(11) 5185-0570

(11) 99907-6292

Av. Arnolfo de Azevedo, 84 - Pacaembú - São Paulo - SP - 01236-0360

Diagnóstico em Dermatologia

Dermatoscopia Digital e Mapeamento Corporal
A DERMATOSCOPIA é um método auxiliar utilizado no exame clínico das lesões pigmentadas da pele, que possibilita aumento da acurácia diagnóstica para o melanoma cutâneo, bem como para lesões não-pigmentadas e outros tipos de câncer da pele. A DERMATOSCOPIA DIGITAL possibilita o armazenamento das imagens dermatoscópicas, permitindo sua comparação ao longo do tempo. As lesões que permanecem estáveis sugerem benignidade.

O MAPEAMENTO CORPORAL TOTAL é um exame em que são realizadas fotografias seriadas de toda superfície cutânea do paciente. As fotografias são utilizadas como base de comparação ao longo do tempo, com o objetivo de identificar novas lesões ou mudanças significativas nas lesões já documentadas. Essas alterações podem indicar sinais precoces de um melanoma cutâneo.

A DERMATOSCOPIA DIGITAL associada ao MAPEAMENTO CORPORAL TOTAL permite um aumento da exatidão diagnóstica, em especial, para os melanomas cutâneos. Por tratar-se de um exame no qual a lesão é examinada e documentada em determinado momento, o seguimento é de fundamental importância. Através deste acompanhamento torna-se possível a detecção de alterações precoces. Este exame tem validade quando associado à história clínica e exame físico adequados, sendo o diagnóstico definitivo das lesões cutâneas pigmentadas obtido através de exame anatomopatológico.

Além do mapeamento corporal total, todas as lesões pigmentadas da pele são analisadas através da dermatoscopia e as lesões selecionadas, a critério médico, são documentadas utilizando-se a dermatoscopia digital para emissão de laudo diagnóstico e possibilidade de seguimento.

O método diagnóstico dermatoscópico denominado Análise de Padrões é considerado o de maior acurácia, maior sensibilidade e especificidade para o diagnóstico do melanoma cutâneo, e, por este motivo, é o método utilizado para realização do laudo diagnóstico. Este método auxilia na interpretação das imagens, permitindo um diagnóstico clínico dermatoscópico. No entanto, enfatizamos que o diagnóstico de certeza somente é obtido através de exame anatomopatológico.

O laudo diagnóstico está gravado no CD anexo e fornece todas as imagens documentadas, além da descrição das características dermatoscópicas encontradas em cada lesão, assim como seu diagnóstico dermatoscópico (utilizando-se o método de Análise de Padrões). Gostaríamos de ressaltar que estaremos à disposição para qualquer esclarecimento em relação ao exame e aos comentários finais.
Mapeamento dos Nevos Auxilia na Prevenção e no Diagnóstico Precoce do Câncer de Pele
De acordo com o INCA – Instituto Nacional de Câncer – são esperados 518 mil novos casos de câncer no Brasil para 2012. O número deve se repetir em 2013. 134 mil (63 mil homens e 71 mil mulheres) serão acometidos pelo câncer de pele não melanoma – o mais incidente na população brasileira. Já o melanoma – câncer de pele mais agressivo e letal – deve ter cerca de 6 mil novos casos diagnosticados.

Como na maioria das doenças, a prevenção e o diagnóstico precoce são essenciais para o não surgimento do câncer de pele ou para um tratamento mais eficaz. Evitar exposição excessiva ao sol – mesmo no inverno – é um hábito que todos devem ter desde cedo, pois as consequências aparecem no futuro. Para as pessoas com histórico de câncer de pele na família, os cuidados devem ser redobrados.

Um exame denominado Mapeamento de Nevos pode evitar a retirada desnecessária de pintas para análise. Uma lente associada a um programa de computador aumenta a imagem em até 70 vezes. O dermatologista pode captar imagens do corpo do paciente, classificá-las de acordo com o grau de risco e comparar com novas imagens obtidas alguns meses depois. Caso as lesões de pele tenham evoluído e tenham alguma suspeita de malignidade, a pinta deve ser retirada e enviada para análise.

Acompanhar a evolução das pintas ao longo do tempo significa eficácia no Mapeamento de Nevos, já que a garantia do diagnóstico precoce está na comparação das imagens captadas em exames anteriores.
Este exame é recomendado para pessoas que tenham muitas pintas, histórico familiar de câncer de pele, ruivos ou com pele muito clara e também para aqueles que sofreram com a exposição excessiva do sol quando crianças.

Se o Mapeamento de Nevos é muito útil na prevenção e na detecção precoce do câncer de pele, o autoexame também é muito importante. Cada um conhece o seu corpo melhor do que ninguém. Por isso, é importante ficar atento às mudanças na pele.

A aplicação de uma regra simples e eficiente conhecida como ABCD contribui com um possível diagnóstico de câncer de pele. Uma pinta precisa ser avaliada em quatro pontos.
  • ASSIMETRIA
  • BORDAS IRREGULARES
  • CORES VARIADAS NA MESMA LESÃO
  • DIÂMETRO MAIOR QUE 5 MM
 A presença de mais de uma dessas quatro características aumenta a chance da pinta ser maligna. Se houver qualquer dúvida ou suspeita, mesmo que mínimas, a pessoa deve procurar um dermatologista
Tricoscopia Digital
Tricoscopia consiste em exame não invasivo e indolor feito no consultório dermatológico com o objetivo de estudar o couro cabeludo e a haste capilar. Possibilita uma análise comparativa das diferentes áreas do couro cabeludo, determinando os locais de comprometimento capilar e sua intensidade.

Além de ser uma ferramenta valiosa para o diagnóstico de uma série de doenças do couro cabeludo e dos cabelos, ela é ideal para avaliar a resposta de tratamentos em cada segmento afetado. A tricoscopia tem um potencial para evitar biópsias desnecessárias e, quando uma biópsia ainda é necessária, ela é útil na escolha do local certo para a realização.

O método permite a avaliação dos sinais clínicos e sintomas das diversas doenças que afetam os fios e o couro cabeludo, como as descamações e as inflamações. As afecções diagnosticadas pela tricoscopia são:
  • Rarefação e perda capilar;
  • Calvícies (alopecia androgenética) de padrão feminino e masculino;
  • Alopécia areata,
  • Alopécia frontal fibrosante;
  • Eflúvio telógeno;
  • Lúpus;
  • Líquen plano pilar;
  • Entre outras.
 
Como é feito o exame?
Com a utilização de um equipamento chamado fotovideodermatoscópico, que possui uma câmera com zoom superpotente — com aumentos de 20 a 70 vezes — o dermatologista conseguirá examinar detalhadamente com e sem luz polarizada a composição e a saúde de todas as estruturas que formam os fios de cabelo e do couro cabeludo.

O exame permite ainda que o especialista capture e salve todas as imagens em alta resolução, podendo utilizá-las para comparação entre áreas saudáveis do couro cabeludo e dos fios. A tricoscopia permite a obtenção de imagens detalhadas e objetivas das lesões antes, durante e após o tratamento, permitindo assim avaliar o quão efetiva foi a terapia para o paciente.
 
Para quem o exame está indicado?
Todo paciente com queixa de queda de cabelo e alterações no couro cabeludo deve consultar seu médico dermatologista. Ele irá avaliar cada caso e indicará, se necessário, a realização do exame. 

É importante enfatizar a importância de procurar por atendimento especializado para um diagnóstico correto antes da doença progredir, tornando o tratamento mais efetivo em estágios iniciais.
 
 
 
 
Mapeamento Corporal
Mapeamento dos nevos auxilia na prevenção e no diagnóstico precoce do câncer de pele

De acordo com o INCA – Instituto Nacional de Câncer – são esperados 518 mil novos casos de câncer no Brasil para 2012. O número deve se repetir em 2013. 134 mil (63 mil homens e 71 mil mulheres) serão acometidos pelo câncer de pele não melanoma – o mais incidente na população brasileira. Já o melanoma – câncer de pele mais agressivo e letal – deve ter cerca de 6 mil novos casos diagnosticados.

Como na maioria das doenças, a prevenção e o diagnóstico precoce são essenciais para o não surgimento do câncer de pele ou para um tratamento mais eficaz. Evitar exposição excessiva ao sol – mesmo no inverno – é um hábito que todos devem ter desde cedo, pois as consequências aparecem no futuro. Para as pessoas com histórico de câncer de pele na família, os cuidados devem ser redobrados.

Um exame denominado Mapeamento de Nevos pode evitar a retirada desnecessária de pintas para análise. Uma lente associada a um programa de computador aumenta a imagem em até 70 vezes. O dermatologista pode captar imagens do corpo do paciente, classificá-las de acordo com o grau de risco e comparar com novas imagens obtidas alguns meses depois. Caso as lesões de pele tenham evoluído e tenham alguma suspeita de malignidade, a pinta deve ser retirada e enviada para análise.

Acompanhar a evolução das pintas ao longo do tempo significa eficácia no Mapeamento de Nevos, já que a garantia do diagnóstico precoce está na comparação das imagens captadas em exames anteriores. Este exame é recomendado para pessoas que tenham muitas pintas, histórico familiar de câncer de pele, ruivos ou com pele muito clara e também para aqueles que sofreram com a exposição excessiva do sol quando crianças.
           
Se o Mapeamento de Nevos é muito útil na prevenção e na detecção precoce do câncer de pele, o autoexame também é muito importante. Cada um conhece o seu corpo melhor do que ninguém. Por isso, é importante ficar atento às mudanças na pele.

A aplicação de uma regra simples e eficiente conhecida como ABCD contribui com um possível diagnóstico de câncer de pele. Uma pinta precisa ser avaliada em quatro pontos.
  • ASSIMETRIA
  • BORDAS IRREGULARES
  • CORES VARIADAS NA MESMA LESÃO
  • DIÂMETRO MAIOR QUE 5 MM
 
A presença de mais de uma dessas quatro características aumenta a chance da pinta ser maligna. Se houver qualquer dúvida ou suspeita, mesmo que mínimas, a pessoa deve procurar um dermatologista
« Voltar