(11) 5185-0570

(11) 99907-6292

Av. Arnolfo de Azevedo, 84 - Pacaembú - São Paulo - SP - 01236-0360

Hemangiomas

Angiomas ou hemangiomas são proliferações de vasos sanguíneos que aparecem na pele como manchas ou tumorações, usualmente avermelhadas ou arroxeadas. Os tipos mais comuns de hemangiomas são o infantil, o angioma rubi, o granuloma piogênico e a mancha vinho do porto.

Embora, em geral, os hemangiomas representem um problema unicamente estético, sangramento, repercussões volêmicas sistêmicas e compressão de estruturas podem representar um problema mais sério. É rara a transformação maligna de um hemangioma.
 
Manifestações Clínicas
Hemangioma infantil: podem estar presentes ao nascimento ou surgirem até o primeiro ano de vida. São mais comuns na face e no couro cabeludo, mas podem surgir em qualquer região do corpo, inclusive órgãos internos. Apesar de geralmente crescer de forma rápida, tendem a desaparecer espontaneamente antes da puberdade.

Devido a esta característica, a conduta mais comum da maioria dos dermatologistas é o simples acompanhamento destas lesões. Alguns medicamentos podem estancar o crescimento e até fazer regredir estas lesões, tais como os corticóides sistêmicos, os beta-bloqueadores sistêmicos ou tópicos e  e o imiquimod tópico. Entretanto, deve ser bem analisado se os riscos e efeitos colaterais destas drogas compensam seus possíveis benefícios.
 
Angioma rubi: pequenas “bolinhas” vermelhas semelhantes a pedras de rubi que surgem principalmente no tronco de indivíduos de ascendência ibérica ao longo da idade adulta. Costumam aumentar em número e tamanho ao longo dos anos.
 
Granuloma piogênico: tumores de cor vermelho vivo que sangram com facilidade e crescem rapidamente. Muitas vezes dolorosos, surgem principalmente nos cantos das unhas dos dedões em decorrência de unhas encravadas e uso de sapatos apertados. Podendo susgir também em outras áreas do corpo após traumatismo local.
 
Hemangioma plano ou mancha vinho do porto: como o nome diz, são manchas cores de vinho do porto ou salmão, localizadas com maior frequência na face. Apesar de não representarem um problema além da estética, se o paciente decidir que deseja removê-la, o laser costuma ser a melhor opção.
 
Angioma estelar: pequenas dilatações vasculares que formam “braços” a partir de um ponto central. Também são chamados de aranhas vasculares (nevus araneus) devido à semelhaça de formato com o animal.
 
Tratamento
O tratamento de lesões pequenas é fácil, podendo ser utilizada a eletrocoagulação ou a excisão e sutura das lesões. Outros procedimentos utilizados para o tratamento dos hemangiomas são a criocirurgia e o tratamento a laser. É importante que o médico que esteja realizando o procedimento esteja atento ao sangramento e tenha a mão os equipamentos necessários para a contenção deste. Hemangiomas maiores podem precisar de retalhos ou enxertos para sua correção.

 O uso de lasers é uma boa opção para lesões de difícil manejo, devendo-se sempre observar o custo, o número de sessões e a adequada aparelhagem.

O hemangioma infantil tende a regredir espontaneamente em alguns anos e, a não ser em casos específicos, não necessita de tratamento. Alguns pais desejam tratar o hemangioma por considerarem que eles podem ser desfigurantes e provocar problemas sociais ou psicológicos. No entanto, como os tratamentos podem ter efeitos colaterais e as lesões tendem a regredir espontaneamente, a conduta mais comum é apenas acompanhar a evolução, já que o tumor não provoca nenhum problema para a saúde física. Caso o hemangioma forme uma ferida, apresente sangramento intenso, tenha sinais de inflamação ou aumente subitamente de tamanho, a criança deve ser levada ao médico para uma avaliação. Nos casos em que a localização do tumor interfira com a visão, respiração, alimentação ou audição da criança, o que é raro, o tratamento pode ser indicado. Alguns dos tratamentos são: cirurgia, laser, criocirurgia com nitrogênio líquido, uso de corticosteróides em infiltrações intralesionais ou via oral, imunossupressores de uso tópico e betabloqueadores. A indicação do tratamento mais adequado vai depender de cada caso.
« Voltar