(11) 5185-0570

(11) 99907-6292

Av. Arnolfo de Azevedo, 84 - Pacaembú - São Paulo - SP - 01236-0360

Celulite

O que é a celulite?
A celulite ou lipodistrofia ginóide (denominação científica) é uma alteração cutânea resultante de modificações do metabolismo e características particulares das células de gordura e dos septos fibrosos intercelulares do tecido subcutâneo. Manifestando-se clinicamente através de irregularidades na pele, com presença de relevos e depressões de intensidades variáveis na superfície das áreas afetadas. É consequente ao acúmulo
de gordura, alterações circulatórias e da mobilização de líquidos, bem como, do metabolismo celular nas camadas mais profundas da pele. É uma condição esteticamente desagradável que afeta principalmente as mulheres e apresenta características multifatoriais.

A celulite atinge cerca de 85% das mulheres com mais de 35 anos de idade, sendo bastante rara em homens. O termo celulite foi utilizado inicialmente por médicos franceses para descrever o que acreditavam ser uma forma de gordura localizada que acumulava-se principalmente no corpo das mulheres, localizada nas coxas, nádegas, braços e abdome, adquirindo a pele das regiões afetadas, aparência áspera e com pequenas depressões. A celulite é especialmente freqüente após a menopausa e seu manejo e tratamento são difíceis e envolvem múltiplos aspectos.

A celulite é uma inflamação do espaço ao redor das células adiposas, com diversas implicações e consequências no metabolismo local. Embora esteja muito relacionada à obesidade, pode aparecer em pessoas de peso normal e, até mesmo, nas que estão abaixo do peso. Mulheres brancas são mais suscetíveis à celulite do que as negras e há uma relação clara com o tipo de hábito alimentar. Uma alimentação equilibrada e atividade física regular tem uma influência de até 70% no resultado dos tratamentos.

O aspecto de "casca de laranja" causa incômodo e insatisfação com o próprio corpo, levando à procura de uma solução para o problema. As causas que dão origem à celulite não são totalmente compreendidas. Além da predisposição genética, alterações enzimáticas e hormonais parecem estar envolvidas, diminuindo a destruição das células gordurosas ou aumentando o seu volume. As regiões mais afetadas pela celulite são aquelas onde as mulheres costumam acumular mais gordura: abdome, quadris, culotes, nádegas, coxas e pernas.
 
Como a celulite se forma?
No nosso organismo, algumas células têm a função de acumular energia sob a forma de gordura, para ser usada quando necessário. Essas células são os adipócitos (células de gordura), que se localizam na hipoderme, a camada mais profunda da pele. Nas mulheres, esta camada apresenta septos fibrosos ligando a superfície ao tecido mais profundo. Estas pontes fibrosas repuxam a pele para baixo, dando o aspecto dos "furinhos", que é característico da celulite. Além disso, fatores como a hereditariedade, alterações hormonais e enzimáticas, em conjunto, levam a uma alteração circulatória com acúmulo de líquidos e proteínas nas células de gordura, provocando uma modificação da textura do tecido subcutâneo e, posteriormente, uma irregularidade da superfície da pele, que leva ao aspecto visual de "casca de laranja". A celulite pode estar, ou não, associada à obesidade. No entanto, com o aumento do peso, ela aparece mais, pois o aumento das células gordurosas acentua o repuxamento das fibras. Quando o acúmulo de gordura ocorre de forma excessiva, pode comprimir vasos sanguíneos e linfáticos levando à formação de edema (inchaço) e fibrose. Nesta situação, a celulite se torna mais grave, formando áreas endurecidas e nodulares. Em alguns casos, ocorre inflamação e dor local.
 
Para efeito de classificação, a celulite pode ser dividida em:
Grau 1: As depressões só são percebidas quando a pele é comprimida. Pode aparecer até mesmo nas crianças, sendo mais comum nas adolescentes.
Grau 2: As depressões já são percebidos sem comprimir a pele. Passando a mão sobre a pele, já se percebe uma ondulação, sendo possível sentir alguns nódulos.
Grau 3: Os nódulos são bastante perceptíveis e têm consistência endurecida, demonstrando que já houve formação de fibrose. Pode haver dor local.      
 
Quais fatores favorecem seu aparecimento?
Quanto às causas da celulite, elas são várias e estão associadas. Existe um fator genético (hereditariedade), que relaciona-se com fatores hormonais e que se soma a uma alteração circulatória local, que está relacionada a uma diminuição da drenagem linfática. A celulite se desenvolve na parte mais superficial das camadas de gordura existentes abaixo da pele, conhecida como hipoderme. As células de gordura na hipoderme estão organizadas em câmaras divididas por septos (traves fibrosas) de tecido conjuntivo. Nas mulheres, as células adiposas se alargam em função do acúmulo de gordura. As paredes dos capilares (pequenos vasos sanguíneos) tornam-se excessivamente permeáveis, causando o acúmulo localizado de fluidos, que não conseguem ser eliminados em função de uma drenagem linfática insuficiente. Com isso, as células adiposas agrupam-se e ficam ligadas por fibras de colágeno, dificultando a circulação sanguínea, provocando o endurecimento e contração dos septos de tecido conjuntivo, que puxam a pele para baixo, resultado no aspecto irregular da pele.

O armazenamento de gordura e o metabolismo das células adiposas sofrem influências dos hormônios, dieta e exercícios. Os hormônios comandam mudanças na circulação sanguínea, na drenagem linfática, no tecido adiposo e no tecido conjuntivo. As alterações hormonais da menopausa, síndrome pré-menstrual, gravidez e durante o início do uso da pílula anticoncepcional, são diretamente relacionadas com piora da celulite. Também se atribui a piora do quadro ao aumento de peso, má nutrição, quantidade insuficiente de água ingerida e sedentarismo. A idade é acompanhada de perda de consistência e tônus do tecido conjuntivo, o que torna a celulite mais visível e intensa.
A celulite é multifatorial, por isso não é possível curá-la. Trata-se de uma alteração progressiva, que piora com a idade.
No entanto, é possível controlar o quadro e melhorar a aparência cutânea, através da interferência nos vários fatores envolvidos no processo.
 
Como a drenagem linfática age sobre a celulite? Para qual grau de celulite é recomendada?
 A drenagem linfática é uma massagem que reduz o edema (inchaço) do corpo. As manobras ajudam na eliminação de líquidos que extravasam dos vasos e ficam acumulados nos tecidos. Os movimentos devem ser suaves e lentos seguindo o trajeto do sistema linfático e fazendo com que esse líquido retido seja inserido nos vasos linfáticos e posteriormente eliminado através do sistema urinário.
 
Linfa, é o nome que se dá ao fluido que circula nos vasos linfáticos, constituído por água, uréia, linfócitos (células que conferem imunidade), sais e proteínas. Os vasos sanguíneos liberam sangue entre os tecidos, oxigenando-os e nutrindo-os. Os vasos linfáticos reabsorvem parte desse líquido excedente, já com resíduos metabólicos, toxinas que o organismo desprezou e eliminou. Este líquido, chamado linfa, é, portanto, o fluido que sobra, depois que os tecidos metabolizaram os componentes sanguíneos responsáveis pela produção de energia. A perfeita drenagem desse líquido impede edemas (inchaços) e retenção excessiva e tem função de defesa imunológica. A drenagem linfática facilita esse processo, acelerando-o.

A celulite é formada por gordura, líquido e traves de tecido conjuntivo que aprisionam os nódulos de gordura. Sendo assim, a manipulação da gordura, das traves fibrosas e do líquido retido, favorece sua eliminação através do sistema linfático e sua metabolização, aumenta a chegada de sangue no local e aumenta as trocas metabólicas - a velocidade de todos estes processos aumenta. Por isso, a retenção de líquido que há na celulite diminui com a drenagem linfática. Assim sendo, a drenagem linfática está indicada para todos os graus de celulite.
 
Como a massagem modeladora age sobre a celulite? Para qual grau de celulite é recomendada?
Sabe-se que a drenagem linfática facilita à eliminação dos nódulos de celulite e gordura localizada. Nos últimos anos, aliou-se os benefícios de drenagem dos líquidos à manipulação do tecido adiposo (gordura). Então, o que temos atualmente sob o conceito de massagem modeladora, na realidade, é uma massagem que atinge esses dois alvos - o linfático e o gorduroso.
 
Enquanto o primeiro alvo requer apenas manobras suaves, o segundo exige certa energia e pressão mais forte para ser bem efetiva. Se a finalidade está focada na gordura e celulite, o procedimento pode doer um pouco e deixar alguns hematomas, graças à manipulação do tecido adiposo, com manobras mais firmes e enérgicas.A manipulação vigorosa da gordura provoca vasodilatação e aumenta a velocidade de metabolização, tendendo à suavização de contornos irregulares e à redistribuição harmônica da gordura, principalmente se aliada à dieta. O metabolismo pode se acentuar nos locais que estão sendo massageados com energia e força. A massagem modeladora é indicada para todos os graus de celulite, desde que esteja associada à presença de gordura localizada.
 
Como o ultrassom com lipolíticos age sobre a celulite? Para qual grau de celulite é recomendada?
O ultrassom terapêutico tem se mostrado eficaz como recurso auxiliar na redução de medidas e no combate a gordura localizada e celulite por ter sua ação efetivamente potencializada através da fonoforese. O efeito mecânico e/ou térmico do ultrassom promove modificações nas ligações intercelulares e aumento da permeabilidade da membrana celular, promovendo a difusão de substâncias através da pele.
   
O ultrassom (US) é uma modalidade de penetração profunda, capaz de produzir alterações nos tecidos, por mecanismos térmicos e não-térmicos. Os efeitos térmicos dentro dos tecidos são resultantes diretos da elevação da temperatura do tecido, provocada pelo ultrassom, variando de acordo com o coeficiente de absorção e a espessura do meio absorvedor. Destacam-se, entre os efeitos não-térmicos do ultrassom, a micro-massagem, o aumento da permeabilidade celular, variação do diâmetro arteriolar e cavitação. Estudos revelam que em relação à atuação das ondas ultrassônicas no tecido adiposo, devemos considerar o fato de que na gordura o coeficiente de absorção é baixo, decorrente da homogeneidade do tecido, absorvendo pouca energia ultrassônica, sendo pouco provável a sua ação lipolítica.
   
A fonoforese é o termo que descreve a introdução de substâncias medicamentoso-cosméticas através da pele, mediante a energia ultrassônica. Dentre os ativos lipolíticos mais utilizados estão: a cafeína; a centella asiática; a cavalinha; a ioimbina; e a aminofilina, dentre outras. Suas funções principais são: o incremento circulatório; a ativação da lípase; a inibição e/ou ativação de alguns receptores de membrana; e a potencialização da termogênese.
   
Através desses mecanismos de ação e da penetração cutânea facilitada pelo ultrassom, essa modalidade terapêutica atuaria na melhora da celulite. No entanto, não existem evidências científicas suficientes para comprovar a real eficácia desse método na melhora da celulite, mais estudos ainda são necessários. A indicação, em tese, seria para celulite de graus mais avançados e associada à gordura localizada.
 
Cremes podem combater a celulite? Quais seus componentes? Como eles agem? Para qual grau de celulite é recomendada?
Ainda não há uma cura milagrosa para a celulite. A eficácia de todos os tratamentos existentes depende da alimentação, da prática regular de exercícios físicos, do estágio em que a celulite se encontra, da predisposição genética e de possíveis alterações hormonais. Sozinho, um creme anticelulite consegue reduzi-la em 15%, somado a uma dieta balanceada e à prática regular de exercícios, pode levar a uma melhora de até 80% no aspecto da pele. Existem inúmeros produtos no mercado que contém em sua composição cafeína, retinóides, centella asiática, castanha da índia, L-carnitina, extrato de chá verde, alfa-hidróxiácidos, xantinas etc. Teoricamente esses compostos agiriam no metabolismo local da gordura, promoveriam lipólise, estímulo à microcirculação, estímulo a produção de colágeno (aumento do tônus da pele), entre outas ações. Também carecemos de estudos que comprovem o nível de eficácia desses produtos. O uso de cremes, isoladamente, sem mudanças na alimentação, prática de atividades físicas etc, não surte efeitos milagrosos na melhora da celulite.
 
Como a endermologia age sobre a celulite? Para qual grau de celulite é recomendada?
A endermologia é um tratamento não invasivo que recorre a um aparelho motorizado (composto por um sistema de sucção e dois rolos) que, à medida que vai enrolando e desenrolando a pele, torna-a mais lisa, com menos irregularidades. Os movimentos do aparelho estimulam a circulação sanguínea e a drenagem linfática, diminuindo consequentemente a celulite. É indicada no tratamento da celulite de graus I a III e como adjuvante no tratamento de gordura localizada.

Como a radiofrequência age sobre a celulite? Para qual grau de celulite é recomendada?
Um aparelho que age através da radiofrequência proporciona a quebra de gordura em diferentes níveis da pele. O procedimento de quebra ocorre devido ao aquecimento volumétrico que propicia o aumento da tonicidade da pele e a compactação dos adipócitos. O aparelho utiliza a radiação eletromagnética de alta frequência para estimular a produção do colágeno, que constitui as fibras reticulares e é responsável pelo fortalecimento dos tecidos. Essa radiação não danifica a pele e age de forma não invasiva, ou seja, não causando nenhum rompimento de tecido. Com as ondas eletromagnéticas, o procedimento estimula a agitação das moléculas de água, ou seja, a energia eletromagnética proveniente do aparelho transforma-se em energia térmica. O calor provoca a formação de um novo colágeno na região. Através do aquecimento volumétrico, que ocorre em todos os tecidos que contém moléculas de água, a radiofrequência estimula o metabolismo das células adiposas e as fibras do colágeno. Esse estímulo, por sua vez, provoca a quebra da gordura e reduz a gordura localizada. A radiofrequência é responsável pela aceleração do metabolismo nas células e realiza uma drenagem linfática, que estimula a eliminação das impurezas produzidas pelo metabolismo. Está indicada para todos os graus de celulite e principalmente para os casos em que há flacidez associada.
 
Como a mesoterapia age sobre a celulite? Para qual grau de celulite é recomendada?
A mesoterapia é uma técnica efetuada por meio da aplicação de um coquetel de medicamentos, com diferentes mecanismos de ação, que promovem a diminuição da gordura no local tratado. São aplicadas injeções de substâncias que agem contra a  celulite e gordura localizada. O princípio básico da mesoterapia é a aplicação de medicamentos próximos ao local onde irão agir. Então, uma pequena quantidade aplicada no local alvo terá uma forte ação neste local , e quando absorvida e distribuída no resto do organismo, haverá diluição e os possíveis efeitos colaterais serão diminuídos. Mesoterapia é apenas uma maneira de administração de medicamentos, pode ser excelente, inútil ou até prejudicial dependendo de quem realiza o tratamento ( que deve ser sempre um médico treinado e habituado com a técnica), do tipo de medicamento aplicado, do problema à ser tratado e do órgão alvo onde foi feita a aplicação.

Os medicamentos usados em mesoterapia são lipolíticos, ou seja, destroem a gordura do tecido. É fundamental à associação do tratamento com a prática de atividades físicas, ingestão de líquidos e alimentação balanceada.
 
Outras opções terapêuticas para celulite:
Laser: Marca-se à área a ser tratada e é aplicada anestesia local. São feitas duas pequenas incisões (tamanho da ponta de uma caneta) e a fibra ótica do aparelho é inserida através de cânulas. O laser é então aplicado, destruindo a gordura localizada e quebrando os septos fibrosos que deixam a pele com aspecto irregular. Além disso, existe a promessa de estímulo do colágeno, deixando a pele mais firme e com maior elasticidade. A gordura liquefeita é suavemente pressionada para fora. Todo o processo leva cerca de 1- 1h e meia.

Fotomologia: Atuação nas células de gordura, através de mecanismo de ação que combina a energia do laser de diodo, da luz e o vácuo, para seletivamente agir sobre os componentes responsáveis pelo aparecimento da celulite.

Luz: Produz aumento da permeabilidade celular e emulsificação da gordura. melhora a oxigenação do tecido.

Laser: Modifica a célula gordurosa, provocando liquefação da gordura e estímulo da produção decolágeno pelo calor.

Massagem: Promove drenagem e eliminação da gordura.
 
Combinação de Tecnologias:
Tratamento da celulite através de luz infra-vermelha, radiofreqüência, sucção e massagem. Equipamento que oferece o sistema ELOS (electro optical synergy). Sinergia de técnicas possibilita melhores resultados.
1 – Infra-vermelho: Estimula a produção de colágeno e a remodelação corporal.
2 – Radiofrequência: Aumenta a difusão do oxigênio dentro da célula e destrói o tecido gorduroso.
3 – Sucção: melhora circulação sanguínea.
4 – Massagem mecânica: Melhora da drenagem linfática.
 
Subcisão: Os casos mais avançados de celulite, quando se formam "buracos" sobre a pele das nádegas e parte alta das coxas, podem ser tratados com cirurgia e anestesia local. Estas depressões da pele são formadas por septos fibrosos subcutâneos que puxam a superfície da pele para baixo, dando o aspecto de casca de laranja. A técnica, chamada de subcisão, consiste exatamente na eliminação destes septos e preenchimento do espaço deprimido. Uma agulha de ponta cortante é introduzida sob a pele provocando o seu descolamento e sangramento no local. Este sangramento forma um hematoma que se reorganiza dando formação à novo tecido colágeno, que preenche o espaço. No caso da cirurgia para o tratamento da celulite, a agulha "bisturizada" é usada para cortar os septos fibrosos abaixo da pele, causadores das depressões da celulite em estágio avançado. O corte interrompe a tração exercida pelos septos sobre a pele, que é liberada e se eleva, corrigindo as depressões características da celulite. Além disso, como a agulha também atinge vasos sanguíneos, o hematoma dará origem a novo tecido conjuntivo, que ocupará o espaço antes deprimido. O período pós-operatório é longo – cerca de 30 dias – e exige cuidados especiais da paciente, como o uso de cinta compressiva, além de acompanhamento médico. Formam-se grandes manchas roxas que posteriormente serão reabsorvidas pelo organismo. Por tratar-se de um procedimento cirúrgico, só pode ser realizado por médicos treinados para a correta execução da técnica.
  
Como prevenir a celulite? Algumas mudanças de hábito também ajudam a minimizar o aparecimento da celulite?
Quanto às causas da celulite, elas são várias e estão associadas. Existe um fator genético (hereditariedade), que relaciona-se com fatores hormonais e que se soma a uma alteração circulatória local, que está relacionada a uma diminuição da drenagem linfática. A celulite se desenvolve na parte mais superficial das camadas de gordura existentes abaixo da pele, conhecida como hipoderme. As células de gordura na hipoderme estão organizadas em câmaras divididas por septos (traves fibrosas) de tecido conjuntivo. Nas mulheres, as células adiposas se alargam em função do acúmulo de gordura. As paredes dos capilares (pequenos vasos sanguíneos) tornam-se excessivamente permeáveis, causando o acúmulo localizado de fluidos, que não conseguem ser eliminados em função de uma drenagem linfática insuficiente. Com isso, as células adiposas agrupam-se e ficam ligadas por fibras de colágeno, dificultando a circulação sanguínea, provocando o endurecimento e contração dos septos de tecido conjuntivo, que puxam a pele para baixo, resultado no aspecto irregular da pele.

O armazenamento de gordura e o metabolismo das células adiposas sofrem influências dos hormônios, dieta e exercícios. Os hormônios comandam mudanças na circulação sanguínea, na drenagem linfática, no tecido adiposo e no tecido conjuntivo. As alterações hormonais da menopausa, síndrome pré-menstrual, gravidez e durante o início do uso da pílula anticoncepcional, são diretamente relacionadas com piora da celulite. Também se atribui a piora do quadro ao aumento de peso, má nutrição, quantidade insuficiente de água ingerida e sedentarismo. A idade é acompanhada de perda de consistência e tônus do tecido conjuntivo, o que torna a celulite mais visível e intensa.

A celulite é multifatorial, por isso não é possível curá-la. Trata-se de uma alteração progressiva, que piora com a idade.
No entanto, é possível controlar o quadro e melhorar a aparência cutânea, através da interferência nos vários fatores envolvidos no processo.
Tratamentos
Tratamentos mais utilizados e suas especificações:
 Drenagem linfática: A drenagem linfática é uma massagem que reduz o edema (inchaço) do corpo. As manobras ajudam na eliminação de líquidos que extravasam dos vasos e ficam acumulados nos tecidos. Os movimentos devem ser suaves e lentos seguindo o trajeto do sistema linfático e fazendo com que esse líquido retido seja inserido nos vasos linfáticos e posteriormente eliminado através do sistema urinário.
   
Linfa, é o nome que se dá ao fluido que circula nos vasos linfáticos, constituído por água, uréia, linfócitos (células que conferem imunidade), sais e proteínas. Os vasos sanguíneos liberam sangue entre os tecidos, oxigenando-os e nutrindo-os. Os vasos linfáticos reabsorvem parte desse líquido excedente, já com resíduos metabólicos, toxinas que o organismo desprezou e eliminou. Este líquido, chamado linfa, é, portanto, o fluido que sobra, depois que os tecidos metabolizaram os componentes sanguíneos responsáveis pela produção de energia. A perfeita drenagem desse líquido impede edemas (inchaços) e retenção excessiva e tem função de defesa imunológica. A drenagem linfática facilita esse processo, acelerando-o.
   
A celulite é formada por gordura, líquido e traves de tecido conjuntivo que aprisionam os nódulos de gordura. Sendo assim, a manipulação da gordura, das traves fibrosas e do líquido retido, favorece sua eliminação através do sistema linfático e sua metabolização, aumenta a chegada de sangue no local e aumenta as trocas metabólicas - a velocidade de todos estes processos aumenta. Por isso, a retenção de líquido que há na celulite diminui com a drenagem linfática. Assim sendo, a drenagem linfática está indicada para todos os graus de celulite.

Massagem modeladora: Sabe-se que a drenagem linfática facilita à eliminação dos nódulos de celulite e gordura localizada. Nos últimos anos, aliou-se os benefícios de drenagem dos líquidos à manipulação do tecido adiposo (gordura). Então, o que temos atualmente sob o conceito de massagem modeladora, na realidade, é uma massagem que atinge esses dois alvos - o linfático e o gorduroso.
   
Enquanto o primeiro alvo requer apenas manobras suaves, o segundo exige certa energia e pressão mais forte para ser bem efetiva. Se a finalidade está focada na gordura e celulite, o procedimento pode doer um pouco e deixar alguns hematomas, graças à manipulação do tecido adiposo, com manobras mais firmes e enérgicas.A manipulação vigorosa da gordura provoca vasodilatação e aumenta a velocidade de metabolização, tendendo à suavização de contornos irregulares e à redistribuição harmônica da gordura, principalmente se aliada à dieta. O metabolismo pode se acentuar nos locais que estão sendo massageados com energia e força. A massagem modeladora é indicada para todos os graus de celulite, desde que esteja associada à presença de gordura localizada.
Ultrassom: O ultrassom terapêutico tem se mostrado eficaz como recurso auxiliar na redução de medidas e no combate a gordura localizada e celulite por ter sua ação efetivamente potencializada através da fonoforese. O efeito mecânico e/ou térmico do ultrassom promove modificações nas ligações intercelulares e aumento da permeabilidade da membrana celular, promovendo a difusão de substâncias através da pele.
   
O ultrassom (US) é uma modalidade de penetração profunda, capaz de produzir alterações nos tecidos, por mecanismos térmicos e não-térmicos. Os efeitos térmicos dentro dos tecidos são resultantes diretos da elevação da temperatura do tecido, provocada pelo ultrassom, variando de acordo com o coeficiente de absorção e a espessura do meio absorvedor. Destacam-se, entre os efeitos não-térmicos do ultrassom, a micro-massagem, o aumento da permeabilidade celular, variação do diâmetro arteriolar e cavitação. Estudos revelam que em relação à atuação das ondas ultrassônicas no tecido adiposo, devemos considerar o fato de que na gordura o coeficiente de absorção é baixo, decorrente da homogeneidade do tecido, absorvendo pouca energia ultrassônica, sendo pouco provável a sua ação lipolítica.
   
A fonoforese é o termo que descreve a introdução de substâncias medicamentoso-cosméticas através da pele, mediante a energia ultrassônica. Dentre os ativos lipolíticos mais utilizados estão: a cafeína; a centella asiática; a cavalinha; a ioimbina; e a aminofilina, dentre outras. Suas funções principais são: o incremento circulatório; a ativação da lípase; a inibição e/ou ativação de alguns receptores de membrana; e a potencialização da termogênese.
   
Através desses mecanismos de ação e da penetração cutânea facilitada pelo ultrassom, essa modalidade terapêutica atuaria na melhora da celulite. No entanto, não existem evidências científicas suficientes para comprovar a real eficácia desse método na melhora da celulite, mais estudos ainda são necessários. A indicação, em tese, seria para celulite de graus mais avançados e associada à gordura localizada
 
Cremes anti-celulite: Ainda não há uma cura milagrosa para a celulite. A eficácia de todos os tratamentos existentes depende da alimentação, da prática regular de exercícios físicos, do estágio em que a celulite se encontra, da predisposição genética e de possíveis alterações hormonais. Sozinho, um creme anticelulite consegue reduzi-la em 15%, somado a uma dieta balanceada e à prática regular de exercícios, pode levar a uma melhora de até 80% no aspecto da pele. Existem inúmeros produtos no mercado que contém em sua composição cafeína, retinóides, centella asiática, castanha da índia, L-carnitina, extrato de chá verde, alfa-hidróxiácidos, xantinas etc. Teoricamente esses compostos agiriam no metabolismo local da gordura, promoveriam lipólise, estímulo à microcirculação, estímulo a produção de colágeno (aumento do tônus da pele), entre outas ações. Também carecemos de estudos que comprovem o nível de eficácia desses produtos. O uso de cremes, isoladamente, sem mudanças na alimentação, prática de atividades físicas etc, não surte efeitos milagrosos na melhora da celulite.
Endermologia: A endermologia é um tratamento não invasivo que recorre a um aparelho motorizado (composto por um sistema de sucção e dois rolos) que, à medida que vai enrolando e desenrolando a pele, torna-a mais lisa, com menos irregularidades. Os movimentos do aparelho estimulam a circulação sanguínea e a drenagem linfática, diminuindo consequentemente a celulite. É indicada no tratamento da celulite de graus I a III e como adjuvante no tratamento de gordura localizada.
Radiofrequência: Um aparelho que age através da radiofrequência proporciona a quebra de gordura em diferentes níveis da pele. O procedimento de quebra ocorre devido ao aquecimento volumétrico que propicia o aumento da tonicidade da pele e a compactação dos adipócitos. O aparelho utiliza a radiação eletromagnética de alta frequência para estimular a produção do colágeno, que constitui as fibras reticulares e é responsável pelo fortalecimento dos tecidos. Essa radiação não danifica a pele e age de forma não invasiva, ou seja, não causando nenhum rompimento de tecido. Com as ondas eletromagnéticas, o procedimento estimula a agitação das moléculas de água, ou seja, a energia eletromagnética proveniente do aparelho transforma-se em energia térmica. O calor provoca a formação de um novo colágeno na região. Através do aquecimento volumétrico, que ocorre em todos os tecidos que contém moléculas de água, a radiofrequência estimula o metabolismo das células adiposas e as fibras do colágeno. Esse estímulo, por sua vez, provoca a quebra da gordura e reduz a gordura localizada. A radiofrequência é responsável pela aceleração do metabolismo nas células e realiza uma drenagem linfática, que estimula a eliminação das impurezas produzidas pelo metabolismo. Está indicada para todos os graus de celulite e principalmente para os casos em que há flacidez associada.
 
Mesoterapia: A mesoterapia é uma técnica efetuada por meio da aplicação de um coquetel de medicamentos, com diferentes mecanismos de ação, que promovem a diminuição da gordura no local tratado. São aplicadas injeções de substâncias que agem contra a  celulite e gordura localizada. O princípio básico da mesoterapia é a aplicação de medicamentos próximos ao local onde irão agir. Então, uma pequena quantidade aplicada no local alvo terá uma forte ação neste local , e quando absorvida e distribuída no resto do organismo, haverá diluição e os possíveis efeitos colaterais serão diminuídos. Mesoterapia é apenas uma maneira de administração de medicamentos, pode ser excelente, inútil ou até prejudicial dependendo de quem realiza o tratamento ( que deve ser sempre um médico treinado e habituado com a técnica), do tipo de medicamento aplicado, do problema à ser tratado e do órgão alvo onde foi feita a aplicação.

Os medicamentos usados em mesoterapia são lipolíticos, ou seja, destroem a gordura do tecido. É fundamental à associação do tratamento com a prática de atividades físicas, ingestão de líquidos e alimentação balanceada.
 
Fotomologia: Atuação nas células de gordura, através de mecanismo de ação que combina a energia do laser de diodo, da luz e o vácuo, para seletivamente agir sobre os componentes responsáveis pelo aparecimento da celulite.
Luz: Produz aumento da permeabilidade celular e emulsificação da gordura. melhora a oxigenação do tecido.
Laser: Modifica a célula gordurosa, provocando liquefação da gordura e estímulo da produção decolágeno pelo calor.
Massagem: Promove drenagem e eliminação da gordura.
 
Aparelhos que combinam tecnologias:
Ex: Tratamento da celulite através de luz infra-vermelha, radiofreqüência, sucção e massagem. Equipamento que oferece o sistema ELOS (electro optical synergy). Sinergia de técnicas possibilita melhores resultados.
1 – Infra-vermelho: Estimula a produção de colágeno e a remodelação corporal.
2 – Radiofrequência: Aumenta a difusão do oxigênio dentro da célula e destrói o tecido gorduroso.
3 – Sucção: melhora circulação sanguínea.
4 – Massagem mecânica: Melhora da drenagem linfática.
 
Subcisão: Os casos mais avançados de celulite, quando se formam "buracos" sobre a pele das nádegas e parte alta das coxas, podem ser tratados com cirurgia e anestesia local. Estas depressões da pele são formadas por septos fibrosos subcutâneos que puxam a superfície da pele para baixo, dando o aspecto de casca de laranja. A técnica, chamada de subcisão, consiste exatamente na eliminação destes septos e preenchimento do espaço deprimido. Uma agulha de ponta cortante é introduzida sob a pele provocando o seu descolamento e sangramento no local. Este sangramento forma um hematoma que se reorganiza dando formação à novo tecido colágeno, que preenche o espaço. No caso da cirurgia para o tratamento da celulite, a agulha "bisturizada" é usada para cortar os septos fibrosos abaixo da pele, causadores das depressões da celulite em estágio avançado. O corte interrompe a tração exercida pelos septos sobre a pele, que é liberada e se eleva, corrigindo as depressões características da celulite. Além disso, como a agulha também atinge vasos sanguíneos, o hematoma dará origem a novo tecido conjuntivo, que ocupará o espaço antes deprimido. O período pós-operatório é longo – cerca de 30 dias – e exige cuidados especiais da paciente, como o uso de cinta compressiva, além de acompanhamento médico. Formam-se grandes manchas roxas que posteriormente serão reabsorvidas pelo organismo. Por tratar-se de um procedimento cirúrgico, só pode ser realizado por médicos treinados para a correta execução da técnica.
 
« Voltar