(11) 5185-0570

(11) 99907-6292

Av. Arnolfo de Azevedo, 84 - Pacaembú - São Paulo - SP - 01236-0360

Depilação

Mitos e Verdades
De maneira geral, dói mais depilar nos dias antes ou durante o período menstrual? Muitas mulheres se queixam disso. Nessa fase, aumenta a vascularização na área genital? Seria este o motivo?
Sim, o ideal é realizar a depilação até 10 dias antes do início do ciclo. Isso porque no período pré-menstrual, o organismo retém água e a pele estica, aumentando a sensibilidade à dor. Além disso, devido às alterações hormonais próprias do período pré-menstrual, ocorre uma dininuição do limiar da dor, sendo mais difícil tolerá-la.

Aparar os pelos com a tesoura antes da depilação faz com que fiquem mais fortes e difíceis de sair durante a depilação? Isso altera sua estrutura ou não?
Não, aparar os pêlos com a tesoura não altera sua estrutura e não interfere na depilação.

Fazer a depilação no ânus pode ser prejudicial a essa região? Os pelos presentes nessa região têm algum fator de proteção ou são dispensáveis?
A pele da região íntima, principalmente da região peri-anal, é mais delicada que as demais partes do corpo e, por isso, é preciso ter cuidado. Os pelos genitais dão uma proteção maior à mulher, mas eles podem ser retirados. A depilação deve ser evitada ao menor sinal de lesão na região. Seja ferida ou infecção, primeiro é necessário tratar o problema para depois dar continuidade.

A depilação íntima (que remove quase ou todos os pêlos da região da vagina e ânus) exige cuidados de higiene e a escolha de um local certificado para fazê-la. Assegure-se de que as cêras e utensílios utilizados, como espátulas, são descartáveis para evitar a contaminação por fungos, vírus e bactérias. Se for fazê-la sozinha, evite o uso de lâminas. Como a visibilidade da região íntima é muito ruim, podem acontecer acidentes facilmente, o que aumenta o risco de infecções. As opções de cremes depilatórios também devem ser usadas com parcimônia. Por serem químicos, podem causar reações alérgicas graves na região das mucosas, que são muito sensíveis. Converse com um dermatologista e faça o teste de pele sempre antes de usá-los.
 
É verdade que usar cera quente na pele do rosto (sobrancelhas e buço) deixa as pálpebras e a pele flácidas? Por que?
Não. O estímulo é superficial, enquanto a flacidez é causada pela destruição e diminuição das fibras de colágeno e elastina, que estão numa localização cutânea mais profunda e não são atingidas durante a depilação. Isso vale também para outras partes do corpo, como as pernas.

Manter uma constância de depilar os pelos a cada quatro semanas diminui a quantidade com o tempo? Por que?
Cada vez que o pêlo é arrancado pela raíz, ocorrem danos nas células germinativas que darão origem ao novo fio, que tende a nascer "imperfeito"- mais fino e mais claro.
 
Após a depilação na virilha é bom usar calcinha de algodão ou dormir sem calcinha, para prevenir foliculite ou irritações?
O ideal é não utilizar roupas apertadas ou sintéticas, que são realcionadas com maior possibilidade de foliculite e irritações.
 
 
 
Depilação a Laser
O que é depilação definitiva?
Depilação definitiva seria aquela que envolve uma técnica que permite a eliminação permanente dos pelos. Na qual ocorre destruição definitiva do folículo piloso (estrutura que dá origem ao pelo) e não apenas remoção temporária do pelo, com subsequente re-crescimento.
 
No entanto evitamos usar o termo definitivo, pois por melhor que sejam a tecnologia e a técnica utilizadas, a eliminação permanente/definitiva e duradoura de todos os pelos não é possível, uma vez que os folículos sofrem influências hormonais cíclicas e uma pequena parcela dos pelos eliminados sempre volta, sendo necessária manutenção ao longo dos anos.
  
O que diferencia os métodos depilação robótica, fotodepilação e depilação a laser? Quais são os prós e contras de cada um?
O que diferencia é o tipo de tecnologia/técnica empregada. Em todos os métodos citados o folículo piloso é o alvo, sendo o objetivo dos procedimentos, sua destruição.
 
Na depilação robótica aplica-se sobre a pele uma ponteira que scanea a área a ser tratada, sem ação manual do médico. O laser é aplicado de forma homogênea, mas a destruição dos folículos ocorre de forma seletiva. As vantagens desse método são a aplicação precisa e igualitária em toda área tratada, com maior segurança, uma vez que não há a possibilidade de overlap acidental, ou seja, não há o risco de repetir o disparo do laser no mesmo local inadvertidamente, o que poderia causar um aquecimento excessivo da pele, levando a possíveis complicações.

Outra vantagem do método é o alcance do comprimento de onde utilizado, o Nd:Yag, que consegue atingir planos mais profundos, alcançando o bulbo capilar e destruindo o pelo por completo. Além disso, o tratamento com essa tecnologia pode ser feito em fototipos mais altos (peles mais escuras) com maior segurança.
 
A fotodepilação utiliza como tecnologia a luz intensa pulsada, que é um feixe de luz que apresenta diversos comprimentos de onda. Para cada comprimento, uma profundidade da pele é alcançada e um alvo é atingido. Diferentemente do laser que apresenta um direcionamento mais específico, a luz intensa pulsada, apresenta um amplo espectro de ação, o que a torna menos potente, uma vez que a energia é distribuída ao longo da pele. A escolha dos parâmetros vai depender das características da pele/pelos e do alvo desejado. A destruição do folículo vai acontecendo gradualmente, sendo necessário, em geral, um número maior de sessões em relação ao laser, porém, com menos dor em cada sessão.
 
O laser também emite uma luz, porém, diferentemente da luz intensa pulsada que tem um espectro amplo de absorção, apresenta uma ação mais específica e potente, direcionando-se diretamente ao alvo desejado. Existem vários tipos de tecnologias a laser empregadas para depilação, como diodo, alexandrite, rubi, Nd:YAG etc. A escolha vai depender das características da pele e dos pelos de cada paciente. Em geral, é necessário um número menor de sessões para a finalização do tratamento, quando comparado à luz intensa pulsada, uma vez que o direcionamento do feixe é mais específico, porém, a aplicação costuma ser mais dolorosa.
 
Quais são as contra-indicações para cada um deles?
Em geral, as contra-indicações são as mesmas para todas as tecnologias. A depilação robótica também envolve a utilização de laser, porém em um modo de aplicação diferente. Em todos os casos, o alvo principal do tratamento é a melanina, pigmento que dá cor ao pelo (presente em grande quantidade no folículo piloso), e, também à pele. Assim sendo, pacientes bronzeados ou de fototipos altos (peles escuras), devem ser selecionados de forma muito criteriosa, sendo que a luz intensa pulsada e alguns tipos de laser estão contra-indicados para esses pacientes, pelo risco de queimaduras, manchas escuras, ou mesmo brancas e definitivas.

Outras contra-indicações: gravidez, ferimentos ou lesões sugestivas de câncer de pele na área tratada, utilização de medicamentos fotossensíveis, algumas doenças auto-imunes que cursam com fotosensibilidade ou alterações pigmentares, como lupus e vitiligo.
 
Quais deles podem ser feitos na pele negra?
Devemos ter muito cuidado na pele negra, com quaisquer das tecnologias citadas, pois o alvo do tratamento é a melanina, pigmento abundante nas pessoas de pele escura.
 
A tecnologia robótica, entre todas as citadas, é a mais segura para peles negras. Alguns tipos de laser, com muito critério e ajuste cauteloso dos parâmetros, também podem ser utilizados na pele negra. Porém, é importante que a aplicação seja feita por profissional capacitado e com experiência nesse tipo de pele.
 
Todos podem ser feitos em qualquer região do corpo?
Áreas delicadas, como região dos olhos, proximidade de mucosas, região peri-anal, bolsa escrotal, somente com aparelhos específicos, profissionais habilidosos e experientes e critérios/medidas cautelosas pelo maior risco de complicações.
 
A partir de qual faixa etária as mulheres podem começar a fazer sessões?
Como os folículos são muito susceptíveis aos estímulos hormonais, o ideal é iniciar o tratamento após estabilização do turbilhão hormonal da adolescência, sob o risco de perdermos resultados se a indicação for muito precoce. Idealmente as sessões devem ser iniciadas 2 a 3 anos após a menarca (primeira menstruação).
 
Há quanto tempo a técnica a laser existe no Brasil?
Existe há cerca de 20 anos, porém nesse período diferentes aparelhos, com tecnologias cada vez mais seguras, eficazes e confortáveis surgiram.
 
Há um aumento na procura dos métodos? Por quê?
Sim, o aumento ocorre de forma progressiva. Atribuo a isso o aprimoramento das tecnologias que tornam a técnica cada vez mais segura, efetiva, confortável e acessível economicamente e às condições de vida da mulher moderna, na qual a praticidade e liberdade tem cada vez mais lugar.
 
Caso sejam feitos incorretamente, quais são os riscos para a pele?
Quando mal indicados ou aplicados de forma tecnicamente incorreta, os métodos citados podem desencadear queimaduras, hiper ou hipopigmentação (manchas escuras ou claras) e até mesmo a formação de cicatrizes permanentes.
  
Como as cutículas, os pelos funcionam como uma camada protetiva da pele, principalmente na região da virilha. Neste caso, qual é a região que não deve ser depilada?
A virilha pode ser depilada por inteiro, no entanto, é importante utilizar tecnologias e parâmetros adequados para essa região, além dos cuidados locais para evitar complicações.
Depilação em Meninas
Existe uma idade ideal para a menina se submeter à primeira depilação? Quero dizer, uma idade em que o risco de alergias e contaminações seja menor?
A depilação deve ser iniciada quando os pêlos começarem a incomodar, ou seja, quando engrossarem e tornarem-se mais abundantes. Isso geralmente acontece na puberdade, devido às alterações hormonais próprias da mesma. Nas meninas ocorre por volta dos 10 aos 13 anos. Quanto mais precoce o contato com substâncias químicas e alergênicas, maiores as possibilidades do desenvolvimento de alergias e sensibilizações na idade adulta. A pele das crianças é mais fina e sensível, o uso de ceras, cremes depilatórios e afins, deve ser evitado ao máximo.
 
É verdade que a garota precisa esperar a menarca para fazer sua primeira depilação com cera?
Não existe uma regra para isso. O que ocorre é que a menarca é o auge de uma série de processos fisiológicos e anatômicos da puberdade, sendo que o crescimento e espessamento dos pêlos fazem parte dessas alterações. A idade da primeira menstruação é influenciada pela biologia feminina, assim como, por fatores genéticos e ambientais, especialmente os nutricionais. A idade média da primeira menstruação tem declinado no último século, mas a razão dessa diminuição ainda é objeto de controvérsia. A idade da primeira menstruação costuma ser, em média, entre 11 e 13 anos, no entanto, os sinais da puberdade têm início poucos anos antes. Se o aumento dos pêlos em número e espessura incomodar, nada impede que a depilação seja feita antes da menarca.
 
A depilação com cera não era tão difundida. Eu e outras meninas recorríamos ao uso da lâmina mesmo. Esse tipo de depilação é desaconselhável? Por quê?
 A lâmina é a melhor maneira para começar fazer depilação, pois a cera é um método mais agressivo e doloroso, o que pode assustar e traumatizar mulheres mais jovens. É um método totalmente indolor, mas por outro lado, os resultados duram pouco, já que o pêlo é “cortado” superficialmente, crescendo e voltando a aparecer em poucos dias.

O ideal é usar aparelhos especiais para depilação feminina, pois são mais flexíveis e possuem lâminas especiais, diminuindo o risco de ferimentos. O segredo para uma boa depilação é que a lâmina deslize, e, para isso é preciso que a pele esteja úmida. É necessário aplicar um gel, creme ou mesmo usar a espuma do sabonete, para que a lâmina deslize com facilidade e a pele fique protegida. Após à depilação, é imprescindível usar um hidratante com propriedades calmantes e cicatrizantes, pois a pele fica mais sensível e irritada.
 
Qual é o melhor método para a adolescente realizar a primeira depilação? Cera mesmo? Quente ou fria? Em casa ou no salão? E quanto ao uso de aparelhos tipo Satinelle?
O ideal é escolher o método que mais se adapte ao seu tipo de pele. Indivíduos com pele sensível, por exemplo, devem evitar o uso de cera. Para quem tem tendência à formação de pelos encravados, o laser é uma boa opção. Quando os fios são volumosos e grossos, a pele fica mais sujeita à irritação e ao encravamento. Qualquer forma de depilação que puxe os pêlos pela raiz (ou seja, com o bulbo capilar), como é o caso das ceras e dos aparelhos elétricos, propicia o encravamento dos fios, já que, quando voltam a nascer, alguns não conseguem romper a superfície da epiderme. A Tolerância à dor é outro fator que deve ser levado em consideração. O limiar de dor é diferente para cada indíviduo, alguns não toleram a depilação com cera fria, por exemplo, que é mais agressiva e dolorosa.
 
Métodos: Vantagens e Desvantagens
Lâmina
Vantagens: Baixo custo e rapidez na remoção dos pelos. Não exige maiores habilidades, a não ser cortar na direção do crescimento dos pêlos. Pode ser utilizada para remoção de pêlos de qualquer tamanho e espessura.

Desvantagens: Não há o risco de aumentar o pêlo ou deixá-lo mais grosso. O problema é que, como a lâmina corta o pêlo rente à pele, ele pode crescer mais rápido, irritar e assim encravar, manchando a pele. Também pode causar coceiras na fase do crescimento. Pessoas com alergia a níquel não podem utilizá-la.
 
Aparelhos elétricos
Vantagens: Os pêlos demoram a crescer, a depilação pode ser feita em casa e não exige um tamanho ideal do pêlo para a remoção. Hoje existem vários tipos de depiladores, sempre em busca de formas para amenizar o desconforto por conta da retirada dos pêlos pela raiz. Também é possível encontrar aparelhos que conseguem arrancar até os pelos mais curtinhos, inclusive de áreas sensíveis, como virilha e axilas. O fato da mulher poder usá-lo sozinha é prático e moderno, principalmente por ser uma técnica muito mais duradoura do que a lâmina. O custo-benefício pode valer a pena, já que há apenas um investimento inicial na compra do aparelho, que possui grande durabilidade. Elimina o risco de contaminação, já que seu uso é individual.

Desvantagens: É doloroso e algumas pessoas não se adaptam à técnica. Se o pêlo for mais fino, o método pode provocar foliculite (pêlo encravado). A forte tração tende a arrebentar o pêlo, incidindo em alguns casos, em inflamação da pele.
 
Cremes depilatórios
Vantagens: Atua quimicamente sobre o pêlo, que amolece e é eliminado. Ação semelhante à lâmina, que corta o fio logo após sua saída pela superfície da pele. Não demandam um tamanho ideal de pêlo para a realização do procedimento. Método não doloroso.

Desvantagens: Quebram e cortam o pêlo, mas não removem a raíz. Resultados transitórios e podem provocar irritações na pele. Alguns tem um cheiro não muito agradável e ressecam a pele.
                                                                                                 
Cera
Vantagens: O pêlo demora mais para nascer, uma vez que foi arrancado completamente, até que um novo chegue à superfície da pele passarão de 20 a 25 dias. Por aumentar a temperatura da pele, a cera quente dilata o poros e o processo de retirada do pêlo torna-se menos doloroso.

Desvantagens: A principal é a dor. Para quem tem predisposição a pêlo encravado, o método é contraindicado. Outro alerta: a cera quente reutilizada em institutos especializados pode ser fonte de infecção.
 
Linha
Vantagens: É um método feito com linha de costura, 100% poliéster, que foi criado pelos antigos. Permite arrancar os pêlos com maior eficiência do rosto, sobrancelhas, numa seqüência de movimentos firmes da mão. Há quem recorra ao método na virilha ou axila, porém costuma provocar mais dor nestas regiões.

Desvantagens: Trata-se de um trabalho manual delicado, no qual é necessário excelente habilidade para manipular bem uma linha de costura que pode eliminar até 95% dos pelos. Se a linha não for bem manejada, corre-se o risco de sofrer cortes. A fricção da linha pode irritar peles em tratamento.
 
Laser
Vantagens: Exige tratamento seriado com controle (10% a 15% a cada sessão realizada), pois depende das diferentes fases do crescimento dos pêlos. Usa tecnologia avançada com laser de diodo, alexandrita, yag e a luz intensa pulsada (LIP). As sessões são um pouco desconfortáveis, mas a dor é tolerável com emprego de resfriadores da pele e anestésicos tópicos. Possibilita a redução programada dos pêlos. Excelente indicação para quem tem tendência a pêlos encravados. Quanto mais clara for a pele e mais escuro e grosso o pêlo, mais efetivo é o tratamento.

Desvantagens: Durante o tratamento não se deve expor a pele ao sol. Pêlos brancos, loiros e ruivos não são removidos. Custo alto.
 
Quais são os riscos que, na falta de alguns cuidados, podem se apresentar à menina? Sei que os cremes depilatórios podem provocar alergia. Além disso, percebemos que alguns “profissionais” reaproveitam a cera...

Cremes depilatórios podem provocar irritação e reações alérgicas, o ideal é fazer um teste antes, aplicando pequena quantidade do produto no antebraço ou atrás das orelhas (24-48h antes da utilização). Sempre utilizar produtos e materiais descartáveis, o aquecimento da cera não elimina todos os fungos, vírus e bactérias e existe risco de infecções. A temperatura da cera não pode ser muito alta, devido ao risco de queimaduras. Produtos caseiros devem ser evitados, pois existe risco de queimadura química, que pode ser potencializada pela exposição ao sol.
 
A adolescente pode depilar todas as partes, até as mais sensíveis, como virilha?
Nem todas as regiões do corpo reagem ao tipo de remoção de pêlos da mesma forma. Virilhas, buço e partes internas das coxas são mais sensíveis e exigem métodos de depilação menos agressivos. A virilha é uma região bastante sensível e dolorida para depilar. O uso de lâminas pode provocar alergia e coceira em algumas pessoas, por isso, é mais indicado usar cera morna e descartável. Nesta área do corpo não se recomenda a remoção de pêlos com aparelhos de cera em roll-on ou elétricos. A depilação íntima (que remove quase ou todos os pêlos da região da vagina e ânus) exige cuidados de higiene e a escolha de um local certificado para fazê-la. Assegure-se de que as cêras e utensílios utilizados, como espátulas, são descartáveis para evitar a contaminação por fungos, vírus e bactérias. Se for fazê-la sozinha, evite o uso de lâminas. Como a visibilidade da região íntima é muito ruim, podem acontecer acidentes facilmente, o que aumenta o risco de infecções. As opções de cremes depilatórios também devem ser usadas com parcimônia. Por serem químicos, podem causar reações alérgicas graves na região das mucosas, que são muito sensíveis. Converse com um dermatologista e faça o teste de pele sempre antes de usá-los.
 
 
Quais são as principais dicas na hora de realizar a primeira depilação e como manter essa prática com os anos?
 Dicas para depilação ideal:
 - A pele deve estar muito limpa (sem resíduos de hidratantes, óleos ou sujeira);
 - A depiladora precisa usar máscara e luvas;
 - A temperatura da cera quente deve ser regulada para evitar queimaduras;
 - Use sempre material descartável. O aquecimento não mata todos os fungos e bactérias;
 - O pêlo deve ser puxado paralelo à pele (e não pra cima);
 - Cuidado com as ceras feitas em casa com açúcar, mel e limão, pelo risco de queimadura;
 - Utilize as loções pós-depilação, que ajudam a cicatrizar e regenerar a pele;
- Depile-se após o banho. O vapor abre os poros e amolece os pelos;
 - Evite expor a pele à água do mar e piscina e usar perfumes por 24 horas após a depilação, para evitar irritações e infecções;
 - Em áreas com irritação, inflamação, ferimentos, verrugas ou veias varicosas, jamais deve ser passada a cera ou gilete;
 - Acalme e hidrate a pele depois, com um pós-depilatório sem álcool.
- Não manipule os pêlos encravados;
 - Não use roupas apertadas ou sintéticas.
 
Cuidados essenciais antes e depois de usar o aparelho depilatório:
 - Higienizar o aparelho com álcool 70°;
- Usar sempre um aparelho limpo e em bom estado de uso. Não pode estar enferrujado;
- Secar bem o local a ser depilado
- Não se depilar após tomar sol e nem tomar sol em seguida da depilação;
- Utilizar géis específicos, que ajudam a fechar os poros e acalmar a pele, evitando assim o aparecimento de foliculite (pelos encravados) no local depilado.
 
Depilação na Face
Usar lâmina de barbear no rosto da mulher traz riscos à pele?
 A pele do rosto da mulher é fina e delicada, se a depilação com a lâmina for feita sem os devidos cuidados, pode desencadear ferimentos e aparecimento de foliculite (inflamação do folículo piloso). Outra desvantagem para o uso das lâminas na face é o fato dos pelos dessa região crescerem rapidamente, como a depilação com a lâmina é superficial, em poucos dias o pelo aparecerá novamente. Pacientes com acne em atividade devem evitar o uso da lâmina na face, pois a ação mecânica pode contribuir para a piora do quadro.

Outra consideração importante é a atenção ao excesso de pelos na face. Nas mulheres pode haver pelos no rosto em pequena quantidade, geralmente finos e discretos. Quantidade excessiva de pelos, sem tendência racial, deve ser investigada pelo dermatologista, uma vez que pode ser secundária a alterações hormonais.
 
Para retirar o buço, por exemplo, é mais indicado utilizar a lâmina ou a cera?
A depilação com a lâmina no buço garante apenas poucos dias de ausência de pelos, pois os elimina superficialmente. Como o corte é feito na base da haste do pelo (região mais espessa), assim que o pêlo começa a exteriorizar aparenta ser mais grosso, ficando mais evidente. A cera é mais traumática, porém garante resultado mais prolongado.

Qual maneira mais segura de utilizar a lâmina? Com qual frequência a lâmina pode ser usada?
O pelo é considerado um anexo cutâneo. Cada um desses anexos da epiderme está ligado a uma glândula sebácea. Por causa dessa conexão, o folículo por onde sai o pelo, recebe o nome de folículo pilossebáceo. E uma inflamação nesse sistema chama-se foliculite - popularmente conhecida como pelo encravado. Na região da face, a foliculite pode ser causada por bactérias, vírus ou fungos, mas a mais frequente é a pseudo-foliculite ou foliculite mecânica, causada por maus hábitos na hora da depilação com a lâmina. O problema pode ser identificado pela vermelhidão no orifício do pelo ou pela formação de pequenas pústulas (bolhas de pus). Passar a lâmina no sentido inverso ao crescimento dos pelos, parece ser bom em um primeiro momento, mas essa manobra faz com que os pelos penetrem por baixo da pele antes de serem cortados. Isto, junto à obstrução causada pela própria queratina durante o ato de depilar e à ação de bactérias localmente, pode desencadear uma reação inflamatória com formação de pus. A inflamação causa dor e incômodo, e, dependendo da intensidade e extensão, pode levar à formação de cicatrizes e manchas, daí a importância da pevenção e tratamento adequado.

A melhor hora para fazer a depilação com lâmina é logo após o banho, pois a pele encontra-se mais macia e hidratada, levando à diminuição dos riscos de ferimentos. Além disso, os poros ficam mais dilatados e os pelos mais maleáveis, minimizando-se os traumas à cútis.

Passe o menor número possível de vezes as lâminas sob a pele, pois quanto mais você passar, maior o risco de traumas e irritação. Lave a lâmina cada vez que passar no rosto, o acúmulo de pelos diminui a eficácia do seu aparelho. A frequência do uso vai depender da velocidade de crescimento dos pelos, sendo variável de pessoa para pessoa.

Sempre passar a lâmina no sentido de crescimento do pêlos. O uso da lâmina no sentido oposto, pode fazer com que o pêlo penetre na pele antes de ser cortado, predispondo ao aparecimento de foliculite e aumentando os riscos de traumas.

É muito importante prestar atenção na lâmina, se ela estiver gasta, pode ferir a pele e provocar cortes. Recomenda-se trocar as lâminas após usar por no máximo três vezes. Quanto mais lâminas o aparelho possuir, melhor, pois assim ele corta os pêlos sem que seja necessário passá-lo pela mesma área por diversas vezes. Sempre lavar e enxugar bem o aparelho antes de guardá-lo.

Evite a espuma do sabonete, pois em alguns casos, principalmente nos pacientes com pele mais sensível e reativa, pode irritar, provocando ardor e vermelhidão. O ideal é utilizar produtos específicos para depilar, escolhendo sempre o adequado para o seu tipo de pele.

As pessoas que sofrem com espinhas devem tomar cuidado para não cortar os pontos inflamados e assim “espalhar” as bactérias presentes nas lesões para outras áreas de pele saudável. Sempre deixar as áreas acometidas por último e não reutilizar a lâmina. O uso de sabonetes e loções pós-depilação, com propriedades antisépticas, adstringentes e antinflamatórias, sempre sob orientação de um dermatologista, pode amenizar e prevenir complicações.
 
 
Dicas para o Barbear
Quais os prejuízos de uma barba feita incorretamente? Pode causar irritações ou crescer mais rápido do que deveria, por exemplo? Por quê?
O pêlo é considerado um anexo cutâneo. Cada um desses anexos da epiderme está ligado a uma glândula sebácea. Por causa dessa conexão, o folículo por onde sai o pêlo, recebe o nome de folículo pilossebáceo. E uma inflamação nesse sistema chama-se foliculite - popularmente conhecida como pêlo encravado. Na região da barba, a foliculite pode ser causada por bactérias, vírus ou fungos, mas a que mais acomete os homens é a pseudo-foliculite ou foliculite mecânica, causada por maus hábitos na hora do barbear. O problema pode ser identificado pela vermelhidão no orifício do pêlo ou pela formação de pequenas pústulas (bolhas de pus). Passar a lâmina no sentido inverso ao crescimento dos pêlos, hábito muito comum entre os homens, principalmente os que fazem a barba diariamente, parece ser bom em um primeiro momento, mas essa manobra faz com que os pêlos penetrem por baixo da pele antes de serem cortados. Isto, junto à obstrução causada pela própria queratina durante o ato de barbear e à ação de bactérias localmente, pode desencadear uma reação inflamatória com formação de pus. Nos indivíduos em que o pêlo cresce de forma paralela à pele e em que a epiderme é mais espessa, esse problema é mais intenso e frequente. Nos indivíduos de descendência asiática, por exemplo, os pêlos geralmente crescem perpendiculares à superfície da pele, de forma reta e para fora, com poucas possibilidades de danificar a cútis, fazendo com que sofram menos com a foliculite. A inflamação causa dor e incômodo, e, dependendo da intensidade e extensão, pode levar à formação de cicatrizes e manchas, daí a importância da pevenção e tratamento adequado.

Por que recomenda-se fazer a barba após o banho?
A melhor hora para fazer a barba é logo após o banho, pois a pele encontra-se mais macia e hidratada, levando à diminuição dos riscos de ferimentos. Além disso, os poros ficam mais dilatados e os pêlos mais maleáveis, minimizando-se os traumas à cútis durante o barbear.

Como uma pessoa com muitas espinhas deve se barbear?
As pessoas que sofrem com espinhas devem tomar cuidado para não cortar os pontos inflamados e assim “espalhar” as bactérias presentes nas lesões para outras áreas de pele saudável. Sempre deixar as áreas acometidas por último e não reutilizar a lâmina. O uso de sabonetes e loções pós-barba, com propriedades antisépticas, adstringentes e antinflamatórias, sempre sob orientação de um dermatologista, pode amenizar e prevenir complicações.

Por que recomenda-se lavar o rosto com água fria após o barbear?
Porque à água fria causa contração (fechamento) dos poros e vasinhos, evitando sangramentos.

Qual a importância da loção pós-barba?
A loção pós-barba ajuda a fechar os poros abertos pela água morna, alivia as irritações provocadas pela lâmina e age como cicatrizante. Os produtos possuem propriedades antinflamatórias, antisépticas, adstringentes, hidratantes etc, podendo ser úteis em cada tipo específico de pele. Evite as loções com álcool, pois podem irritar, provocar ressecamento e ardor após o barbear.

Posso usar sabonete para fazer a lâmina deslizar? Isso pode causar irritações?
Evite a espuma do sabonete, pois em alguns casos, principalmente nos homens com pele mais sensível e reativa, pode irritar, provocando ardor e vermelhidão. O ideal é utilizar os produtos específicos para barbear, escolhendo sempre o adequado para o seu tipo de pele. Esse produtos possuem formulações específica para esse fim.

Por que a espuma é a melhor opção para fazer a barba com lâmina? 8. Posso passar a lâmina na barba a seco? Por quê?
Há disponível no mercado vários produtos para barbear, para cada tipo de pele existe um produto especifico. Para obter uma barbear adequado, é importante escolher os melhores produtos indicados para o seu tipo de pele, de preferência por um dermatologista. Existem basicamente 3 tipos de espuma de barbear mousse, creme  e gel. A espuma tipo gel, por exemplo, é indicada para homens que possuem a pele oleosa, já a tipo creme para quem possui a pele seca ou normal. A espuma fornece emoliência aos pêlos, deixando-os mais maleáveis e facilitando à remoção com o menor trauma possível. Além disso, uma pele hidratada é sempre mais resistente aos ferimentos durante o barbear e o deslizamento da lâmina se faz de forma mais suave e protegida.
 
Por onde começar a barbear?
O ideal é, antes de mais nada, verificar o sentido do crescimento dos pêlos e sempre passar a lâmina no mesmo sentido. Inicie pela costeleta, depois bochechas e região maxilar, boca e por último o queixo, pois geralmente os pêlos demoram mais a amolecer neste local. Não pressione muito o aparelho de barbear em seu rosto. Passe o menor número possível de vezes as lâminas sob a pele, pois quanto mais você passar, maior o risco de traumas e irritação. Lave a lâmina de barbear, cada vez que passar no rosto, o acúmulo de pêlos diminui a eficácia do seu aparelho.
 
Em qual sentido a lâmina deve ser passada? Por quê?
Sempre passar a lâmina no sentido de crescimento do pêlos. O uso da lâmina no sentido oposto, pode fazer com que o pêlo penetre na pele antes de ser cortado, predispondo ao aparecimento de foliculite e aumentando os riscos de traumas durante o barbear.
 
O que indica que a lâmina deve ser trocada? Continuar usando mesmo assim é prejudicial? Por quê?
É muito importante prestar atenção na lâmina de barbear, se ela estiver gasta, pode ferir a sua pele e provocar cortes. Recomenda-se trocar as lâminas após usar por no máximo três vezes. Quanto mais lâminas o aparelho possuir, melhor, pois assim ele corta os pêlos sem que seja necessário passá-lo pela mesma área por diversas vezes. Sempre lavar e enxugar bem o aparelho de barbear antes de guardá-lo.

O barbeador elétrico é recomendado para qualquer homem? Explique suas vantagens e desvantagens.
Os barbeadores elétricos, além de serem mais fáceis de utilizar, não necessitam do uso de cremes, géis, mousses ou água. Uma grande vantagem é a facilidade e praticidade do uso. Porém eles não cortam o pêlo rente à pele igual à lâmina, fazendo com que fique visível mais rapidamente. No entanto, diminuem a agressão cutânea, sendo indicados para quem tem pele muito sensível e hiper-reativa. O barbeador elétrico age como uma pinça, puxa o pelo para dentro do aparelho e depois corta mais violentamente do que as lâminas duplas ou triplas, por exemplo. A diferença é que o pêlo está seco e os poros contraídos, aumentando a chance de aparecimento de foliculite nos indivíduos mais predispostos. Portanto, pode ser uma boa indicação para quem têm a pele muito sensível, mas uma indicações ruim para quem têm tendência à foliculite.
 
O barbear definitivo, com laser, é recomendado para qualquer homem?
O ideal é que o paciente tenha a pele clara, com pêlos escuros. Indivíduos com antecedente de quelóide, vitiligo e em uso de isotretinóina oral, devem ter bastante cautela e o tratamento tem que ser sempre indicado e supervisionado pelo dermatologista. Pessoas de pele escura, não podem fazer o tratamento com qualquer tipo de aparelho, pois existe risco de queimaduras, cicatrizes e manchas. Uma das maneiras de acabar definitivamente com a foliculite é através do tratamento com laser, porém, é fundamental que um médico avalie o problema e indique o tratamento mais adequado.

A partir de que idade o homem pode fazer o barbear definitivo? Por quê?
O mais indicado é que o tratamento seja iniciado após a puberdade. Antes disso, somente se houver quadro de foliculite muito intenso. Na puberdade, ocorre uma grande transformação hormonal, responsável também pela produção dos pêlos no corpo, podendo todo o tratamento ser “perdido” se realizado antes ou durante essa fase, uma vez que o crescimento dos pêlos apresenta-se instável.
Obs: O termo “depilação definitiva” não é muito apropriado, pois pressupõe que uma vez tratado nunca mais existirá qualquer pêlo. Nenhum equipamento de laser ou luz intensa pulsada hoje disponível é capaz de realizar uma depilação definitiva de todos os pêlos, mas muitos equipamentos conseguem uma depilação definitiva da maioria dos pêlos e com a manutenção adequada, se pode chegar muito próximo do ideal.
 
Foliculite (Pelos Encravados) – Perguntas e Respostas
Quais os principais motivos que fazem os pelos encravarem?
O pelo encrava quando ocorre uma obstrução à saída do mesmo através da pele e ele não tem força para romper a camada córnea (camada mais externa / superficial da pele). Essa fraqueza pode ser desencadeada, por exemplo, pelo uso frequente de cera para depilação, que arranca o pelo pela raíz. Entretanto, roupas muito apertadas em qualquer parte do corpo podem favorecer a foliculite (pelo encravado). A inflamação começa quando os folículos pilosos (cavidades na pele onde nascem os pelos) são modificados pelo atrito da roupa, obstruídos por queratina ou no ato de barbear-se. Na maioria dos casos de foliculite, estes folículos são danificados e, então, infectados por bactérias. Surgem bolinhas brancas, às vezes avermelhadas, também nos braços, pernas e bumbum. Pessoas com predisposição ao problema devem evitar roupas justas, como calças jeans, e aquelas feitas com tecidos sintéticos. O tratamento deve ser feito à base de cremes de ação antibacteriana e antifúngica. Entretanto, é possível reduzir o quadro com esfoliantes, com ácido retinoico ou glicólico na formulação, e peelings superficiais. Segundo a esteticista e massoterapeuta Viviane Esteves, o tratamento não deve ser feito somente durante a crise. É necessário um cuidado de manutenção, ou o problema acaba voltando. A foliculite é um primeiro estágio para o aparecimento do pelo encravado  em si, que geralmente começa como uma bolinha (vermelha ou não). Se não for cuidado, a inflamação pode levar à produção de uma secreção amarelada, que causa dor. Num estágio avançado, é possível que um cisto se forme: maior, mais dolorido e rígido do que a inflamação. Neste caso, uma drenagem é a melhor solução, mas não garante que ele não volte. 
 
Há algum grupo de pessoas mais suscetível a enfrentar esse incômodo?
 Nos indivíduos em que o pelo cresce de forma paralela à pele e em que a epiderme é mais espessa, esse problema é mais intenso e frequente. Nos indivíduos de descendência asiática, por exemplo, os pelos geralmente crescem perpendiculares à superfície da pele, de forma reta e para fora, com poucas possibilidades de danificar a cútis, fazendo com que sofram menos com a foliculite. Aquelas com tendência para ter pêlos encravados costumam apresentar a inflamação com maior frequência.
 
Quais as áreas do corpo que costumam apresentar mais pelos encravados? Como elas ficam?
Áreas em que a pele é mais espessa e que estão mais susceptíveis ao atrito causado pelas roupas são mais propensas ao aparecimento de foliculite, como virilha, pernas e nádegas. O problema aparece inicialmente quando os pêlos encontram problemas para ultrapassar a última barreira da pele. O aparecimento das bolinhas nas nádegas, por exemplo, é frequente por conta do constante atrito dessa região com roupas mais grossas, por períodos prolongados. O problema pode ser identificado pela vermelhidão no orifício do pelo ou pela formação de pequenas pústulas (bolhas de pus). Em um estágio mais avançado, após manipulação local ou quando a reação inflamatória é muito intensa, pode ocorrer a formação de nódulos dolorosos, que muitas vezes precisam ser drenados e podem resultar em manchas e cicatrizes.
 
Há riscos quando isso acontece? Em caso positivo, quais?
 A inflamação causa dor e incômodo, e, dependendo da intensidade e extensão, pode levar à formação de cicatrizes e manchas, daí a importância da pevenção e tratamento adequado.
 
Quais as formas de depilação que mais contribuem para o encravamento dos pelos? Por quê?
Por outro lado, quais as melhores opções para fugir do problema?

O ideal é escolher o método que mais se adapte ao seu tipo de pele. Indivíduos com pele sensível, por exemplo, devem evitar o uso de cera. Para quem tem tendência à formação de pelos encravados, o laser é uma boa opção. Quando os fios são volumosos e grossos, a pele fica mais sujeita à irritação e ao encravamento. Qualquer forma de depilação que puxe os pêlos pela raiz (ou seja, com o bulbo capilar), como é o caso das ceras e dos aparelhos elétricos, propicia o encravamento dos fios, já que, quando voltam a nascer, alguns não conseguem romper a superfície da epiderme. A Tolerância à dor é outro fator que deve ser levado em consideração. O limiar de dor é diferente para cada indíviduo, alguns não toleram a depilação com cera fria, por exemplo, que é mais agressiva e dolorosa.
 
Métodos: Vantagens e Desvantagens
 
Lâmina
Vantagens: Baixo custo e rapidez na remoção dos pelos. Não exige maiores habilidades, a não ser cortar na direção do crescimento dos pêlos. Pode ser utilizada para remoção de pêlos de qualquer tamanho e espessura.
Desvantagens: Não há o risco de aumentar o pêlo ou deixá-lo mais grosso. O problema é que, como a lâmina corta o pêlo rente à pele, ele pode crescer mais rápido, irritar e assim encravar, manchando a pele. Também pode causar coceiras na fase do crescimento. Pessoas com alergia a níquel não podem utilizá-la.
 
Aparelhos elétricos
Vantagens: Os pêlos demoram a crescer, a depilação pode ser feita em casa e não exige um tamanho ideal do pêlo para a remoção. Hoje existem vários tipos de depiladores, sempre em busca de formas para amenizar o desconforto por conta da retirada dos pêlos pela raiz. Também é possível encontrar aparelhos que conseguem arrancar até os pelos mais curtinhos, inclusive de áreas sensíveis, como virilha e axilas. O fato da mulher poder usá-lo sozinha é prático e moderno, principalmente por ser uma técnica muito mais duradoura do que a lâmina. O custo-benefício pode valer a pena, já que há apenas um investimento inicial na compra do aparelho, que possui grande durabilidade. Elimina o risco de contaminação, já que seu uso é individual.
Desvantagens: É doloroso e algumas pessoas não se adaptam à técnica. Se o pêlo for mais fino, o método pode provocar foliculite (pêlo encravado). A forte tração tende a arrebentar o pêlo, incidindo em alguns casos, em inflamação da pele.
 
Cremes depilatórios
Vantagens: Atua quimicamente sobre o pêlo, que amolece e é eliminado. Ação semelhante à lâmina, que corta o fio logo após sua saída pela superfície da pele. Não demandam um tamanho ideal de pêlo para a realização do procedimento. Método não doloroso.
Desvantagens: Quebram e cortam o pêlo, mas não removem a raíz. Resultados transitórios e podem provocar irritações na pele. Alguns tem um cheiro não muito agradável e ressecam a pele.
                                                                                                                        
Cera
Vantagens: O pêlo demora mais para nascer, uma vez que foi arrancado completamente, até que um novo chegue à superfície da pele passarão de 20 a 25 dias. Por aumentar a temperatura da pele, a cera quente dilata o poros e o processo de retirada do pêlo torna-se menos doloroso.
Desvantagens: A principal é a dor. Para quem tem predisposição a pêlo encravado, o método é contraindicado. Outro alerta: a cera quente reutilizada em institutos especializados pode ser fonte de infecção.
 
Linha
Vantagens: É um método feito com linha de costura, 100% poliéster, que foi criado pelos antigos. Permite arrancar os pêlos com maior eficiência do rosto, sobrancelhas, numa seqüência de movimentos firmes da mão. Há quem recorra ao método na virilha ou axila, porém costuma provocar mais dor nestas regiões.
Desvantagens: Trata-se de um trabalho manual delicado, no qual é necessário excelente habilidade para manipular bem uma linha de costura que pode eliminar até 95% dos pelos. Se a linha não for bem manejada, corre-se o risco de sofrer cortes. A fricção da linha pode irritar peles em tratamento.
 
Laser
Vantagens: Exige tratamento seriado com controle (10% a 15% a cada sessão realizada), pois depende das diferentes fases do crescimento dos pêlos. Usa tecnologia avançada com laser de diodo, alexandrita, yag e a luz intensa pulsada (LIP). As sessões são um pouco desconfortáveis, mas a dor é tolerável com emprego de resfriadores da pele e anestésicos tópicos. Possibilita a redução programada dos pêlos. Excelente indicação para quem tem tendência a pêlos encravados. Quanto mais clara for a pele e mais escuro e grosso o pêlo, mais efetivo é o tratamento.
Desvantagens: Durante o tratamento não se deve expor a pele ao sol. Pêlos brancos, loiros e ruivos não são removidos. Custo alto.
 
Pode mencionar algumas dicas para que os pelos não encravem depois da depilação? (Esfoliar alguns dias antes, usar roupas mais leves depois, passar óleos na área, etc.)
Dicas para depilação ideal:
- A pele deve estar muito limpa (sem resíduos de hidratantes, óleos ou sujeira);
- A depiladora precisa usar máscara e luvas;
- A temperatura da cera quente deve ser regulada para evitar queimaduras;
- Use sempre material descartável. O aquecimento não mata todos os fungos e bactérias;
- O pêlo deve ser puxado paralelo à pele (e não pra cima);
- Cuidado com as ceras feitas em casa com açúcar, mel e limão, pelo risco de queimadura;
- Utilize as loções pós-depilação, que ajudam a cicatrizar e regenerar a pele;
- Depile-se após o banho. O vapor abre os poros e amolece os pelos;
- Evite expor a pele à água do mar e piscina e usar perfumes por 24 horas após a depilação, para evitar irritações e infecções;
- Em áreas com irritação, inflamação, ferimentos, verrugas ou veias varicosas, jamais deve ser passada a cera ou gilete;
- Acalme e hidrate a pele depois, com um pós-depilatório sem álcool.
- Não manipule os pêlos encravados;
- Não use roupas apertadas ou sintéticas.
 
Cuidados essenciais antes e depois de usar o aparelho depilatório:
- Higienizar o aparelho com álcool 70°;
- Usar sempre um aparelho limpo e em bom estado de uso. Não pode estar enferrujado;
- Secar bem o local a ser depilado
- Não se depilar após tomar sol e nem tomar sol em seguida da depilação;
- Utilizar géis específicos, que ajudam a fechar os poros e acalmar a pele, evitando assim o aparecimento de foliculite (pelos encravados) no local depilado.
Foliculite (Pelos Encravados)
A causa mais comum de "bolinhas na virilha" é a foliculite. Trata-se de infecção dos folículos pilosos causadas por bactérias, principalmente do tipo estafilococos. A invasão bacteriana pode ocorrer espontaneamente ou favorecida pelo excesso de umidade ou suor, raspagem dos pelos ou depilação. Infecções graves podem causar perda permanente do pelo e cicatrizes.
   
A infecção aparece como pequenas espinhas, de ponta branca, em torno de um ou mais folículos pilosos. A maioria dos casos de foliculite é superficial, pode coçar, e doer. Normalmente a inflamação do pelo sara sozinha, mas os casos mais graves e recorrentes merecem atenção e tratamento com um dermatologista.
   
A foliculite pode ser superficial ou profunda. No primeiro caso, afeta apenas a parte superior do folículo piloso. Os sintomas são: pequenas espinhas vermelhas, com ou sem pus; a pele pode ficar avermelhada e inflamada; causa coceira e sensibilidade na região.
   
São raros os casos de foliculite que causam complicações. Entretanto, preste atenção a possíveis recorrências, ou seja, um local em que o pelo sempre “encrava”, ou se a área atingida pela foliculite aumenta. Procure o dermatologista, ele irá indicar o melhor tratamento.
   
Quando a inflamação atinge áreas mais profundas da pele, pode haver a formação de furúnculos (abscessos).  Os sintomas são: grandes áreas avermelhadas; lesões elevadas com pus amarelado no meio; as áreas ficam muito sensíveis e doloridas e pode coçar também; em alguns casos a dor é intensa. As chances de cicatrizes permanentes são maiores nesses casos e pode haver destruição do folículo piloso.
   
Um médico pode diagnosticar a foliculite simplesmente olhando a pele. Em alguns casos, os médicos podem retirar amostras da secreção da lesão para que ela seja examinada em laboratório. Os casos leves de foliculite provavelmente curam-se sozinhos. Mas, casos persistentes ou recorrentes podem exigir tratamento. A terapia dependerá do tipo e da gravidade da sua infecção.
 
Foliculite Estafilocócica
Tipo comum. Ocorre quando os folículos pilosos são infectados com bactérias Staphylococcus aureus (estafilococos). É caracterizada por coceira, inflamação com pus e pode ocorrer em qualquer região do corpo que possua pelos. Embora os estafilococos vivam na pele o tempo todo, elas podem causar problemas quando entram no corpo através de um corte ou outro ferimento. Isto pode ocorrer por arranhões ou lesões na pele. O tratamento pode ser com antibiótico tópico, oral ou uma combinação dos dois. Também pode ser recomendado evitar raspar a área, até que a infecção sare.
 
Foliculite por Pseudomonas (Foliculite da Banheira Quente)
 As bactérias Pseudomonas aeruginosa  proliferam em ambientes aquáticos em que os níveis de cloro e o pH não são bem regulados, como banheiras de hidromassagem. A infecção aparece entre oito horas e cinco dias após a exposição à bactéria. São erupções vermelhas, que coçam, e mais tarde bolhas com pus podem aparecer também. Áreas que ficam úmidas por mais tempo são as mais propensas à infecção, como as áreas cobertas pela roupa de banho. O tratamento se dá normalmente com loções para aliviar a coceira, antibióticos são receitados raramente.
 
De forma geral, o tratamento é feito com antibióticos de uso local ou sistêmico específicos para a bactéria causadora e cuidados antissépticos, além de evitar fatores predisponentes, como a depilação. Algumas lesões podem necessitar de drenagem cirúrgica. O dermatologista é o médico mais indicado para o correto diagnóstico e tratamento das foliculites.

Prevenção
Manter a pele limpa, seca e livre de escoriações ou irritações pode ajudar a prevenir a foliculite. Certas pessoas são mais propensas a infecções, como as pessoas com diabetes. Se você tem algum problema médico que o torna mais propenso a contrair infecções, algumas precauções podem ser importantes. Evite lavagens antissépticas rotineiramente, pois deixam a pele e seca e matam bactérias protetoras. Mantenha a pele hidratada. Tome cuidado ao depilar, use gel de barbear, espuma ou sabão para lubrificar a pele, facilitar o deslizar das lâminas e evitar cortes.

Em relação a esfoliação, deve ser evitada, pois a pele dessa região é bastante delicada e sensível e o uso de produtos mais abrasivos pode desencadear reações indesejadas. Pessoas com tendência a foliculite devem usar produtos específicos indicados pelo dermatologista e escolher adequadamente o método depilatório.

Dicas para depilação ideal:
A pele deve estar muito limpa (sem resíduos de hidratantes, óleos ou sujeira);
  • A depiladora precisa usar máscara e luvas;
  • A temperatura da cera quente deve ser regulada para evitar queimaduras;
  • Use sempre material descartável. O aquecimento não mata todos os fungos e bactérias;
  • O pêlo deve ser puxado paralelo à pele (e não pra cima);
  • Cuidado com as ceras feitas em casa com açúcar, mel e limão, pelo risco de queimadura;
  • Utilize as loções pós-depilação, que ajudam a cicatrizar e regenerar a pele;
  • Depile-se após o banho. O vapor abre os poros e amolece os pelos;
  • Evite expor a pele à água do mar e piscina e usar perfumes por 24 horas após a depilação, para evitar irritações e infecções;
  • Em áreas com irritação, inflamação, ferimentos, verrugas ou veias varicosas, jamais deve ser passada a cera ou gilete;
  • Acalme e hidrate a pele depois, com um pós-depilatório sem álcool.
  • Não manipule os pêlos encravados;
  • Não use roupas apertadas ou sintéticas (relacionadas com maior possibilidade de foliculite e irritações).
  
Depilação
O ideal é escolher o método que mais se adapte ao seu tipo de pele. Indivíduos com pele sensível, por exemplo, devem evitar o uso de cera. Para quem tem tendência à formação de pelos encravados (foliculite), o laser é uma boa opção. Quando os fios são volumosos e grossos, a pele fica mais sujeita à irritação e ao encravamento. Qualquer forma de depilação que puxe os pêlos pela raiz (ou seja, com o bulbo capilar), como é o caso das ceras e dos aparelhos elétricos, propicia o encravamento dos fios, já que, quando voltam a nascer, alguns não conseguem romper a superfície da epiderme. A Tolerância à dor é outro fator que deve ser levado em consideração. O limiar de dor é diferente para cada indíviduo, alguns não toleram a depilação com cera fria, por exemplo, que é mais agressiva e dolorosa.
 
Métodos: Vantagens e Desvantagens
Lâmina
Vantagens: Baixo custo e rapidez na remoção dos pelos. Não exige maiores habilidades, a não ser cortar na direção do crescimento dos pêlos. Pode ser utilizada para remoção de pêlos de qualquer tamanho e espessura.

Desvantagens: Não há o risco de aumentar o pêlo ou deixá-lo mais grosso. O problema é que, como a lâmina corta o pêlo rente à pele, ele pode crescer mais rápido, irritar e assim encravar, manchando a pele. Também pode causar coceiras na fase do crescimento. Pessoas com alergia a níquel não podem utilizá-la.
 
Aparelhos elétricos
Vantagens: Os pêlos demoram a crescer, a depilação pode ser feita em casa e não exige um tamanho ideal do pêlo para a remoção. Hoje existem vários tipos de depiladores, sempre em busca de formas para amenizar o desconforto por conta da retirada dos pêlos pela raiz. Também é possível encontrar aparelhos que conseguem arrancar até os pelos mais curtinhos, inclusive de áreas sensíveis, como virilha e axilas. O fato da mulher poder usá-lo sozinha é prático e moderno, principalmente por ser uma técnica muito mais duradoura do que a lâmina. O custo-benefício pode valer a pena, já que há apenas um investimento inicial na compra do aparelho, que possui grande durabilidade. Elimina o risco de contaminação, já que seu uso é individual.

Desvantagens: É doloroso e algumas pessoas não se adaptam à técnica. Se o pêlo for mais fino, o método pode provocar foliculite (pêlo encravado). A forte tração tende a arrebentar o pêlo, incidindo em alguns casos, em inflamação da pele.
 
Cuidados essenciais antes e depois de usar o aparelho depilatório:
  • Higienizar o aparelho com álcool 70°;
  • Usar sempre um aparelho limpo e em bom estado de uso. Não pode estar enferrujado;
  • Secar bem o local a ser depilado
  • Não se depilar após tomar sol e nem tomar sol em seguida da depilação;
  • Utilizar géis específicos, que ajudam a fechar os poros e acalmar a pele, evitando assim o aparecimento de foliculite (pelos encravados) no local depilado.
Cremes depilatórios
Vantagens: Atua quimicamente sobre o pêlo, que amolece e é eliminado. Ação semelhante à lâmina, que corta o fio logo após sua saída pela superfície da pele. Não demandam um tamanho ideal de pêlo para a realização do procedimento. Método não doloroso.

Desvantagens: Quebram e cortam o pêlo, mas não removem a raíz. Resultados transitórios e podem provocar irritações na pele. Alguns tem um cheiro não muito agradável e ressecam a pele.
           
Cera
Vantagens: O pêlo demora mais para nascer, uma vez que foi arrancado completamente, até que um novo chegue à superfície da pele passarão de 20 a 25 dias. Por aumentar a temperatura da pele, a cera quente dilata o poros e o processo de retirada do pêlo torna-se menos doloroso.

Desvantagens: A principal é a dor. Para quem tem predisposição a pêlo encravado, o método é contraindicado. Outro alerta: a cera quente reutilizada em institutos especializados pode ser fonte de infecção.
 
Linha
Vantagens: É um método feito com linha de costura, 100% poliéster, que foi criado pelos antigos. Permite arrancar os pêlos com maior eficiência do rosto, sobrancelhas, numa seqüência de movimentos firmes da mão. Há quem recorra ao método na virilha ou axila, porém costuma provocar mais dor nestas regiões.

Desvantagens: Trata-se de um trabalho manual delicado, no qual é necessário excelente habilidade para manipular bem uma linha de costura que pode eliminar até 95% dos pelos. Se a linha não for bem manejada, corre-se o risco de sofrer cortes. A fricção da linha pode irritar peles em tratamento.
 
Laser
Vantagens: Exige tratamento seriado com controle (10% a 15% a cada sessão realizada), pois depende das diferentes fases do crescimento dos pêlos. Usa tecnologia avançada com laser de diodo, alexandrita, yag e a luz intensa pulsada (LIP). As sessões são um pouco desconfortáveis, mas a dor é tolerável com emprego de resfriadores da pele e anestésicos tópicos. Possibilita a redução programada dos pêlos. Excelente indicação para quem tem tendência a pêlos encravados. Quanto mais clara for a pele e mais escuro e grosso o pêlo, mais efetivo é o tratamento.

Desvantagens: Durante o tratamento não se deve expor a pele ao sol. Pêlos brancos, loiros e ruivos não são removidos. Custo alto
« Voltar