(11) 5185-0570

(11) 99907-6292

Av. Arnolfo de Azevedo, 84 - Pacaembú - São Paulo - SP - 01236-0360

A Pele e sua Importância

A pele é o maior órgão do corpo humano, responsável pela interação com o meio ambiente e proteção global do indivíduo. Através dela, sentimos carinho, expressamos emoções e evidenciamos doenças dos mais variados tipos. Além disso, a pele é responsável pela aparência, tão importante na sociedade, e denota sinais de envelhecimento. A pele tem três camadas distintas, cada qual com funções e estruturas determinadas.
 
Epiderme
A epiderme é composta por células empilhadas, chamadas queratinócitos, responsáveis pela produção de queratina, que é uma proteína importante para a proteção cutânea.

As células da camada mais profunda da epiderme são as chamadas células-mãe (germinativas) e produzem novas células, enquanto as mais velhas vão sendo empurradas para cima, ficando mais achatadas até formarem uma camada de células mortas. O achatamento dessas células acontece devido à pressão atmosférica, que empurra a pele para baixo.

A última parte da epiderme (mais externa) é a camada córnea, uma capa morta que vai se despregando suave e continuamente. Quando a pele sofre uma agressão violenta, como uma queimadura, muitas células morrem precocemente e são eliminadas em forma de escamas córneas. Popularmente, este é o “descascado” a que estamos sujeitos após uma exposição exagerada ao sol. O calo, que aparece nos pés e dói muito, nada mais é do que a camada córnea engrossada pela pressão constante de sapatos apertados. Nas pessoas idosas, a camada córnea fica mais preguiçosa e a pele se torna seca e quebradiça.

Na epiderme também encontramos uma célula chamada melanócito, que produz a melanina, pigmento responsável pela cor da pele, dos olhos e cabelos. A melanina é uma espécie de filtro solar natural, porque absorve parte da radiação do sol, evitando queimaduras e câncer de pele. Quanto mais escura a pele de uma pessoa, mais melanina e mais protegida em relação ao sol ela está.
 
Derme
A derme é a parte intermediária da pele e possui várias estruturas funcionais, como:

• Folículo pilossebáceo: responsável pela produção do sebo e da haste do cabelo. O pilo é sempre acoplado à glândula sebácea e, apesar de não ter função orgânica, apenas estética, é muito importante. A glândula sebácea produz sebo, que hidrata e protege a pele.

• Glândula sudorípara: responsável pela produção de suor, que mantém a temperatura da pele.

A glândula sudorípara produz suor e o elimina pelo óstio folicular, que é um orifício na superfície da pele, erroneamente chamado de poro. Existem glândulas que desembocam na superfície cutânea e outras que se acoplam ao folículo piloso.

• Nervos sensitivos: responsáveis pela sensibilidade ao calor, frio, dor e pressão. O tato é importante ainda mais para o toque, o carinho e o abraço, que transmitem o aconchego, a proteção e o amor. Muitos estudos mostram a importância desse contato, principalmente para os recém-nascidos. Macacos bebês abandonados por suas mães logo após o nascimento morrem precocemente de tristeza. Crianças recém-nascidas que não são acarinhadas pelas mães apresentam graves deficiências no desenvolvimento motor, no aprendizado e no convívio social.

• Vasos sanguíneos: responsáveis pela irrigação e nutrição cutânea. São importantes para levar os nutrientes à pele. Eles ajudam a manter a temperatura da cútis, pois dilatam ou contraem, dependendo do calor externo. A pele tem metros e metros de vasos sanguíneos. Quando estamos assustados, por exemplo, ficamos pálidos porque os vasos se contraem e mandam mais sangue ao coração.
As fibras de colágeno e elastina são responsáveis pela tonicidade e elasticidade da pele. Essas fibras são produzidas em grande quantidade, principalmente nos
primeiros anos de vida, mas a velocidade de sua produção diminui com o passar dos anos, e a pele vai ficando mo­le como um elástico muito usado.
 
Hipoderme
Localizada logo abaixo da derme, a hipoderme é a camada mais profunda da pele. É formada de milhões de células gordurosas, agrupadas umas às outras e irrigadas por vasos sanguíneos mais calibrosos. A hipoderme ajuda a manter a temperatura do corpo, sendo também uma reserva energética. Quando estamos mais magros, por exemplo, sentimos mais frio e, se ficamos doentes, não temos de onde retirar a energia. A hipoderme também delineia o corpo e é a responsável pelas formas curvilíneas, mais evidentes nas mulheres

Tipos de Pele
Pele normal – considerada a pele ideal, apresenta espessura mediana, secreção equilibrada, cor tendendo para o róseo, tônus e elasticidade uniformes, superfície lisa e aveludada, brilho normal e poros não perceptíveis.

Pele oleosa – com espessura aumentada, engrossada e com acentuação dos sulcos de expressão, a pele oleosa se caracteriza pela produção excessiva de óleo, que lhe confere maior brilho e provoca a abertura dos poros, principalmente na zona central (testa, raiz e queixo). Em geral, ela é bem resistente, tolerando melhor as agressões e envelhecendo mais lentamente. Em alguns casos é desidratada (pouca água), repuxando com facilidade. São mais suscetíveis à seborreia.

Pele seca – apresenta pouca produção sebácea, é opaca, sem brilho e desidratada. A falta de água da pele seca se intensifica pela falta de óleo, que tem a propriedade de evitar a sua evaporação. Sua espessura é bem fina, os poros diminuídos, o aspecto descamativo. Sendo pouco elástica, a pele seca mostra finas rugas e tendência ao envelhecimento precoce.

Pele mista – é um tipo de pele muito comum. Sua zona central tem características de pele oleosa e as partes laterais, de pele seca.

Pele sensível – é fina, seca, avermelhada e sensível. Apresenta em geral vasos dilatados na superfície, que são chamados de telangectasias. A pele sensível reage mais aos cosméticos da pele.
 
« Voltar