas para prevenir ou minimizar o problema. Essas orientações devem fazer parte da rotina, mesmo antes do surgimento do problema: 
• Praticar atividades físicas regularmente é fundamental, uma simples caminhada já ajuda, o sangue dos pés é bombeado para cima pela musculatura das panturrilhas;
• Evitar o excesso de pressão sobre as pernas, por exemplo, não permanecer por muito tempo de pé;
• Sempre que possível, sentar-se com as pernas elevadas para facilitar a circulação sangüínea e o retorno venoso;
• A veia cava inferior está localizada no lado direito do corpo, deitar-se do lado esquerdo ajuda a diminuir a pressão sobre ela, melhorando a circulação;
• Vestir meia elástica não elimina as varizes, mas previne o agravamento das que já existem e o surgimento de novas. Meias elásticas podem ser desconfortáveis, principalmente no verão, mas são imprescindíveis. Devem ser colocadas pela manhã, antes de levanter-se da cama, ou após a elevação dos membros inferiores por, pelo menos, 15 minutos;
• Drenagem linfática pode ajudar a melhorar as condições circulatórias e o inchaço nos membros inferiores, mas deve sempre ser feita por indicação médica.
 
Como evitar celulite? Como disfarçar celulite?
A celulite ou lipodistrofia ginóide (denominação científica) é uma alteração cutânea resultante de modificações do metabolismo e características particulares das células de gordura e dos septos fibrosos intercelulares do tecido subcutâneo. Manifestando-se clinicamente através de irregularidades na pele, com presença de relevos e depressões de intensidades variáveis na superfície das áreas afetadas. É consequente ao acúmulo de gordura, alterações circulatórias e da mobilização de líquidos, bem como, do metabolismo celular nas camadas mais profundas da pele. É uma condição esteticamente desagradável que afeta principalmente as mulheres e apresenta características multifatoriais.
   
A celulite atinge cerca de 85% das mulheres com mais de 35 anos de idade, sendo bastante rara em homens. O termo celulite foi utilizado inicialmente por médicos franceses para descrever o que acreditavam ser uma forma de gordura localizada que acumulava-se principalmente no corpo das mulheres, localizada nas coxas, nádegas, braços e abdome, adquirindo a pele das regiões afetadas, aparência áspera e com pequenas depressões. A celulite é especialmente freqüente após a menopausa e seu manejo e tratamento são difíceis e envolvem múltiplos aspectos.
   
A celulite é uma inflamação do espaço ao redor das células adiposas, com diversas implicações e consequências no metabolismo local. Embora esteja muito relacionada à obesidade, pode aparecer em pessoas de peso normal e, até mesmo, nas que estão abaixo do peso. Mulheres brancas são mais suscetíveis à celulite do que as negras e há uma relação clara com o tipo de hábito alimentar. Uma alimentação equilibrada e atividade física regular tem uma influência de até 70% no resultado dos tratamentos.
   
O aspecto de "casca de laranja" causa incômodo e insatisfação com o próprio corpo, levando à procura de uma solução para o problema. As causas que dão origem à celulite não são totalmente compreendidas. Além da predisposição genética, alterações enzimáticas e hormonais parecem estar envolvidas, diminuindo a destruição das células gordurosas ou aumentando o seu volume. As regiões mais afetadas pela celulite são aquelas onde as mulheres costumam acumular mais gordura: abdome, quadris, culotes, nádegas, coxas e pernas.

No nosso organismo, algumas células têm a função de acumular energia sob a forma de gordura, para ser usada quando necessário. Essas células são os adipócitos (células de gordura), que se localizam na hipoderme, a camada mais profunda da pele. Nas mulheres, esta camada apresenta septos fibrosos ligando a superfície ao tecido mais profundo. Estas pontes fibrosas repuxam a pele para baixo, dando o aspecto dos "furinhos", que é característico da celulite. Além disso, fatores como a hereditariedade, alterações hormonais e enzimáticas, em conjunto, levam a uma alteração circulatória com acúmulo de líquidos e proteínas nas células de gordura, provocando uma modificação da textura do tecido subcutâneo e, posteriormente, uma irregularidade da superfície da pele, que leva ao aspecto visual de "casca de laranja". A celulite pode estar, ou não, associada à obesidade. No entanto, com o aumento do peso, ela aparece mais, pois o aumento das células gordurosas acentua o repuxamento das fibras. Quando o acúmulo de gordura ocorre de forma excessiva, pode comprimir vasos sanguíneos e linfáticos levando à formação de edema (inchaço) e fibrose. Nesta situação, a celulite se torna mais grave, formando áreas endurecidas e nodulares. Em alguns casos, ocorre inflamação e dor local.
 
Para efeito de classificação, a celulite pode ser dividida em:
Grau 1: As depressões só são percebidas quando a pele é comprimida. Pode aparecer até mesmo nas crianças, sendo mais comum nas adolescentes.
Grau 2: As depressões já são percebidos sem comprimir a pele. Passando a mão sobre a pele, já se percebe uma ondulação, sendo possível sentir alguns nódulos.
Grau 3: Os nódulos são bastante perceptíveis e têm consistência endurecida, demonstrando que já houve formação de fibrose. Pode haver dor local.      

Tomar vitaminas ou colágeno pode ajudar? É necessário indicação médica para isso?
Os nutricosméticos são pílulas multicoloridas que contêm uma associação de vitaminas, minerais, carotenóides e flavonóides, entre outras substâncias, com a missão de combater as carências nutricionais, a oxidação dos tecidos e estimular as funções da pele para restaurar a beleza do corpo e do rosto.
   
De modo geral, nós dermatologistas, consideramos como um recurso interessante. Trata-se de um conceito de beleza de dentro para fora, que associa a boa condição da pele com saúde para melhorar a aparência.
   
A maior parte dos produtos nutricosméticos usa em sua composição as chamadas substâncias antioxidantes. São compostos como as vitaminas A, C e E, o licopeno (presente no tomate em maior quantidade), os bioflavonóides (encontrados nas frutas cítricas e uvas escuras), as catequinas (presentes no chá verde, uvas e morango, entre outras), o ácido fenólico (está no brócolis, cenoura, grãos integrais) e a quercetina (das cascas de uva e vinhos). Na literatura científica, eles aparecem como recursos capazes de prevenir o envelhecimento precoce das células por meio de um mecanismo razoavelmente complexo. Resumidamente, eles combatem a oxidação dos tecidos, o que leva ao envelhecimento.
    
A oxidação é atribuída aos radicais livres, moléculas que se formam por uma reação natural do organismo ao processo de queima do oxigênio pelas células. Como são muito instáveis, rapidamente se associam às moléculas próximas, o que pode levar a danos em células sadias. Em 99% dos casos, o corpo repara esses estragos. Mas se a produção de radicais livres aumentar muito, incentivada por doenças, alimentação ruim, radiação ultravioleta do sol ou fumo, entre outros agressores, fica difícil neutralizar as conseqüências de seu acúmulo no corpo, como o aparecimento de manchas na pele, rugas, falta de hidratação e maior predisposição a doenças. Aí é que entram em cena as doses adicionais de substâncias antioxidantes. As vitaminas, minerais como o selênio e compostos como o licopeno, entre outros com funções antioxidantes, se ligam aos radicais livres, anulando sua ação. Além disso, os cientistas estão se deparando com alguns desafios científicos para apurar a intensidade do desempenho desses produtos. Nós ainda não temos nenhuma tecnologia que nos permita avaliar exatamente quanto os antioxidantes conseguem reduzir a presença de radicais livres na pele humana.
   
Existem diversos estudos bem feitos com tecidos in vitro, ou seja, no laboratório, e um número ainda pequeno de trabalhos realizados com rigor com seres humanos. É preciso que existam trabalhos independentes, que não sejam financiados pelos fabricantes, e um maior número de estudos com voluntários para se chegar a alguma conclusão. Além disso, pesquisadores estão se deparando com algumas limitações para apurar a fundo o desempenho desses produtos.
   
Com a expansão do uso dos nutricosméticos, cresce também entre os médicos a preocupação em alertar para aspectos do uso que não podem ser ignorados. Os efeitos só começam a aparecer depois de pelo menos três meses de uso regular. Além disso, é sabido que os nutricosméticos só agem se a pessoa apresentar uma deficiência nutricional, tanto em homens, quanto mulheres. Num padrão ideal, os antioxidantes que o organismo requer para a batalha contra os radicais livres seriam fornecidos por uma dieta equilibrada, mas é muito difícil obter tudo o que precisamos da alimentação, daí a idéia de suplementar.
    
Um erro comum no consumo desses produtos é ignorar contra-indicações. É essencial averiguar se o paciente é alérgico a algum componente da fórmula. Há, por exemplo, cápsulas que contêm Ômega 3 e componentes tirados de frutos do mar aos quais algumas pessoas são alérgicas. É também indispensável conhecer o perfil da saúde da paciente e perguntar se ela é diabética, por exemplo. Há cápsulas em que os açúcares contidos na embalagem podem levar a alterações na taxa de açúcar no sangue do paciente.
    
Tomar nutricosméticos por contra própria é uma conduta inadequada. Há muitos casos de pessoas que recorrem a mais de um suplemento ao mesmo tempo, no entanto, associações e/ou uso indevido podem desencadear efeitos indesejados. É por essa razão que a indicação de um nutricosmético passa por várias etapas. Exames laboratoriais devem ser solicitados para avaliar quais realmente são os minerais em carência.
    
Esses cuidados são importantes também para evitar a ingestão excessiva de vitaminas e minerais. É o que ocorre se a pessoa já se alimenta bem. Por isso é fundamental avaliar a dieta do paciente antes de receitar. O que também é preciso ter em mente quando se recorre aos cosméticos orais é que eles geralmente fazem parte de um tratamento amplo. Ou seja, não realizam milagres sozinhos. Por isso, não se pode esperar que apenas uma pílula acabe com as rugas do rosto ou faça desaparecer os furinhos da celulite. A celulite, por exemplo, é causada por diversos fatores. Quem se decide a enfrentá-la precisa também agir de modo a modificar diversos padrões. O nutricosmético será mais um deles. No tratamento de linhas de expressão é a mesma coisa. Os produtos não substituem o creme anti-idade e os procedimentos, mas podem potencializar seus efeitos.
  
Sprays do tipo “meia de seda” e cremes e óleos de ação semelhante tem alguma contra-indicação? Podem ser usados diariamente?
Hidratantes in-shower são umectantes usados no final do banho com apenas um enxague depois. Não substituem o hidratante corporal, mas são um auxílio para as peles ressecadas, e para aqueles dias de preguiça de passar hidratante em todo o corpo.
 
Não devemos abrir mão da hidratação. Em tempos mais secos e/ou frios, esse cuidado precisa ser redobrado. Esse tipo de produto impede a perda acelerada de umidade ao longo do dia e, por serem compostos de proteínas e vitaminas, oferecem umectação imediata.
  
Outra saída são os óleos de banho, especialmente os que contenham base vegetal. Isto porque, além de proporcionar mais maciez, eles são extraídos de plantas e frutas e tendem a irritar menos a pele dos que os produtos de fórmula mineral. Por terem uma consistência diferente dos hidratantes comuns, esses cosméticos devem ser aplicados sobre a pele molhada, espalhando-os em movimentos circulares, deixando-o agir no corpo por pelo menos cinco minutos antes do enxague final para tirar o excesso. 
   
No entanto, vale ressaltar que o uso do hidratante de banho não substitui o uso do hidratante comum. Ou seja: use um creme tradicional pelo menos duas vezes na semana caso a sua pele seja seca. Outro ponto é lembrar que esses produtos não devem ser aplicados no rosto, já que a pele é mais sujeita à oleosidade excessiva e o uso do hidratante de banho pode agravar isto. Nesse caso, escolha sabonetes especialmente desenvolvidos para o seu tipo de pele.
   
Os óleos são eficazes para impedir a perda transepidérmica de água, pois foram uma película protetora. No entanto, não são eficientes como hidratantes quando a pele já está desidratada, nesse caso, o ideal é usar creme hidratante potente, de preferência com uréia ou lactato de amônio na formulação.
« Voltar