(11) 5185-0570

(11) 99907-6292

Av. Arnolfo de Azevedo, 84 - Pacaembú - São Paulo - SP - 01236-0360

Limpeza de Pele

A limpeza de pele é indicada, principalmente, para remoção de cravos abertos (pontos pretos) ou fechados (pontos brancos) e remoção de miliuns. Serve também para remover as células mortas e manter a pele macia e saudável. Ao contrário do que muitos pensam, a limpeza é contraindicada para remover espinhas, pois pode deixar cicatrizes, além de gerar mais inflamação e agravar o quadro de acne. Todos os tipos de pele recebem muito bem esse procedimento. A limpeza bem realizada ajuda no equilíbrio das peles seca, normal, oleosa e mista.

A limpeza de pele não é recomendada para peles muito sensíveis, aquelas que ficam vermelhas com facilidade, que sob o sol fazem rubor; as com muita descamação, e que costumam desenvolver alergias e irritações com facilidade. Além das peles com muita espinha. Para efetuar esse procedimento o profissional deve conhecer anatomia e fisiologia da pele, fazer uma anamnese detalhada para estabelecer o tipo de pele e sua adequação aos cosméticos e princípios ativos a serem utilizados.

É de extrema importância dominar a técnica de extração das lesões (comedões, pústulas e miliuns) e reconhecer o que pode e o que deve ser manipulado.

Estabelecidas essas condições, pode-se trabalhar a pele do paciente com a segurança e a perícia necessárias, acabando com o mito de que a limpeza estraga a pele e provoca cicatrizes.

Assepsia: limpeza da pele com loções desengordurantes, cuja ação varia de acordo com a oleosidade da pele.

Esfoliação: aplicação de produtos queratolíticos e abrasivos que promovem um afinamento da camada córnea, facilitando a extração de comedões.

Extração: retirada de comedões, pústulas e miliuns, utilizando técnicas corretas de manipulação.

Massagem: manobras suaves e metódicas com finalidade terapêutica ou estética, que auxiliam na aplicação de substâncias hidratantes e calmantes.

Máscaras: procedimento de finalização da limpeza de pele. A escolha do tipo de máscara depende do tipo de pele. Normalmente opta-se por máscaras calmantes, à base de azuleno, mentol.

Filtro solar: em forma de gel ou loção para não obstruir os poros, sempre com fator de proteção igual ou superior a 30 para evitar o escurecimento da pele no local das lesões.

Na limpeza da pele acneica, a técnica, o cuidado e a habilidade da esteticista devem ser redobrados e a parceria com o dermatologista é de extrema importância para o êxito do tratamento.

Produtos com alto teor queratolítico, à base de ácidos e despigmentantes ou produtos tópicos com componentes hormonais devem ser receitados somente por médicos e o paciente deve ser orientado e estimulado a fazer uso deles apenas mediante prescrição.
 
O procedimento é doloroso? É possível usar anestésicos tópicos durante ou depois?
Não deve ser. A extração deve ser feita delicadamente e devagar de forma que o paciente sinta-se confortável. Para pacientes mais sensíveis a dor, pode-se usar anestésico tópico previamente, mas geralmente isso não se faz necessário.

Depois da limpeza da pele, como a pessoa deve lidar com o sol? É possível usar o protetor imediatamente após a limpeza de pele?
O ideal é ficar 48 horas sem se expor ao sol. Além disso, aplicar filtro solar com, no mínimo, FPS 30, é essencial. Quanto a fazer a limpeza em pele bronzeada não é uma atitude adequada. Após a exposição prolongada ao sol, a melanina (substância responsável pelo escurecimento da pele) está em plena atividade. Portanto, o contato com alguma substância mais agressiva pode provocar o aparecimento de manchas que vão ficar ainda mais evidentes quando o bronzeado sumir.

Cosméticos que tenham ácidos na composição também estão proibidos nesse período. A pele está sensível demais e eles podem causar manchas. A mesma recomendação vale para os cremes oleosos, que podem obstruir os poros.
 
Quanto tempo dura uma sessão de limpeza de pele?
Dura em média 1 hora.

O que é possível indicar para diminuir a vermelhidão?
A higienização começa com uma micro-esfoliação delicada da pele do rosto, pescoço e colo. Em seguida, a pele é submetida a um vapor com ozônio, que tem como finalidade abrir os poros e dar emoliência para a pele, facilitando a drenagem, sempre manual e cuidadosa dos cravos, espinhas e dos mílios. Após a extração deles é utilizado, em geral, um aparelho de alta frequência para cicatrizar e atuar como anti-inflamatório nesse momento do procedimento. Para diminuição do eritema (vermelhidão comum logo após a limpeza), são aplicadas compressas com loções calmantes e águas termais e, em seguida, utiliza-se também uma máscara específica conforme a necessidade de cada pele.

Qual é a diferença do peeling e da limpeza de pele? Há vantagens de um sobre o outro?
O peeling é um procedimento que pode ser utilizado para o tratamento de acne e controle da oleosidade da pele, mas é completamente diferente da limpeza de pele.    O peeling químico consiste na aplicação tópica de determinadas substâncias químicas capazes de provocar reações que vão desde de uma leve descamação até necrose da derme, com remoção da pele em diferentes graus. Isso significa que haverá descamação e troca da pele. Nestes procedimentos, podem ser utilizados diversos tipos de ácidos de acordo com o resultado que se deseja obter e com a profundidade que se deseja atingir.

O peeling deve ser indicado e realizado pelo médico. Somente o especialista é capaz de escolher o melhor produto químico na concentração adequada e também dominar os efeitos colaterais que possam estar envolvidos. Mesmo no caso dos peelings superficiais é importante avaliar a capacidade de resposta e a cicatrização da pele, além das relações custo - benefício do procedimento em questão.
 
Depois de quanto tempo da limpeza de pele dá para voltar a usar cosméticos e maquiagem?
O uso de ácidos deve ser evitado logo após a limpeza de pele se a pessoa tiver a pele muito sensível e vermelha, para que a irritação não piore.
Maquiagem pode ser utilizada normalmente.
 
É normal usar ácidos durante o procedimento?
O diferencial do resultado da limpeza de pele está diretamente relacionado a qualidade dos cosméticos utilizados durante o procedimento. Eles devem ser de boa procedência, sejam nacionais ou importados e estar dentro do prazo de validade para que não haja risco de provocar alergias e irritações. Produtos manipulados só podem ser usados com a orientação e supervisão de um médico dermatologista. Normalmente não se utilizam ácidos, a não ser em alguns casos específicos. Cosméticos que contenham ácidos em sua composição não devem ser aplicados nas peles que passaram pelo procedimento, pois a sensibilidade é alta.

Quanto tempo a pele demora para se recuperar depois da limpeza de pele?
A pele fica um pouco sensível até 48h após a limpeza, nesse período deve-se evitar o sol.

O profissional pode indicar produtos para acalmar a pele? Se sim, quais você indicaria?
Todos os procedimentos da limpeza, em especial a extração dos cravos, sensibilizam e irritam a pele. Cosméticos concentrados, como as máscaras, permitem acalmá-la, e, ao mesmo tempo, apresentam ação cicatrizante. Para diminuição do eritema (vermelhidão comum logo após a limpeza), são aplicadas compressas com loções calmantes e águas termais e, em seguida, utiliza-se também uma máscara específica conforme a necessidade de cada pele. Normalmente opta-se por máscaras calmantes, à base de azuleno, mentol.

Quais são os sinais que indicam a necessidade de fazer uma limpeza de pele (pontinhos pretos, oleosidade em excesso...)? Há uma periodicidade pré-estabelecida?
O tempo entre uma limpeza de pele e outra vai depender muito do tipo de pele de cada paciente, peles normais a secas podem repetir a limpeza a cada dois meses, intercalando tratamento de cuidados diários neste meio tempo. Já a pele mista a oleosa e com presença de cravos exige um cuidado maior, o ideal é fazer uma limpeza de pele por mês e utilizar produtos cosméticos adequados para cada caso. Indivíduos com um grau de acne muito intenso, devem sempre ter a orientação de um dermatologista para um melhor resultado.

Os cuidados diários são essenciais para uma pele bonita e para uma boa manutenção dos resultados da limpeza, o kit básico de cuidados é composto por um bom gel de limpeza, um tonico e hidratante diurno e noturno para prevenir o envelhecimento. Uma a duas vezes por semana, utilizar um esfoliante para renovar a pele. Lembrar sempre de usar filtro solar.
 
O procedimento pode ser feita, além do rosto, em outras partes do corpo? Quais?
Sim, pode ser feito em qualquer outro local. Exemplo: Costas, colo.
 
Por quanto tempo é realizado o vapor de ozônio? Qual é a temperatura do gás?
O vapor de ozônio é o aparelho geralmente utilizado antes das extrações na limpeza de pele. Os aparelhos distribuídos no mercado costumam ter a função tanto de vapor com ozônio, como só de vapor (apenas água), para que sejam empregados de forma mista.

O vapor dirigido especificamente na região atua como recurso auxiliar, proporcionando a dilatação dos poros em resposta ao aquecimento da pele gerado pela névoa quente do jato, o que facilita a técnica, já que há uma boa emoliência dos comedões.

O vapor também é utilizado em procedimentos de hidratação e nutrição, e até mesmo antes da esfoliação, pois a vasodilatação por ele provocada melhora a permeação dos ativos posteriormente aplicados na região.

Já o vapor de ozônio, além de todas essas vantagens atua também como bactericida e fungicida, prevenindo a pele de contaminação e posterior inflamação. O Ozônio é gerado através da combinação dos átomos de Oxigênio (O) extraídos das moléculas do vapor de água (H2O) por intermédio de um centelhamento elétrico. Estes átomos são então recombinados em moléculas de Ozônio (O3). Pode ser utilizado em todos os diferentes tipos de pele, mas recomenda-se deixar o vapor por menos tempo em peles sensíveis. 

Geralmente, utiliza-se o vapor por 5’ com ozônio, depois mais 10’ só de vapor sobre a pele coberta por uma fina camada de algodão embebido em emoliente. O tempo de aplicação do vapor com ozônio não pode ser além de 5’, pois, apesar de o ozônio ser um gás de excelente efeito bactericida e fungicida, seu excesso pode provocar efeitos tóxicos quando inalado por um tempo prolongado, principalmente em gestantes.
 
Efeitos e indicações:
  • Aquecimento e vasodilatação
  • Emoliência
  • Permeação de ativos.
  • Umidificação e hidratação
 
Restrições e contra-indicações:
  • Há necessidade de cuidado em certos casos
  • Áreas de anestesia ou hiposensibilidade
  • Doenças vasculares e obliterantes
  • Estados de hemorragia
  • Inflamações muito agudas
  • Peles muito sensíveis e com telangectasias
  • Tumores malignos
  
Quanto tempo após a limpeza o esfoliante é liberado?
7 dias

O que é indicado aplicar na pele – fora os cuidados básicos - quando se está em casa nas 48 horas após a limpeza?
O uso de ácidos deve ser evitado logo após a limpeza de pele se a pessoa tiver a pele muito sensível e vermelha, para que a irritação não piore.
Maquiagem pode ser utilizada normalmente. Pode-se utilizar produtos com propriedades calmantes e cicatrizantes nos primeiros dias após o porocedimento.

Produtos com alto teor queratolítico, à base de ácidos e despigmentantes ou produtos tópicos com componentes hormonais devem ser receitados somente por médicos e o paciente deve ser orientado e estimulado a fazer uso deles apenas mediante prescrição.
« Voltar