(11) 5185-0570

(11) 99907-6292

Av. Arnolfo de Azevedo, 84 - Pacaembú - São Paulo - SP - 01236-0360

Alimentos e Pele

Alimentos e Pele
Investir em um bom creme ou em um tratamento estético de última geração pode ajudar a recuperar a firmeza, a maciez e a luminosidade da pele. Mas todas essas estratégias farão pouquíssima diferença se a alimentação, no dia a dia, não der conta de suprir o organismo da matéria- prima de que precisa para recuperar a pele (maior órgão do corpo humano) das agressões externas, combater os radicais livres que aceleram o envelhecimento e produzir colágeno, substância que dá sustentação ao tecido cutâneo. Uma dieta equilibrada fornece os nutrientes necessários às nossas células que, por sua vez, realizarão os processos fundamentais para garantir a saúde e o viço da pele. De maneira geral, para ajudar a prevenir e tratar os problemas de pele mais comuns, é fundamental garantir um bom aporte de vitaminas e minerais. As vitaminas A, C, D e E exercem funções antioxidantes e anti-inflamatórias, garantindo eficiência no combate aos radicais livres e, consequentemente, retardando o processo de envelhecimento. Outros nutrientes importantes são os minerais manganês e cobre, ambos envolvidos na síntese de colágeno, o zinco, que auxilia na cicatrização e previne a formação de rugas, e, por fim, o silício, que garante maior elasticidade.

Existem várias pesquisas apontando os benefícios de frutas e vegetais na proteção e na restauração da pele. Inclua no prato alimentos com vitaminas A e C e terá a recompensa estampada no rosto. Com poder antioxidante, elas neutralizam os efeitos nocivos do meio ambiente, como a poluição, a radiação ultra-violeta, cigarro etc. Alimentos campeões nas propriedades antinflamatórias:
Frutas: abacate, uva, limão, maça, abacaxi, coco, manga, caju, açai, mirtilo e guaraná.
Temperos: alho, gengibre, pimento vermelha, açafrão da terra, salvia, alecrim, oregano, cravo, canela, louro
Verduras e legumes: Brócolis, pimentão vermelho, cebola, tomate, abóbora, beterraba, espinafre, batata doce roxa, manjericão, rúcula
Cereais: lentilha, ervilha, feijão, aveia, cevada, arroz (preto, vermelho, integral), soja, amendoim, centeio, cereais de milho.
 
Alimentos que evitam a acne:
A acne é resultado principalmente de alteração hormonal, que influi na produção de sebo, substância que, em quantidades adequadas, protege a pele dos agentes externos e da perda de água que levaria à desidratação. Porém, quando as glândulas sebáceas começam a funcionar excessivamente, a oleosidade acaba favorecendo a obstrução dos poros. Na sequencia, a ação local de algumas bactérias  desencadeia inflamação, que é justamente o que caracteriza a acne. Para combater o mal, uma boa estratégia é investir em alimentos fontes de vitamina C, como as frutas cítricas. A vitamina C tem ação antioxidante e anti-inflamatória.

Alimento-chave: Mexerica, uma das frutas que reúne a maior quantidade de vitamina C por unidade
Como consumir: em sucos, vitaminas ou na salada de frutas, como parte do café da manhã ou nos lanches entre as refeições principais. Importante descascar e cortar a fruta no momento imediato do consumo.
Outros alimentos recomendados: goiaba, salsinha, pimentão, acerola, brócolis, tomate, mamão, cenoura, abóbora, sementes de abóbora e de girassol, aveia, peixes de água fria, frutos do mar, ovos e couve-manteiga.
Evitar: alimentos de alto índice glicêmico (farinha branca, gordura hidrogenada e açucar), amendoim e lácteos (leite e derivados)
 
Para manter a hidratação da pele:
Especialmente nos dias quentes, a perda de água acontece de forma acelerada. Para manter o corpo numa temperatura sempre estável, a estratégia do organismo é nos fazer suar. Daí, se o líquido perdido não for reposto em tempo, a pele perderá a maciez, a elasticidade e o brilho. Investir em alimentos que contêm bastante água é uma maneira de garantir a hidratação, mesmo nos dias mais quentes do ano.
 Alimento-chave: Melancia, que apresenta quantidade de água igual ou superior a 90% de sua composição.
uma fatia grande por dia.
Como consumir: em sucos, vitaminas ou na salada de frutas, como parte do café da manhã ou nos lanches entre as refeições principais. Observe se a fruta está bem vermelha e com uma parte verde mais fina.
Outros alimentos recomendados: outras frutas ricas em água também podem ser consumidas diariamente, como o melão, o abacaxi, a pera e também a água de coco.
 
Para evitar a queimadura solar e prevenir o envelhecimento:
Os raios ultravioleta (UV) que chegam à Terra penetram facilmente na pele sem proteção. Como consequência, o organismo se apressa em produzir melanina, a substância que dá cor à pele, na tentativa de aumentar a proteção celular contra os efeitos nocivos da radiação. Porém, o tecido acabará dando sinais claros de que está sofrendo pela queimadura, tornando-se avermelhado.  Alimentos ricos em betacaroteno preparam a pele para receber o sol, tornando-a mais resistente e facilitando o bronzeado
Alimento-chave: Brócolis. Além do carotenoide, contém sulforafano. Um estudo publicado recentemente comprovou que o sulforafano reduz a vermelhidão causada pelos raios uv em até 40
Quanto consumir: uma xícara por dia. 
Como consumir: em forma de salada, cozido ou como ingrediente de sopas, tortas e suflês, entre outros pratos.
Outros alimentos recomendados: cenoura, mamão e couve.

Alguns alimentos/nutrientes interessantes para a pele:
Romã: Os gregos antigos faziam oferendas à deusa Afrodite – a deusa do amor – com romãs, porque acreditavam que a fruta alimentava o amor. Outros a consideram símbolo da sorte e comem romãs na passagem de ano, guardando algumas sementes na carteira, para ter sorte o ano todo. Além de amor e sorte, a romã é a fruta da saúde tantos são seus efeitos benéficos.

Os ácidos gálico, elágico e protocatequínico presentes na fruta barram moléculas que danificam a estrutura celular, desencadeando o câncer. Além deles, há doses concentradas de antocianinas, substâncias que lhe conferem a cor avermelhada e que são reconhecidamente anticancerígenas.

Fora isso, os antioxidantes existentes na fruta também são bastante eficientes para proteger o organismo contra os radicais livres, prevenindo o envelhecimento da pele. Pesquisas realizadas na Universidade Hallym, na Coréia do Sul, apontaram que as células da pele tratadas com o extrato da romã, sentiram menos os efeitos da radiação ultravioleta.

Um outro estudo japonês analisou a eficácia do extrato de romã no clareamento da pele. A substância teria um efeito inibitório da pigmentação leve cutânea causada pela radiação UV. Foi avaliada a pele humana após irradiação ultravioleta (UV) em mulheres entre 20 e 40 anos. As voluntárias foram tratadas durante 4 semanas e receberam a irradiação na parte interna do antebraço. Os resultados mostraram que o ácido elágico do extrato de Pomegranate (Romã), via oral, apresenta efeito inibitório da pigmentação leve da pele humana causada pela irradiação UV (concentração recomendada: 225 a 450 mg de Pomegranate Extract o que equivale de 100 a 200 mg de ácido elágico).

Para usufruir de tantos predicados, a romã pode ser usada em sucos, salpicada em saladas ou como ingrediente de molhos ou sobremesas. Com a casca, é possível fazer chá, que preserva os benefícios da fruta.Vale lembrar que os estudos não são conclusivos no que diz respeito à quantidade de consumo da fruta. A sugestão é incluí-la como parte de uma dieta saudável, associada a bons hábitos de vida.
 
Resveratrol: O resveratrol é um antioxidante encontrado naturalmente na casca das uvas, vinhos tintos e amendoins. É mais encontrado nas cascas das uvas mais escuras e tem efeito protetor contra infecções e combate contra possíveis danos ambientais que a fruta possa sofrer. Pesquisas feitas demonstraram que eles têm a capacidade de prevenir doenças cardiovasculares, têm efeito anti-plaquetário e aumenta a expectativa de vida em ratos.

Atualmente, tem-se falado muito do resveratrol como um possível anti-idade. Estudos recentes mostraram que o resveratrol age na pele, como antioxidante e modifica o ciclo cutâneo normal no envelhecimento. Porém, essa substância ainda não foi estudada tão profundamente para saber ao certo a quantidade diária adequada. Não se sabe sua reação nos tecidos saudáveis, quando consumido excessivamente; e uma alta dosagem (2,5 a 5g) apresentaram desconforto gastrointestinais. Ainda não podemos dizer que só o resveratrol é responsável por todos esses benefícios, pois pode ser sua associação com outras substâncias que estão presentes nos mesmos alimentos. Portanto, a única recomendação plausível é comer alimentos ricos em resveratrol (no caso do vinho, com moderação por ter álcool).
Alimentos e seus Benefícios à Pele
 
É muito conhecido entre as pessoas que a pele reflete o estado de saúde que nosso organismo se encontra e que a alimentação está intimamente relacionada com nossa saúde e bem-estar. Assim, pode-se concluir que a alimentação pode ser decisiva para a saúde da mesma e uma alimentação saudável é capaz de fornecer os nutrientes responsáveis por sua integridade, elasticidade e brilho natural. Por outro lado, uma alimentação deficiente em determinados nutrientes pode refletir em uma pele sem vida.
 
Alguns estudos mostram que certas vitaminas e alimentos auxiliam na manutenção de uma pele bonita e jovem. São eles:
 
Vitamina A: auxilia no desenvolvimento das células da pele e da manutenção da boa saúde das células. Também é ótimo antioxidante que previne o envelhecimento da epiderme. A deficiência desta vitamina pode levar ao ressecamento da pele. Fontes de Betacaroteno (precursor da vitamina A): cenoura, abóbora, batata doce, damasco seco e vegetais verde escuros como brócolis, couve, etc.
 
Castanha do Pará: rica em selênio e zinco, que melhoram a elasticidade da pele, ajuda na batalha contra infecções e auxiliam no crescimento de células. O selênio é necessário para a produção de glutationa, que neutraliza os radicais livres no organismo que podem levar à deterioração do colágeno e elastina. Além destes benefícios, o selênio melhora o cabelo e as unhas.
 
Salmão e Sementes de Linhaça: alimentos ricos em ácidos graxos essenciais (ômega 3 e ômega 6) que melhoram a pele, diminuindo a ocorrência de obstrução dos poros, reduzindo a produção de agentes inflamatórios e melhorando a elasticidade. Esses ácidos graxos são responsáveis por membranas saudáveis das células e impedem a entrada de substâncias nocivas. Auxiliam ainda na hidratação cutânea, ajudando a pele a manter o seu nível de umidade adequado, resultando num aspecto mais jovem.
 
Cereais Integrais: podem ser encontrados em alguns pães e cereais, são alimentos carregados com as vitaminas do grupo B, essenciais para o funcionamento normal da pele. Eles são necessários para o crescimento de novas células, substituindo aquelas que morreram e ajudam no fortalecimento contra infecções e estresse e a prevenção de descamação e rachaduras. Também evitam aspereza das mãos e dos pés.
 
Chá Verde: é um alimento importante, pois fornece uma ampla gama de benefícios para a pele. Possui propriedades antiinflamatórias e reduz o risco de danos causados pelos raios ultravioleta do sol. O chá verde é carregado com uma variedade de antioxidantes e é um alimento bom para todo o corpo, por ser rico em vitaminas C, D e K, bem como a riboflavina, zinco, cálcio, magnésio e ferro.
 
Água: juntamente com as fibras, a água estimula o trânsito intestinal e a eliminação de toxinas do organismo, impedindo que o seu acúmulo seja refletido na pele. A hidratação e a absorção dos nutrientes necessários ao equilíbrio da pele são garantidos com uma ingestão adequada de água.
A ingestão recomendada para promover benefícios à saúde da pele é de oito copos ou dois litros/dia. Se não houver boa hidratação, podem ocorrer obstipação intestinal, celulite, problemas renais, pele e cabelos ressecados e desidratados. Para aumentar a hidratação, é necessário obrigar-se a beber água, andar com garrafinha ou deixá-la sobre a mesa. Um bom parâmetro para verificar maior necessidade de líquido é a cor da urina (quanto mais escura, maior a necessidade de água).
 
Outros alimentos que fazem bem à pele:
Abacate: a fruta é repleta de óleos essenciais e vitaminas do complexo B. Uma delas em especial, a B3 ou niacina. Uma unidade de abacate contém cerca de 27% da necessidade diária da substância.
 
Manga: o fruto tropical fornece mais de 80% da necessidade diária de vitamina A, fundamental para a boa saúde da pele. O elemento ajuda na renovação celular e evita ressecamento da pele.
 
Amêndoas: faz bem à saúde dos olhos e da pele. São ricas em vitamina E e uma porção oferece mais de 50% da necessidade diária. Essa vitamina ajuda a prevenir o envelhecimento precoce.
 
Acerola: poderosas aliadas contra o envelhecimento precoce, as frutinhas fornecem a quantidade total de vitamina C necessária para um dia. Previne contra danos e rugas precoces e ajuda na produção de colágeno.
 
Ostras: ricas em zinco, ajudam a manter a pele livre de acne e auxiliam na produção de elastina, a proteína que mantém a elasticidade do órgão. 
 
Batatas assadas: uma batata assada, com a casca mesmo, fornece cerca de 75% na necessidade diária de cobre, mineral que, em parceria com a vitamina C e o zinco, produz elastina. A deficiência do mineral deixa a pele rígida e sem vida.
 
Cogumelos: oferecem boas quantidades de vitamina B, a riboflavina, que é responsável pela manutenção e reparação da pele, evitando problemas como a rosácea, por exemplo.
 
Gérmen de trigo: o embrião do trigo, que surge quando a planta começa a brotar, oferece boas quantidades de vitamina B, fornecedora de biotina, vital para a saúde da pele.
 
Alimentos que especificamente evitam o envelhecimento da pele:
Frutas e vegetais: alguns são ricos em vitaminas C, E, e carotenóides, apresentando ação antioxidante capaz de neutralizar muitos danos ocasionados à pele ao longo da vida. Frutas como amora, uvas roxas, morango, framboesa, laranja, mexerica, limão, cereja, mirtilo, tomate, e outros vegetais como as verduras verde-escuras, brócolis, repolho, cenoura, etc, são ricos em antioxidantes que combatem os radicais livres, melhorando as paredes dos vasos sangüíneos da pele, que fica mais irrigada e oxigenada. Essas substâncias também previnem o envelhecimento precoce das células, o excesso de oleosidade e a acne. A vitamina C, presente em todos esses alimentos, além da função antioxidante, é fundamental na produção de colágeno, a proteína que mantém a pele saudável e bonita.
 
Soja: rica em isoflavonas, um fitohormônio (hormônio vegetal) semelhante ao estrógeno, a soja tem sido recomendada por dermatologistas como um alimento imprescindível para a beleza da pele. Estudos mostram que a pele possui receptores para as isoflavonas, e elas são decisivas para evitar seu ressecamento e melhorar a elasticidade. Mulheres na menopausa ou que estão próximas dessa fase são as que mais se beneficiam, uma vez que a deficiência hormonal estrogênica que se inicia por volta dos 40-45 anos, colabora ainda mais para a diminuição da elasticidade da pele. Contudo, o alimento tem sido indicado também para as mais jovens, como forma de prevenção.
 
Frutas vermelhas: morango, amora e framboesa, ricos em cianidina e vitamina C, formam um exército imbatível contra o envelhecimento precoce da pele, o excesso de oleosidade e a formação de acne. Além disso, elas atuam na produção de colágeno, o tecido de sustentação da pele. Indicação: comer as frutas diariamente ou usá-las para sucos, vitaminas, iogurtes e gelatinas.
 
Castanha do pará: ela previne o envelhecimento ou o enrijecimento dos tecidos e contribui para manter a elasticidade natural do seu rosto. Indicação: três castanhas-do-pará por dia.
 
Pepino: Esse vegetal é diurético, tem vitamina C e ácido fólico e, por isso, funciona como regenerador celular, com um efeito extraordinário. Ele auxilia, ainda, na cicatrização. Indicação: 1 pepino médio (150 g), quatro vezes por semana.
 
Betacaroteno: Alimentos que contém betacaroteno protegem a sua pele contra os raios solares e, assim, evitam o envelhecimento cutâneo. A substância, presente no mamão, cenoura, tomate, abóbora e mamão, é um betacarotenoide, um tipo de antioxidante, que trabalha combatendo os radicais livres, responsáveis por destruir as células de colágeno. No caso do tomate, há ainda o licopeno, outro tipo de flavonoide.
 
Castanha do Pará: A castanha-do-pará é rica em selênio, um mineral com propriedades antioxidantes. Ele previne e retarda o envelhecimento ou o chamado endurecimento dos tecidos pela oxidação e contribui para manter a elasticidade natural da pele.
 
Cacau: A fruta, principal ingrediente do chocolate, tem um antioxidante poderoso, que trabalha aumentando a irrigação sanguínea, o que retarda o aparecimento das rugas. No entanto, fica uma dica: não coma o chocolate em excesso, pois contém gorduras que deixam a pele mais oleosa. Além disso, o chocolate com mais antioxidantes não é o ao leite, queridinho dos chocólatras, e sim o amargo, rico em flavonoides.
Alimentação e Acne
Apesar de não ter participação direta na causa da doença, a dieta pode ter influência no curso da acne em algumas pessoas. Alimentos como chocolate, gorduras animais, amendoim e o leite e seus derivados devem ser evitados pelos pacientes que apresentem acne e percebam agravo dos sintomas após a ingestão dos mesmos.
 
 Alguns trabalho mostram à influência de alimentos de alto índice glicêmico (carboidratos) na piora do quadro de acne. As elevações de glicose no plasma ocorrem em conseqüência da ingestão de uma carga significativa de glicose, estas elevações podem causar um aumento da testosterona e uma diminuição dos hormônios sexuais envolvidos no controle da secreção das glândulas sebáceas. No entanto, ainda há dados insuficientes que possam comprovar que uma dieta rica em gordura ou carboidratos possa interferir na quantidade e na composição da secreção formada pelas glândulas sebáceas, o que poderia influenciar no aparecimento da acne. Uma avaliação individual é importante, assim como a manutenção de uma dieta equilibrada e a administração dos medicamentos recomendados pelo dermatologista.

Estudos mostram que a ingestão de chocolate amargo (o ao leite tem muita gordura e muito açúcar) fornece flavonóides para a pele, nutriente que, segundo os cientistas, absorve os raios UV e aumenta a irrigação sanguínea cutânea, melhorando a sua aparência. Em uma pesquisa alemã, publicada no Journal of Nutrition, mulheres ingeriram diariamente cacau enriquecido com flavonóides. Após 12 semanas, a pele delas estava 25% menos sensível aos efeitos nocivos do sol. Essa seria também a ação proposta para os tratamentos tópicos com chocolate. No entanto, ainda não existem evidências científicas consistentes para respaldar a indicação.
 
Cinco alimentos vilões da pele
Uma alimentação rica em carboidratos e gorduras e pobre em vitaminas e minerais, pode propiciar o ganho de peso, além de deixar a pele e cabelos sem vida, agravar os casos de acne e celulite e prejudicar o funcionamento do intestino.
 
Excesso de Café
Alguns estudos já revelaram que bebidas cafeinadas aumentam os níveis de cortisol, mais conhecido como  hormônio do estresse. O excesso desse hormônio acelera o processo de envelhecimento da pele. Além disso, a característica diurética do café contribui para uma má hidratação da pele. Quanto mais hidratada a pele, mais saudável ela parece.
 
Sal
O excesso de sal causa retenção de líquidos, manifestada através de edema (inchaço). Como a pele ao redor dos olhos é mais fina, acaba sendo uma das mais afetadas pela retenção hídrica, assim sendo, bolsas e olheiras se tornem mais evidentes. Várias marcas de batatas fritas, biscoitos, salgadinhos e pipoca são carregadas de sódio, desencadeando retenção hídrica intensa.
 
Frituras
Aquecer a carne em altas temperaturas produz uma reação química entre a gordura e a proteína que resulta num componente chamado Produto Avançado de Glicação (AGE), que está ligado com o estresse oxidativo e a inflamação. Ele faz a pele ficar mais avermelhada, enrugada e sem viçosidade, ou seja, mais envelhecida. Este componente é também encontrado em batatas fritas, frango frito e outros alimentos cozidos sob alta temperatura. O AGE também interage com o raio ultravioleta, que causa estragos na pele.
 
Álcool
O álcool é diurético, quanto mais você bebe, mais desidratada você fica. Sendo assim, ele tira a umidade natural da pele, deixando-a ressecada e mais propensa a rugas e linhas finas. O álcool pode ainda, desencadear surtos de rosácea, por seu efeito vasodilatados. Tabaco e álcool alteram o metabolismo celular da epiderme e estimulam a produção de radicais livres. As substâncias tóxicas do cigarro causam destruição das fibras de colágeno e elastina, responsáveis pela eslaticidade e firmeza da pele, além de causarem vasoconstricão (estreitamento) dos vasos cutâneos, prejudicando a nutrição e deixando a pele pálida e amarelada. O fumo exacerba o fotoenvelhecimento, principalmente em mulheres.
 
Açucar
O excesso de açucar pode aderir ao colágeno em nossa pele através de um processo chamado glicação, degenerando-o e dando origem às rugas e flacidez.

O processo de glicação forma os chamados AGEs (Advanced Glycosylation End Products ou “Produtos de Glicação Avançada”), que causam oxidação, inflamação e envelhecimento precoce. Os AGEs têm receptores específicos na pele, além de intensificarem os danos e a inflamação provocados pelos radicais livres. Portanto, açucar em excesso deve ser sempre evitado.
Top 10 Alimentos para uma Pele Saudável
A alimentação tem um papel fundamental na promoção de uma pele saudável e bonita, além de interferir de forma significativa nos processos relacionados ao envelhecimento, podendo preveni-lo ou acelerá-lo.
 
A pele reflete o estado de saúde que nosso organismo se encontra e a alimentação está intimamente relacionada ao bom funcionamento orgânico. Assim, a dieta pode ser decisiva para a saúde cutânea. Uma alimentação saudável é capaz de fornecer os nutrientes responsáveis sua integridade, elasticidade e viçosidade da pele. Por outro lado, uma alimentação deficiente em determinados nutrientes ou rica em alimentos prejudiciais, pode refletir em uma pele sem vida e envelhecida.
 
A inflamação crônica causada pela má nutrição, poluição, exposição ao sol e estresse é hoje apontada como grande vilã nos processos relacionados ao envelhecimento (“infammaging”). Com a inflamação, ocorre aumento dos radicais livres, que por sua vez levam aos danos celulares e sinais de envelhecimento. Isso, em associação com a degeneração dos nossos sistemas antioxidantes em decorrência da idade, pode colaborar para a precocidade dos processos degenerativos.
 
Além de saudáveis e nutritivos, alguns alimentos têm características que favorecem a circulação sanguínea, apresentam propriedades antinflamatórias e antioxidantes e favorecem a renovação celular e a produção de colágeno.
 
Listados abaixo, estão 10 alimentos que, segundo pesquisas, tem uma atuação positiva na pele e deveriam ser incorporados diariamente na dieta:
 
Cenoura: Um dos alimentos mais ricos em betacaroteno, um potente antioxidante. Além disso é rica em vitamina C (favorece a produção de colágeno / antioxidante), vitamina A (age na renovação celular) e minerais. Ótima aliada para o combate aos danos causados pelo sol.
 
Ovos orgânicos: Um dos alimentos mais completos que existem na natureza. Rico em vitaminas K, E, D, A e B12 e fonte de proteínas de alto valor biológico - matéria prima para a produção de colágeno.
 
Chá verde: Rico em flavonóides (catequinas) e polifenóis - propriedades antioxidantes e antinflamatórias - reduz os danos causados pelos raios ultravioleta. Além disso é rico em vitaminas C e K, bem como riboflavina, zinco, cálcio, magnésio e ferro. Promove aumento da taxa metabólica e reduz o hormônio gerelina (fome).
 
Folhas verdes escuras: Excelentes fontes de ferro, clorofila, magnésio, cálcio, fibra e vitaminas A, C e K. Potente ação antinflamatória e antioxidante. Favorece os processos metabólicos envolvidos na produção de colágeno.
 
Mirtilo: Uma das fonts naturais mais ricas em antocianinas – redução do estresse oxidativo, efeitos antinflamatórios, diminuição dos níveis de açucar no sangue.
 
Cúrcuma: Rica em curcumina - potentes propriedades antinflamatórias, antioxidantes e antineoplásicas. Atua ainda na melhora da função de barreira cutânea e na renovação celular.
 
Avocado: Rico em gorduras boas e fibras, com pouco açucar e frutose. Promove sensação de saciedade e permite uma melhor absorção de nutrientes. Rico em carotenóides, compostos fenólicos, tocoferóis, fitoesteróis e minerais (potássio, fósforo, magnésio). Propriedades antioxidantes e antinflamatórias. Beta sitosterol – redução do cortisol. Rico em proteínas.
 
Amêndoas: Fonte de fibras, proteínas, gorduras boas, vitaminas e minerais. Rica em cálcio e magnésio e vitaminas B2 e E. Ação construtora, antinflamatória e antioxidante.
 
Chocolate amargo: Rico em antioxidantes, ácidos graxos e flavonóides. Ação benéfica no combate aos radicais livres, inflamação e favorecimento da microcirculação cutânea. Rico em magnésio. Mas atenção!! Deve ter no mínimo 80% de cacau na composição e ser isento de leite e derivados.
 
Salmão (preferencialmente selvagem): Além de ser rico em ácidos graxos Ômega-3, que possui propriedades antinflamatórias, contém o antioxidante astaxantina. A astaxantina - combate os radicais livres. Além disso, é fonte de proteínas, material prima para a produção de colágeno.
 
 
Através de uma dieta rica em antioxidantes, alimentos antinflamatórios e proteínas de alta qualidade, em combinação com as mudanças no estilo de vida e tratamentos dermatológicos, podemos tratar o envelhecimento de forma globalizada, com resultados mais efetivos e duradouros.
 
 
Atenção: “Natural” não significa Seguro
O termo “Clean Beauty”, também conhecido como cuidados naturais com a pele, ou beleza limpa e natural, está em alta.
 
De 2017 a 2018, o mercado de “cuidados naturais” com a pele cresceu entre 23% e 1,6 bilhões de dólares, representando mais de 25% dos 5,6 bilhões de dólares em vendas anuais de produtos para a pele em 2018.
 
Influenciadores digitais propagam os malefícios de alguns ativos, suscitando o medo nos consumidores, que passaram então a buscar produtos mais seguros e não tóxicos.
 
No entanto, o FDA falhou em definir o que é “natural”, deixando esses rótulos abertos à interpretação de varejistas não dermatologistas, blogueiros e celebridades que se propuseram a definir “beleza limpa” por si mesmos.
 
Apesar da ascendente demonização de centenas de compostos pelo movimento “Clean Beauty”, é válido informar que uma designação arbitrária de produtos limpos ou naturais não necessariamente torna os produtos mais seguros para os consumidores.
 
Muitos dos ingredientes anunciados por evangelistas da beleza parecem selecionados aleatoriamente por empresas que tentam "naturalizar" seus produtos para fazê-los mais atraentes para compradores conscientes.
 
As campanhas para cosméticos seguros defendem que os consumidores evitem uma infinidade de ingredientes considerados atualmente seguros pelas Sociedades Dermatológicas Internacionais.
 
Além disso, muitos produtos naturais contem altas concentrações de extratos botânicos que são uma das principais causas de dermatite de contato, tanto irritativa, quanto alérgica, além da fotossensibilização.
 
O movimento de “cuidados naturais com a pele” e sua intolerância a conservantes sabidamente e cientificamente mais seguros, com extensa base de dados pelo uso de longa data, tem consequências não intencionais, como o uso de conservantes altamente alergênicos, como a metilisotiazolinona.
 
Esta prevenção injustificada ao uso de conservantes seguros e pouco alergênicos e o aumento do uso de plantas, tem sido associado a uma nova epidemia de dermatite de contato e diminuição da qualidade de vida.

Neste momento, parece haver discordância entre o que os dermatologistas conhecem sobre ciência da pele e o que está sendo disseminado para os consumidores através dos movimento de beleza natural.
 
O banco de dados de segurança da pele do “The Environmental Working
Group’s (EWG)” registra milhares de produtos com base na toxicidade putativa dos seus ingredientes, mas essas alegações nem sempre são acordadas uniformemente por um amplo consenso de especialistas, podendo causar confusão para os consumidores. Seus métodos para avaliar riscos não parecem ser orientados por dados científicos. O EWG também se beneficia da participação em programas afiliados em que recebem uma porcentagem da venda quando um consumidor faz uma compra pelo site, o que pode revelar um notável conflito de interesses.
 
Não sou contra produtos verdadeiramente naturais, nem ao estudo e utilização de extratos botânicos cientificamente benéficos para a pele, muito pelo contrário. Porém precisamos ter discernimento e crítica ao fazer escolhas que podem ser apenas modismos, sem embasamento científico ou estudos de segurança, colocando em risco a saúde da pele. “Natural” pode significar apenas um termo de marketing, não necessariamente produtos mais seguros e efetivos.
 
A desinformação pode levar a taxas mais altas de dermatite de contato, investimento financeiro substancial em produtos “naturais” incentivado por empresas com claros conflitos de interesses econômicos e prevenção desnecessária da utilização de ingredientes seguros e necessários.
 
« Voltar